Jornal Página 3

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Prefeitura multa construtora da passarela em R$ 3 milhões
Waldemar Cezar Neto
Passarela se tornou símbolo da corrupção desenfreada no governo Edson Piriquito.

Sexta, 22/1/2016 16:43.

O secretário de compras da prefeitura de Balneário Camboriu, Mário Sérgio Teixeira, declarou na sexta-feira (22) rompido o contrato com a Helpcon Construções, Projetos e Serviços Ltda. empresa que venceu a licitação para construir a Passarela da Barra.

Além do rompimento, o município aplicou multa de R$ 3.041.567,60, correspondentes a 10% do valor do contrato e declarou a empresa inidônea por cinco anos, prazo durante o qual não poderá contratar com o poder público.

A empresa tem prazo de cinco dias para recorrer dessas penalidades o que provavelmente acontecerá na esfera administrativa e depois judicial, arrastando o assunto por meses ou anos.

Os técnicos da prefeitura apuraram que a Helpcon recebeu cerca de R$ 1 milhão além do devido, mas por outro lado teria prestado serviços extracontratuais com valor de aproximadamente R$ 600 mil.

 A reportagem não conseguiu contato com os diretores da Helpcon.

Nova licitação

Se tudo correr como planejado a prefeitura deverá lançar em fevereiro a licitação para concluir as obras da Passarela que estão atrasadas mais de dois anos.

A Passarela da Barra é o maior escândalo de corrupção da história da cidade, na obra atuou uma quadrilha de ladrões do dinheiro público desmantelada pelo Grupo de Atuação Especial de Combate às Organizações Criminosas em setembro de 2014.

Badesc

Um vereador de oposição informou ao Página 3, pedindo sigilo do seu nome, que denunciará a Agência de Fomento do Estado de Santa Catarina S.A. – Badesc, o agente financeiro da construção da Passarela, por suspeita de participar das falcatruas já que cabia àquela Agência a co-fiscalização do empreendimento.

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade



Política

Fabrício Oliveira é acusado de omissão em relação ao loteamento clandestino Vila Fortaleza


Política


Cidade

Devido a declarações falsas, BC Port é alvo de investigação 


Cidade

Vice-prefeito quer estudar o assunto com mais cuidado 


Publicidade


Publicidade


Saúde

Evento é especial para mulheres e inscrições estão abertas


Esportes


Publicidade

Revestimento que já foi sucesso é tendência novamente


Publicidade



Publicidade



Publicidade



Publicidade



Publicidade



Publicidade



Publicidade

Página 3

Prefeitura multa construtora da passarela em R$ 3 milhões

Waldemar Cezar Neto
Passarela se tornou símbolo da corrupção desenfreada no governo Edson Piriquito.
Passarela se tornou símbolo da corrupção desenfreada no governo Edson Piriquito.
Sexta, 22/1/2016 16:43.

O secretário de compras da prefeitura de Balneário Camboriu, Mário Sérgio Teixeira, declarou na sexta-feira (22) rompido o contrato com a Helpcon Construções, Projetos e Serviços Ltda. empresa que venceu a licitação para construir a Passarela da Barra.

Além do rompimento, o município aplicou multa de R$ 3.041.567,60, correspondentes a 10% do valor do contrato e declarou a empresa inidônea por cinco anos, prazo durante o qual não poderá contratar com o poder público.

A empresa tem prazo de cinco dias para recorrer dessas penalidades o que provavelmente acontecerá na esfera administrativa e depois judicial, arrastando o assunto por meses ou anos.

Os técnicos da prefeitura apuraram que a Helpcon recebeu cerca de R$ 1 milhão além do devido, mas por outro lado teria prestado serviços extracontratuais com valor de aproximadamente R$ 600 mil.

 A reportagem não conseguiu contato com os diretores da Helpcon.

Nova licitação

Se tudo correr como planejado a prefeitura deverá lançar em fevereiro a licitação para concluir as obras da Passarela que estão atrasadas mais de dois anos.

A Passarela da Barra é o maior escândalo de corrupção da história da cidade, na obra atuou uma quadrilha de ladrões do dinheiro público desmantelada pelo Grupo de Atuação Especial de Combate às Organizações Criminosas em setembro de 2014.

Badesc

Um vereador de oposição informou ao Página 3, pedindo sigilo do seu nome, que denunciará a Agência de Fomento do Estado de Santa Catarina S.A. – Badesc, o agente financeiro da construção da Passarela, por suspeita de participar das falcatruas já que cabia àquela Agência a co-fiscalização do empreendimento.

Publicidade

Publicidade