Jornal Página 3

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Centro de eventos caminhando para se transformar num elefante branco

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Arthur Miranda/PMBC.
Obra atrasada pode se transformar num sumidouro de dinheiro público.

Quarta, 24/2/2016 8:28.

O prefeito Edson Piriquito anunciou ontem que irá hoje a Brasília tentar “salvar” os recursos do governo federal destinados ao centro de eventos, obra que tem todos os elementos necessários para se transformar num elefante branco, um empreendimento inacabado.

Piriquito alega que a obra não pode parar porque é esperada há décadas pela comunidade. A última vez que ele falou algo semelhante foi sobre a Passarela da Barra, aquele monumento incabado à corrupção e má administração localizado no Barra Sul.

Transcorrido um terço do prazo previsto para a conclusão do centro de eventos, segundo o governo federal apenas 10% está executado e Brasília não enviou nenhum centavo dos R$ 55 milhões que é sua parte no empreendimento.

A execução atrasada, a falta de repasses federais e a inflação alta são condições perfeitas para transformar aquilo num elefante branco, um cemitério do dinheiro público semelhante a tantos espalhados pelo país.

A inflação alta trabalha contra a obra: reduz o valor real dos repasses dos governos federal e estadual e aumenta o custo da construção.

Desde que a presidente Dilma Rousseff prometeu dinheiro para o centro de eventos, em maio de 2013, este valor foi corroído em 22%. O mesmo ocorreu com o dinheiro comprometido pelo governo do estado.

O custo para construir subiu (2%) desde o início da construção e subirá substancialmente (provavelmente em torno de 5% a 6% em junho, mês em que o Custo Unitário Básico da Construção Civil sofre o impacto do reajuste salarial da categoria.

A previsão é que o construtor irá pedir reajuste e não há garantia que Estado e União aceitem pagar. Na pior hipótese a obra ficará parada enquanto discutem na justiça.

O governo federal deveria repassar regularmente recursos para o centro de eventos, de acordo com o andamento da obra, mas não repassou nada e ninguém sabe quando e se repassará porque está com o caixa quebrado, sob uma crise econômica e política com desfecho imprevisível.

Nessa situação é uma temeridade o que o prefeito Edson Piriquito está fazendo, já pagou R$ 4,33 milhões à construtora do centro de eventos sem saber se Brasília honrará sua parte.

Por sua vez o governo do estado enterrou 6,5 milhões, revelando uma rara disposição de pagar contas a empreiteiras.

O centro de eventos é uma obra boa para cidade, mas pessimamente planejada. Só foi resolvida a parte da construção, pelo menos outros R$ 25 milhões são necessários para mobiliar e implantar sistemas, mas o prefeito Edson Piriquito faz de conta que são meros detalhes, porque costuma proceder de maneira irresponsável e neste caso ainda deixará o problema para o próximo prefeito.

Publicidade

Publicidade

Publicidade



Educação

A comunidade de toda região está convidada para opinar


Eleições

Defendo congelar salários e vantagens dos deputados por 10 anos


Eleições

Ele é surdo e por isso conhece as dificuldades enfrentadas por pessoas em situação semelhante 


Eleições

Em entrevista ao Página 3 ele conta que quer ser deputado do empreendedorismo


Publicidade


Publicidade


Publicidade



Publicidade



Publicidade



Publicidade



Publicidade



Publicidade



Publicidade