Jornal Página 3

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Muita tainha na Interpraias e em toda a região
Reprodução

Sexta, 20/5/2016 9:50.

Esses dias têm sido de festa para os pescadores artesanais e para as comunidades litorâneas porque os cardumes de tainha começaram a chegar por Florianópolis, Bombinhas e ontem à tarde na Interpraias.

Na Praia do Estaleirinho, ontem, foram 5.400 tainhas e no Estaleiro 4.200. Cardumes menores foram capturados por toda região.

O que está fazendo a diferença neste ano é que a frota industrial está parada, só pescará a partir de 1º de junho e com isto o pescador artesanal consegue uma folga. A industrial é predatória, uma traineira chega a capturar 200 toneladas e são seis dezenas pegando tainhas.

Beto Oliani, dono da peixaria mais tradicional de região, disse que a safra está boa porque começou cedo e vai mais uns 40 dias, até dia 29 de junho, semana de São João, data em que os mais antigos garantem que acabam os lanços com grandes quantidades de tainha.

Com a abundância, os preços baixaram. Na Peixaria Oliani a tainha está custando R$ 8,99 com ova e R$ 13,99 sem ova.

Costa Verde & Mar em festa

As mais de 40 mil tainhas capturadas na região nos últimos dias deram o pontapé inicial para a uma tradição familiar dos pescadores e um importante estímulo para a economia e turismo. A pesca foi tombada como patrimônio cultural pela lei 15.922, de 2012, e é uma característica da cultura deixada pelos antigos povos que moravam na região. Para este ano, a Federação Catarinense de Pescadores estima que sejam capturadas 1,8 mil toneladas até o fim da safra que tem pico registrado entre o final do mês de maio e o início de junho.

Pesquisas realizadas na Costa Verde & Mar apontam que as tainhas que chegam à região migram do Rio Grande do Sul em busca de águas não tão geladas. Cada cardume chega a atingir 50 centímetros de comprimento com cerca de sete quilos de peso.

Os preparativos para a temporada de tainha na Costa Verde & Mar iniciam ainda no mês de abril com a manutenção detalhada dos barcos, ranchos e redes de pesca. Esta importante tradição foi apresentada no documentário “Antes do Inverno”, da Tramela Produções, que conta um pouco da pesca artesanal utilizando personagens e tradições de pescadores da cidade de Bombinhas. Registros históricos apontam que a pesca da tainha começou a ser realizada pelos índios e logo foi aprimorada pelos açorianos, que colonizaram a região.

A grande estrela da pesca da Costa Verde & Mar também se torna destaque nas mesas dos restaurantes e casas da região. “A pesca da tainha atrai muitos curiosos para a nossa região, bem como os apreciadores deste peixe que é apresentado em diversas formas na gastronomia local”, conta o presidente do Colegiado de Turismo, Sérgio Schultz. Nas versões fresca, recheadas, assadas e fritas, a tainha agrada todos os paladares.

Receita

Para quem quer preparar um prato especial, a receita de tainha na folha de bananeira é uma das mais tradicionais:

Ingredientes:

  • 1 tainha inteira (o tamanho depende do número de convidados)
  • Suco de 1 limão
  • Sal a gosto
  • Temperos: nossa dica é usar pimenta do reino (triturada na hora), cebolinha, coentro, dill, estragão ou sávia (escolha a que gostar)
  • 4 tomates picados em cubos
  • 1 cebola picada em cubos
  • Azeite de oliva

Modo de Preparo

Descame o peixe, tire as vísceras e abra-o pelas costas para que seja retirada a espinha (você também pode pedir ao peixeiro que já prepare o peixe para assar do modo “escalado”). Tempere com sal, pimenta e limão e deixe descansar por algumas horas. Com a cebolinha, tomate e cebola picados e as ervas escolhidas, prepare um recheio para colocar no meio do peixe e também sobre a parte superior, colocando um fio de azeite de oliva extravirgem sobre as ervas.

Depois de rechear o peixe, enrole-o na folha de bananeira. Coloque-o na grelha sobre a brasa e deixe cozinhar. Quando o peixe estiver cozido (irá depender da intensidade do fogo e do tamanho do peixe), pode retirar. Para acompanhar, coloque algumas bananas da terra sobre a grelha, cortadas em fatias no comprimento, além de arroz branco.

Com colaboração Oficina das Palavras

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade



Cidade

ATUALIZADO às 7h de 15/12/2018.


