Jornal Página 3

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Aluguel com reajuste em julho sobe 12,21%
EBC.
Reajuste é maior do que a inflação do período.

Sexta, 1/7/2016 15:29.

Por Tom Morooka/Equipe Seu Dinheiro (AE)

O inquilino que tem reajuste de aluguel sempre no mês de julho já pode fazer as contas e saber qual será o novo valor a pagar. A correção será de 12,21%. Essa é a variação acumulada pelo IGP-M nos últimos 12 meses, de julho do ano passado a junho desse ano, calculada pela Fundação Getúlio Vargas.

O índice teve uma alta neste mês de 1,69%.Para chegar ao novo valor é só multiplicar o pago até junho por 1,1221. O aluguel corrigido será pago na data fixada em contrato, no fim de julho ou no início de agosto. Um aluguel de R$ 1 mil terá o valor atualizado para R$ 1.122,10.

Um reajuste pesado, acima da correção dos salários, que faz essa despesa avançar ainda mais sobre o orçamento do inquilino. Nessa situação, é preciso ver se é possível reduzir outros gastos para continuar no mesmo imóvel, ou se é hora de procurar outro com aluguel mais baixo.

Antes de mais nada, não custa conversar com o proprietário e tentar um reajuste mais leve.

Aluguel novo cai em 12 meses

Já a faixa de aluguel pedido nas novas locações caiu 3,1%, nos últimos 12 meses até maio. Isso é o que mostra a pesquisa feita pelo Secovi-SP (sindicato da habitação de São Paulo), na Capital.

Quer dizer, ao procurar por um imóvel para alugar, o interessado poderá encontrar um aluguel mais baixo do que estava um ano atrás.Nos contratos em andamento, corrigidos pelo IGP-M, o aumento foi de 11,1% nesse mesmo período.

Isso dá uma boa pista aos inquilinos: pode haver no mercado imóveis desocupados sendo oferecidos por aluguéis mais baixos do que o que ele estiver pagando no imóvel em que está, após o reajuste.A diferença na evolução de valores do aluguel - queda em contratos novos e esticão nos em andamento - também é forte argumento para o inquilino conversar com o proprietário do imóvel. 

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade



Cidade

Volume de resíduos não é um indicador seguro da quantidade de turistas


Policia

Praça central de Balneário Camboriú é o ponto preferido também de andarilhos e usuários 


Policia

A suspeita é que funcionários dos gabinetes da Alerj devolviam parte dos salários


Política


Publicidade


Publicidade


Cidade

Balneário Camboriú adotará entrega voluntária em ponto da prefeitura  


Divulgação

Excelente opção para os micro empreendedores, pequenas empresas e freelancers.


Geral

Até embarcações de pequeno porte levantam areia, depende das condições 


Publicidade



Publicidade



Publicidade



Publicidade



Publicidade



Publicidade



Publicidade

Página 3

Aluguel com reajuste em julho sobe 12,21%

EBC.
Reajuste é maior do que a inflação do período.
Reajuste é maior do que a inflação do período.
Sexta, 1/7/2016 15:29.

Por Tom Morooka/Equipe Seu Dinheiro (AE)

O inquilino que tem reajuste de aluguel sempre no mês de julho já pode fazer as contas e saber qual será o novo valor a pagar. A correção será de 12,21%. Essa é a variação acumulada pelo IGP-M nos últimos 12 meses, de julho do ano passado a junho desse ano, calculada pela Fundação Getúlio Vargas.

O índice teve uma alta neste mês de 1,69%.Para chegar ao novo valor é só multiplicar o pago até junho por 1,1221. O aluguel corrigido será pago na data fixada em contrato, no fim de julho ou no início de agosto. Um aluguel de R$ 1 mil terá o valor atualizado para R$ 1.122,10.

Um reajuste pesado, acima da correção dos salários, que faz essa despesa avançar ainda mais sobre o orçamento do inquilino. Nessa situação, é preciso ver se é possível reduzir outros gastos para continuar no mesmo imóvel, ou se é hora de procurar outro com aluguel mais baixo.

Antes de mais nada, não custa conversar com o proprietário e tentar um reajuste mais leve.

Aluguel novo cai em 12 meses

Já a faixa de aluguel pedido nas novas locações caiu 3,1%, nos últimos 12 meses até maio. Isso é o que mostra a pesquisa feita pelo Secovi-SP (sindicato da habitação de São Paulo), na Capital.

Quer dizer, ao procurar por um imóvel para alugar, o interessado poderá encontrar um aluguel mais baixo do que estava um ano atrás.Nos contratos em andamento, corrigidos pelo IGP-M, o aumento foi de 11,1% nesse mesmo período.

Isso dá uma boa pista aos inquilinos: pode haver no mercado imóveis desocupados sendo oferecidos por aluguéis mais baixos do que o que ele estiver pagando no imóvel em que está, após o reajuste.A diferença na evolução de valores do aluguel - queda em contratos novos e esticão nos em andamento - também é forte argumento para o inquilino conversar com o proprietário do imóvel. 

Publicidade

Publicidade