Jornal Página 3
PÁGINA 3 / Geral
Inflação cai em sete capitais, diz pesquisa da FGV

Quarta, 2/3/2016 17:05.
Marcelo Camargo/AB.
Iinflação caiu nas sete cidades pesquisadas pela Fundação Getulio Vargas.

Publicidade

A inflação medida pelo Índice de Preços ao Consumidor Semanal (IPC-S) caiu nas sete cidades pesquisadas pela Fundação Getulio Vargas (FGV) na passagem de janeiro para fevereiro deste ano. A maior queda deu-se no Rio de Janeiro: 1,41 ponto percentual, já que a taxa recuou de 2,02%, em janeiro, para 0,61%, em fevereiro.

Outras duas capitais tiveram redução da taxa mais acentuada do que a média nacional, de 1,02 ponto percentual (já que a média do IPC-S caiu de 1,78% para 0,76%): Salvador (1,24 ponto percentual, ao passar de 2,06% para 0,82%) e São Paulo (1,04 ponto percentual, indo de 1,64% para 0,6%).

As demais cidades tiveram as seguintes reduções na taxa de inflação: Brasília (0,62 ponto percentual: de 1,55% para 0,93%), Belo Horizonte (0,93 ponto percentual: de 1,84% para 0,91%), Recife (0,47 ponto percentual: de 1,76% para 1,29%) e Porto Alegre (0,86 ponto percentual: de 1,66% para 0,8%).

O IPC-S é calculado com base na variação de preços em oito classes de despesas: alimentação, habitação, vestuário, saúde e cuidados pessoais, educação e recreação, transportes, despesas diversas e comunicação.

Inflação na saída das fábricas chega a 0,56% em janeiro

O preço dos produtos na saída das fábricas brasileiras voltou a subir em janeiro deste ano, depois de dois meses em queda. O Índice de Preços ao Produtor (IPP), do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), que mede essa variação de preços, registrou inflação de 0,56% em janeiro deste ano.

Em dezembro e janeiro de 2015, tinham sido registradas deflações (quedas de preços) de 0,35% e 0,4%, respectivamente. Em 12 meses, o IPP acumula inflação de 9,86%, segundo o IBGE.

A alta de preços do IPP em janeiro deste ano foi puxada pela indústria da transformação, que teve inflação de 0,99% no período. As indústrias extrativas tiveram deflação de 14,42%.

Entre as grandes categorias econômicas da indústria, a maior inflação foi observada na de bens de capital (2,36%), seguidos pelos bens de consumo duráveis (1,43%), bens de consumo semi e não duráveis (0,68%) e bens intermediários (0,11%).

Dezessete atividades industriais tiveram alta de preços em janeiro, com destaque para fumo (4,77%), outros transportes (3,74%), metal (3,35%), vestuário (2,83%), papel e celulose (2,29%) e veículos (2,14%). Os alimentos tiveram inflação de 1,63%.

Seis atividades registraram queda de preços em seus produtos, com destaque para bebidas (-1,87%) e farmacêutica (-1,84%).

(AB)


Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade


Publicidade














Página 3
Marcelo Camargo/AB.
Iinflação caiu nas sete cidades pesquisadas pela Fundação Getulio Vargas.
Iinflação caiu nas sete cidades pesquisadas pela Fundação Getulio Vargas.

Inflação cai em sete capitais, diz pesquisa da FGV

Publicidade

Quarta, 2/3/2016 17:05.

A inflação medida pelo Índice de Preços ao Consumidor Semanal (IPC-S) caiu nas sete cidades pesquisadas pela Fundação Getulio Vargas (FGV) na passagem de janeiro para fevereiro deste ano. A maior queda deu-se no Rio de Janeiro: 1,41 ponto percentual, já que a taxa recuou de 2,02%, em janeiro, para 0,61%, em fevereiro.

Outras duas capitais tiveram redução da taxa mais acentuada do que a média nacional, de 1,02 ponto percentual (já que a média do IPC-S caiu de 1,78% para 0,76%): Salvador (1,24 ponto percentual, ao passar de 2,06% para 0,82%) e São Paulo (1,04 ponto percentual, indo de 1,64% para 0,6%).

As demais cidades tiveram as seguintes reduções na taxa de inflação: Brasília (0,62 ponto percentual: de 1,55% para 0,93%), Belo Horizonte (0,93 ponto percentual: de 1,84% para 0,91%), Recife (0,47 ponto percentual: de 1,76% para 1,29%) e Porto Alegre (0,86 ponto percentual: de 1,66% para 0,8%).

O IPC-S é calculado com base na variação de preços em oito classes de despesas: alimentação, habitação, vestuário, saúde e cuidados pessoais, educação e recreação, transportes, despesas diversas e comunicação.

Inflação na saída das fábricas chega a 0,56% em janeiro

O preço dos produtos na saída das fábricas brasileiras voltou a subir em janeiro deste ano, depois de dois meses em queda. O Índice de Preços ao Produtor (IPP), do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), que mede essa variação de preços, registrou inflação de 0,56% em janeiro deste ano.

Em dezembro e janeiro de 2015, tinham sido registradas deflações (quedas de preços) de 0,35% e 0,4%, respectivamente. Em 12 meses, o IPP acumula inflação de 9,86%, segundo o IBGE.

A alta de preços do IPP em janeiro deste ano foi puxada pela indústria da transformação, que teve inflação de 0,99% no período. As indústrias extrativas tiveram deflação de 14,42%.

Entre as grandes categorias econômicas da indústria, a maior inflação foi observada na de bens de capital (2,36%), seguidos pelos bens de consumo duráveis (1,43%), bens de consumo semi e não duráveis (0,68%) e bens intermediários (0,11%).

Dezessete atividades industriais tiveram alta de preços em janeiro, com destaque para fumo (4,77%), outros transportes (3,74%), metal (3,35%), vestuário (2,83%), papel e celulose (2,29%) e veículos (2,14%). Os alimentos tiveram inflação de 1,63%.

Seis atividades registraram queda de preços em seus produtos, com destaque para bebidas (-1,87%) e farmacêutica (-1,84%).

(AB)


Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade