Jornal Página 3

Publicidade

Publicidade

Engenheiro da Emasa projetou solução para enchentes e estiagens

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Quarta, 27/1/2016 15:30.

A monografia de pós-graduação em Engenharia de Águas e Efluentes do engenheiro Felippo Ferreira Brognoli, funcionário de carreira da Emasa desde 2006, propõe uma forma mais econômica de controlar inundações e estocar água para períodos de estiagem na Bacia Hidrográfica do Rio Camboriú.

A monografia, produzida em 2010, oferece uma alternativa ao custo de R$ 33 milhões às barragens que seriam necessárias para obter os mesmos resultados e custariam hoje R$ 101 milhões.

A ideia é criar um grande parque de 470 hectares, dos quais 362 seriam preparados, em duas etapas, para armazenar água. Quando existisse ameaça de enchente, este lago receberia água e nas estiagens a liberaria. O local teria estrutura para recreação, esporte e atividades turísticas.

Hoje dois terços da área são usados para produção de arroz e um terço é de proteção permanente. A capacidade do lago seria de 2,8 milhões de metros cúbicos, o equivalente ao que a Emasa consegue produzir atualmente em 30 dias trabalhando a plena carga.

Embora R$ 33 milhões pareçam um investimento elevado, a verdade é que a Emasa tem dinheiro sobrando. Só no ano de 2015 ela arrecadou R$ 22 milhões a mais que o previsto no orçamento. Trocando em miúdos, em um ano e meio todo o investimento estaria pago e os dois municípios ficariam livres de enchentes ou falta de água bruta.
 


Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade



Saúde

Objetivo é investir em prevenção e desafogar o Posto Central


Empregos

Salários chegam a R$ 22 mil


Geral

Elcio Rogério Kuhnen prestou contas da sua administração


Cidade

Jornal Página 3 prepara material especial para a data


Publicidade


Publicidade


Publicidade



Publicidade



Publicidade



Publicidade



Publicidade



Publicidade



Publicidade