Jornal Página 3

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Quatro pessoas se afogaram na Praia do Buraco, no sábado
Dois banhistas foram atendidos pelo Arcanjo, dos bombeiros

Segunda, 11/1/2016 10:38.

Quatro pessoas caíram em uma corrente de retorno no início da tarde de sábado (9), na Praia do Buraco, em Balneário Camboriú, e tiveram de ser socorridas pelos guarda-vidas.

Segundo informações do sargento Jandir Martins, do Corpo de Bombeiros de Balneário, às 13h, as quatro pessoas passaram por esse susto. “Duas delas tiveram de ser encaminhadas pelo helicóptero Arcanjo e as outras duas pela ambulância ao Hospital Ruth Cardoso. Foi afogamento grau dois (elas ingeriram muita água e entraram em pânico) e foram atendidas para se recuperarem”, explica.

Martins salienta que o mar da região continua perigoso, pois está virando para Leste e essa condição faz com que o mar cresça e comece a abrir buracos. “Pedimos que o público observe os locais apropriados para banho. Há muitos pontos sinalizados com bandeira vermelha em Balneário Camboriú, e mesmo com a observação dos guarda-vidas esses locais são impróprios”, diz.

O sargento conta que outra grande preocupação é quando o mar voltar ao normal, pois é quando os banhistas começam a acreditar que está calmo e caem nos buracos formados pelo mar revolto.

“O trabalho dos guarda-vidas está sendo principalmente orientar para que situações como essa não ocorram. Porém é preciso cautela, o pessoal vai para a praia e se empolga, vão consumindo bebidas alcoólicas e resolvem entrar na água. O problema é que a primeira parte afetada pelo álcool são as pernas, e a pessoa vai perdendo o equilíbrio, não consegue controlar os movimentos, e isso facilita muito para afogamentos”, informa.

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade



Variedades

Parece coisa feita para promover o ex-prefeito, mesmo que prejudicando a imagem da cidade  


Variedades


Cidade

Ela participa há 8 anos da Associação Empresarial de Balneário Camboriú e Camboriú 


Seu Dinheiro

Reforma de Bolsonaro é mais dura que a proposta por Michel Temer 


Publicidade


Publicidade


Policia


Divulgação

Excelente opção para os micro empreendedores, pequenas empresas e freelancers.


Geral

Conselho Comunitário de Segurança Náutica e Cidadania de Balneário Camboriú


Publicidade



Publicidade



Publicidade



Publicidade



Publicidade



Publicidade



Publicidade

Página 3

Quatro pessoas se afogaram na Praia do Buraco, no sábado

Dois banhistas foram atendidos pelo Arcanjo, dos bombeiros
Dois banhistas foram atendidos pelo Arcanjo, dos bombeiros
Segunda, 11/1/2016 10:38.

Quatro pessoas caíram em uma corrente de retorno no início da tarde de sábado (9), na Praia do Buraco, em Balneário Camboriú, e tiveram de ser socorridas pelos guarda-vidas.

Segundo informações do sargento Jandir Martins, do Corpo de Bombeiros de Balneário, às 13h, as quatro pessoas passaram por esse susto. “Duas delas tiveram de ser encaminhadas pelo helicóptero Arcanjo e as outras duas pela ambulância ao Hospital Ruth Cardoso. Foi afogamento grau dois (elas ingeriram muita água e entraram em pânico) e foram atendidas para se recuperarem”, explica.

Martins salienta que o mar da região continua perigoso, pois está virando para Leste e essa condição faz com que o mar cresça e comece a abrir buracos. “Pedimos que o público observe os locais apropriados para banho. Há muitos pontos sinalizados com bandeira vermelha em Balneário Camboriú, e mesmo com a observação dos guarda-vidas esses locais são impróprios”, diz.

O sargento conta que outra grande preocupação é quando o mar voltar ao normal, pois é quando os banhistas começam a acreditar que está calmo e caem nos buracos formados pelo mar revolto.

“O trabalho dos guarda-vidas está sendo principalmente orientar para que situações como essa não ocorram. Porém é preciso cautela, o pessoal vai para a praia e se empolga, vão consumindo bebidas alcoólicas e resolvem entrar na água. O problema é que a primeira parte afetada pelo álcool são as pernas, e a pessoa vai perdendo o equilíbrio, não consegue controlar os movimentos, e isso facilita muito para afogamentos”, informa.

Publicidade

Publicidade