Jornal Página 3

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Ações para tornar Balneário realmente acessível serão apresentadas ao MPSC
Adriano Maba

Segunda, 18/1/2016 15:02.

A Lei Brasileira de Inclusão, que está valendo desde o último dia 2, foi debatida na Câmara de Vereadores na sexta-feira (15). A reunião aconteceu entre participantes do Conselho Municipal dos Direitos da Pessoa com Deficiência. Serão apresentadas na quarta-feira (20) as mudanças que devem acontecer em Balneário Camboriú, ao Ministério Público, para que a cidade se torne mais acessível.

Segundo informações da assessoria da Câmara, o encontro conduzido pelo presidente do conselho, vereador Eduardo ‘Torto’ Meneghelli teve como objetivo discutir parte dos relatórios gerados pelos conselheiros sobre a Lei. Ao longo da reunião foram questionadas as dificuldades do planejamento urbano e os participantes cogitaram também a produção de um material informativo para que a comunidade fique atenta às políticas públicas sobre acessibilidade.

Questões envolvendo a mobilidade urbana, rampas de acesso e a implantação de vagas especiais em determinados pontos da cidade também foram debatidas. Na opinião de Torto, Balneário é uma cidade bem acessível, mas ainda há muito o que ser feito. Um exemplo disso são os diversos pontos da cidade onde a calçada com piso tátil vai de encontro a postes ou a pontos de ônibus/táxi.

Porém, Torto reconheceu que outro problema que precisa ser resolvido é a falta de banheiros adaptados nos estabelecimentos comerciais da cidade, além da comunidade precisar se conscientizar mais de não estacionar perto de rampas e em vagas preferenciais.

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade



Cidade


Saúde

 Cidade é área de atenção e apenas 2.500 tomaram a vacina até agora. Doença pode matar.


Saúde

Lei já obriga SAMU e Bombeiros conduzirem pacientes a hospitais particulares.


Educação

Sistema que fechou dezembro com 276 crianças hoje está com mil.


Publicidade


Geral

O Infiltrado - Um Repórter Dentro da Polícia que Mais Mata e Mais Morre no Brasil


Policia

"A organização criminosa se apoderou do Ministério do Trabalho, ocupando os principais cargos da pasta"


Policia


Cidade

Aulas em Camboriú e no Nova Esperança estão suspensas


Publicidade


Economia


Divulgação

Excelente opção para os micro empreendedores, pequenas empresas e freelancers.


Geral

Conselho Comunitário de Segurança Náutica e Cidadania de Balneário Camboriú


Publicidade



Publicidade



Publicidade



Publicidade



Publicidade



Publicidade



Publicidade

Página 3

Ações para tornar Balneário realmente acessível serão apresentadas ao MPSC

Adriano Maba
Segunda, 18/1/2016 15:02.

A Lei Brasileira de Inclusão, que está valendo desde o último dia 2, foi debatida na Câmara de Vereadores na sexta-feira (15). A reunião aconteceu entre participantes do Conselho Municipal dos Direitos da Pessoa com Deficiência. Serão apresentadas na quarta-feira (20) as mudanças que devem acontecer em Balneário Camboriú, ao Ministério Público, para que a cidade se torne mais acessível.

Segundo informações da assessoria da Câmara, o encontro conduzido pelo presidente do conselho, vereador Eduardo ‘Torto’ Meneghelli teve como objetivo discutir parte dos relatórios gerados pelos conselheiros sobre a Lei. Ao longo da reunião foram questionadas as dificuldades do planejamento urbano e os participantes cogitaram também a produção de um material informativo para que a comunidade fique atenta às políticas públicas sobre acessibilidade.

Questões envolvendo a mobilidade urbana, rampas de acesso e a implantação de vagas especiais em determinados pontos da cidade também foram debatidas. Na opinião de Torto, Balneário é uma cidade bem acessível, mas ainda há muito o que ser feito. Um exemplo disso são os diversos pontos da cidade onde a calçada com piso tátil vai de encontro a postes ou a pontos de ônibus/táxi.

Porém, Torto reconheceu que outro problema que precisa ser resolvido é a falta de banheiros adaptados nos estabelecimentos comerciais da cidade, além da comunidade precisar se conscientizar mais de não estacionar perto de rampas e em vagas preferenciais.

Publicidade

Publicidade