Jornal Página 3

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Morreu no hospital homem que se atirou de prédio, nesta segunda
Divulgação

Terça, 7/6/2016 10:05.

Faleceu o homem que se jogou de um prédio na Rua 991, na tarde de segunda-feira (6), esquina com a Avenida do Estado, no Centro de Balneário Camboriú.

Segundo informações do SAMU, Maurício Varela Rossini, 45 anos, se jogou em pé do segundo andar. Ele teve fratura de tíbia e fíbula (abaixo do joelho), no fêmur e no quadril e foi encaminhado ao Hospital Municipal Ruth Cardoso.

Chegando ao hospital foi confirmado que ele também teve lesão na coluna e traumatismo craniano grave. Ele não resistiu e faleceu.

Maurício morava sozinho e segundo informações de uma fonte ele tinha depressão. Bilhetes encontrados no apartamento revelavam que o homem queria mesmo tirar a própria vida.

CVV

Em caso de dificuldade, depressão e necessidade de apoio emocional entre em contato com o Centro de Valorização à Vida (CVV) de Balneário pelo telefone 2033-2411 ou http://www.cvv.org.br.

Projeto de aplicativo para mudar cenário

O Centro de Valorização da Vida está participando de uma votação promovida pelo Google até o próximo dia 13, onde disputa uma verba de R$ 1,5 milhão para investir em um aplicativo de atendimento. Mais de mil projetos sociais se inscreveram e o CVV, representado pelo posto de Balneário, está entre os 10. 

Balneário vem registrando números muito acima da média nacional de suicídios e o CVV, que trabalha na prevenção, pode mudar isso, mas ainda é pouco conhecido pela comunidade. Algo que pode auxiliar nesse processo é o App CVV Acessível, que será implantado com o valor do prêmio, mas para que isso aconteça a ONG precisa de votos.

O coordenador do CVV BC, José de Arimatéa, explica que o aplicativo já está começando a ser desenvolvido com o prêmio de R$ 650 mil que a ONG recebeu (não fica com o posto de BC, e sim com a sede nacional), mas o de R$ 1,5 milhão ajudará ainda mais. A ideia é que através dele a pessoa com problemas emocionais falará diretamente com os voluntários por chat, sem precisar ligar ou ir pessoalmente até um posto, de forma rápida e acessível.

Arimatéa salienta que para ele é um orgulho estar representando a ONG, já que o posto de Balneário é novo e já está em destaque. Ele defende a importância do trabalho da entidade e lamenta o fato de que a comunidade ainda não conhece os serviços. “A cidade tem um número altíssimo de suicídios e precisa de nós. Segundo a Polícia Militar, houve 13 casos nesse ano, mais do que o dobro da média nacional (6.8 suicídios/ano a cada 100 mil habitantes)”, explica.

A mídia noticiou, segundo ele, 21 suicídios. Nos últimos dias mais dois aconteceram: um homem se jogou de um prédio no Calçadão da Avenida Central, no dia 26, e um motorista de ônibus se enforcou no dia 30. “Os motivos são variados, desde problemas financeiros, sociais e emocionais... há pessoas que não sabem lidar com perdas no geral. A maioria das pessoas que se suicidam tem entre 10 e 35 anos, jovens que sentem a pressão do dia-a-dia, que podem cair no mundo das drogas e vivem a vida falsa das redes sociais”, afirma.

Para votar no CVV basta acessar o site https://desafiosocial.withgoogle.com/brazil2016.

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade



Publicidade



Publicidade



Publicidade



Publicidade



Publicidade



Publicidade



Publicidade

Página 3

Morreu no hospital homem que se atirou de prédio, nesta segunda

Divulgação
Terça, 7/6/2016 10:05.

Faleceu o homem que se jogou de um prédio na Rua 991, na tarde de segunda-feira (6), esquina com a Avenida do Estado, no Centro de Balneário Camboriú.

Segundo informações do SAMU, Maurício Varela Rossini, 45 anos, se jogou em pé do segundo andar. Ele teve fratura de tíbia e fíbula (abaixo do joelho), no fêmur e no quadril e foi encaminhado ao Hospital Municipal Ruth Cardoso.

Chegando ao hospital foi confirmado que ele também teve lesão na coluna e traumatismo craniano grave. Ele não resistiu e faleceu.

Maurício morava sozinho e segundo informações de uma fonte ele tinha depressão. Bilhetes encontrados no apartamento revelavam que o homem queria mesmo tirar a própria vida.

CVV

Em caso de dificuldade, depressão e necessidade de apoio emocional entre em contato com o Centro de Valorização à Vida (CVV) de Balneário pelo telefone 2033-2411 ou http://www.cvv.org.br.

Projeto de aplicativo para mudar cenário

O Centro de Valorização da Vida está participando de uma votação promovida pelo Google até o próximo dia 13, onde disputa uma verba de R$ 1,5 milhão para investir em um aplicativo de atendimento. Mais de mil projetos sociais se inscreveram e o CVV, representado pelo posto de Balneário, está entre os 10. 

Balneário vem registrando números muito acima da média nacional de suicídios e o CVV, que trabalha na prevenção, pode mudar isso, mas ainda é pouco conhecido pela comunidade. Algo que pode auxiliar nesse processo é o App CVV Acessível, que será implantado com o valor do prêmio, mas para que isso aconteça a ONG precisa de votos.

O coordenador do CVV BC, José de Arimatéa, explica que o aplicativo já está começando a ser desenvolvido com o prêmio de R$ 650 mil que a ONG recebeu (não fica com o posto de BC, e sim com a sede nacional), mas o de R$ 1,5 milhão ajudará ainda mais. A ideia é que através dele a pessoa com problemas emocionais falará diretamente com os voluntários por chat, sem precisar ligar ou ir pessoalmente até um posto, de forma rápida e acessível.

Arimatéa salienta que para ele é um orgulho estar representando a ONG, já que o posto de Balneário é novo e já está em destaque. Ele defende a importância do trabalho da entidade e lamenta o fato de que a comunidade ainda não conhece os serviços. “A cidade tem um número altíssimo de suicídios e precisa de nós. Segundo a Polícia Militar, houve 13 casos nesse ano, mais do que o dobro da média nacional (6.8 suicídios/ano a cada 100 mil habitantes)”, explica.

A mídia noticiou, segundo ele, 21 suicídios. Nos últimos dias mais dois aconteceram: um homem se jogou de um prédio no Calçadão da Avenida Central, no dia 26, e um motorista de ônibus se enforcou no dia 30. “Os motivos são variados, desde problemas financeiros, sociais e emocionais... há pessoas que não sabem lidar com perdas no geral. A maioria das pessoas que se suicidam tem entre 10 e 35 anos, jovens que sentem a pressão do dia-a-dia, que podem cair no mundo das drogas e vivem a vida falsa das redes sociais”, afirma.

Para votar no CVV basta acessar o site https://desafiosocial.withgoogle.com/brazil2016.

Publicidade

Publicidade