Jornal Página 3

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Ex-modelo pediu demissão da secretaria de obras
Às vésperas do período eleitoral equipe da subprefeitura passou de 4 para 10 pessoas.

Segunda, 4/7/2016 9:08.

A ex-modelo Christiane Geralda Naous Costa, que usa o nome artístico Christiane Butterfly, anunciou que pediu demissão do cargo de coordenadora da secretaria de obras. Ela avisou, através de entrevista a um jornal local, que processará o Jornal Página 3 e todas as pessoas que tenham, segundo ela, atacado sua honra.

O Página 3 apurou que Christiane foi uma das beneficiadas com o cabide de empregos montado na subprefeitura da região sul. Ela teria sido indicada por um namorado que pediu a vaga a alguém influente no governo Edson Piriquito, mas espantosamente ninguém na prefeitura sabe dizer quem a indicou, a encaminhou ao Recursos Humanos, fez as entrevistas, analisou o currículo etc.

Três fontes diferentes disseram que o emprego foi arranjado pelo ex-secretário do turismo e pré-candidato a prefeito Ademar Schneider. Falando ao Página 3 Ademar disse que não foi ele quem pediu para contratarem a ex-modelo; que conhece bem quem pediu, é seu amigo, mas se recusou a informar o nome.

Se a modelo realmente mover os processos que pretende, Ademar será chamado como testemunha e talvez decline o nome desse seu amigo.   

É falsa a tese insistentemente divulgada por jornalistas desinformados e cidadãos mal intencionados que para ocupar a função de coordenador que a ex-modelo ocupava basta ter o ensino médio porque o serviço se resume a arquivar documentos.

A descrição do cargo no Plano de Cargos e Salários do município é clara: é necessário capacidade para promover, coordenar e acompanhar obras e serviços de drenagem, limpeza urbana e sistema viário nos bairros da Barra, São Judas Tadeu, Nova Esperança, bem como nas praias agrestes.

A ex-modelo não tem experiência em nenhuma dessas funções, foi uma nomeação política em véspera de eleições. Ela entrou na prefeitura para trabalhar na subsecretaria, ganhando 50% mais de salário básico do que seus colegas assistentes administrativos concursados em 1983; 1994 e 2008.

Cabide de empregos

De janeiro a maio deste ano a subprefeitura funcionou com quatro pessoas, o subprefeito, dois estagiários e um auxiliar. Em junho, passou a ter 10 funcionários, incluindo a ex-modelo indicada pelo namorado e que ninguém sabe quem pediu para contratar.

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade



Publicidade



Publicidade



Publicidade



Publicidade



Publicidade



Publicidade



Publicidade

Página 3

Ex-modelo pediu demissão da secretaria de obras

Às vésperas do período eleitoral equipe da subprefeitura passou de 4 para 10 pessoas.
Às vésperas do período eleitoral equipe da subprefeitura passou de 4 para 10 pessoas.
Segunda, 4/7/2016 9:08.

A ex-modelo Christiane Geralda Naous Costa, que usa o nome artístico Christiane Butterfly, anunciou que pediu demissão do cargo de coordenadora da secretaria de obras. Ela avisou, através de entrevista a um jornal local, que processará o Jornal Página 3 e todas as pessoas que tenham, segundo ela, atacado sua honra.

O Página 3 apurou que Christiane foi uma das beneficiadas com o cabide de empregos montado na subprefeitura da região sul. Ela teria sido indicada por um namorado que pediu a vaga a alguém influente no governo Edson Piriquito, mas espantosamente ninguém na prefeitura sabe dizer quem a indicou, a encaminhou ao Recursos Humanos, fez as entrevistas, analisou o currículo etc.

Três fontes diferentes disseram que o emprego foi arranjado pelo ex-secretário do turismo e pré-candidato a prefeito Ademar Schneider. Falando ao Página 3 Ademar disse que não foi ele quem pediu para contratarem a ex-modelo; que conhece bem quem pediu, é seu amigo, mas se recusou a informar o nome.

Se a modelo realmente mover os processos que pretende, Ademar será chamado como testemunha e talvez decline o nome desse seu amigo.   

É falsa a tese insistentemente divulgada por jornalistas desinformados e cidadãos mal intencionados que para ocupar a função de coordenador que a ex-modelo ocupava basta ter o ensino médio porque o serviço se resume a arquivar documentos.

A descrição do cargo no Plano de Cargos e Salários do município é clara: é necessário capacidade para promover, coordenar e acompanhar obras e serviços de drenagem, limpeza urbana e sistema viário nos bairros da Barra, São Judas Tadeu, Nova Esperança, bem como nas praias agrestes.

A ex-modelo não tem experiência em nenhuma dessas funções, foi uma nomeação política em véspera de eleições. Ela entrou na prefeitura para trabalhar na subsecretaria, ganhando 50% mais de salário básico do que seus colegas assistentes administrativos concursados em 1983; 1994 e 2008.

Cabide de empregos

De janeiro a maio deste ano a subprefeitura funcionou com quatro pessoas, o subprefeito, dois estagiários e um auxiliar. Em junho, passou a ter 10 funcionários, incluindo a ex-modelo indicada pelo namorado e que ninguém sabe quem pediu para contratar.

Publicidade

Publicidade