Cidade

Balneário Camboriú passa a ser a cidade brasileira com mais bandeiras azuis


Justiça

Ele considera ilegal a lei municipal que permitiu o empreendimento 


Rapidinhas


Publicidade


Publicidade


Publicidade



Publicidade



Publicidade



Publicidade



Publicidade



Publicidade



Publicidade

Página 3

Muita tainha na Interpraias e em toda a região

Reprodução
Sexta, 20/5/2016 9:50.

Esses dias têm sido de festa para os pescadores artesanais e para as comunidades litorâneas porque os cardumes de tainha começaram a chegar por Florianópolis, Bombinhas e ontem à tarde na Interpraias.

Na Praia do Estaleirinho, ontem, foram 5.400 tainhas e no Estaleiro 4.200. Cardumes menores foram capturados por toda região.

O que está fazendo a diferença neste ano é que a frota industrial está parada, só pescará a partir de 1º de junho e com isto o pescador artesanal consegue uma folga. A industrial é predatória, uma traineira chega a capturar 200 toneladas e são seis dezenas pegando tainhas.

Beto Oliani, dono da peixaria mais tradicional de região, disse que a safra está boa porque começou cedo e vai mais uns 40 dias, até dia 29 de junho, semana de São João, data em que os mais antigos garantem que acabam os lanços com grandes quantidades de tainha.

Com a abundância, os preços baixaram. Na Peixaria Oliani a tainha está custando R$ 8,99 com ova e R$ 13,99 sem ova.

Costa Verde & Mar em festa

As mais de 40 mil tainhas capturadas na região nos últimos dias deram o pontapé inicial para a uma tradição familiar dos pescadores e um importante estímulo para a economia e turismo. A pesca foi tombada como patrimônio cultural pela lei 15.922, de 2012, e é uma característica da cultura deixada pelos antigos povos que moravam na região. Para este ano, a Federação Catarinense de Pescadores estima que sejam capturadas 1,8 mil toneladas até o fim da safra que tem pico registrado entre o final do mês de maio e o início de junho.

Pesquisas realizadas na Costa Verde & Mar apontam que as tainhas que chegam à região migram do Rio Grande do Sul em busca de águas não tão geladas. Cada cardume chega a atingir 50 centímetros de comprimento com cerca de sete quilos de peso.

Os preparativos para a temporada de tainha na Costa Verde & Mar iniciam ainda no mês de abril com a manutenção detalhada dos barcos, ranchos e redes de pesca. Esta importante tradição foi apresentada no documentário “Antes do Inverno”, da Tramela Produções, que conta um pouco da pesca artesanal utilizando personagens e tradições de pescadores da cidade de Bombinhas. Registros históricos apontam que a pesca da tainha começou a ser realizada pelos índios e logo foi aprimorada pelos açorianos, que colonizaram a região.

A grande estrela da pesca da Costa Verde & Mar também se torna destaque nas mesas dos restaurantes e casas da região. “A pesca da tainha atrai muitos curiosos para a nossa região, bem como os apreciadores deste peixe que é apresentado em diversas formas na gastronomia local”, conta o presidente do Colegiado de Turismo, Sérgio Schultz. Nas versões fresca, recheadas, assadas e fritas, a tainha agrada todos os paladares.

Receita

Para quem quer preparar um prato especial, a receita de tainha na folha de bananeira é uma das mais tradicionais:

Ingredientes:

  • 1 tainha inteira (o tamanho depende do número de convidados)
  • Suco de 1 limão
  • Sal a gosto
  • Temperos: nossa dica é usar pimenta do reino (triturada na hora), cebolinha, coentro, dill, estragão ou sávia (escolha a que gostar)
  • 4 tomates picados em cubos
  • 1 cebola picada em cubos
  • Azeite de oliva

Modo de Preparo

Descame o peixe, tire as vísceras e abra-o pelas costas para que seja retirada a espinha (você também pode pedir ao peixeiro que já prepare o peixe para assar do modo “escalado”). Tempere com sal, pimenta e limão e deixe descansar por algumas horas. Com a cebolinha, tomate e cebola picados e as ervas escolhidas, prepare um recheio para colocar no meio do peixe e também sobre a parte superior, colocando um fio de azeite de oliva extravirgem sobre as ervas.

Depois de rechear o peixe, enrole-o na folha de bananeira. Coloque-o na grelha sobre a brasa e deixe cozinhar. Quando o peixe estiver cozido (irá depender da intensidade do fogo e do tamanho do peixe), pode retirar. Para acompanhar, coloque algumas bananas da terra sobre a grelha, cortadas em fatias no comprimento, além de arroz branco.

Com colaboração Oficina das Palavras

Publicidade

Publicidade