Jornal Página 3

Publicidade

Publicidade

Publicidade

PM cancela distribuição de informativo à imprensa por e-mail
O curioso é que integrantes de uma instituição que existe para defender a lei tenham liberdade para desrespeitá-la

Terça, 16/2/2016 9:15.

O 12º Batalhão da Polícia Militar, sediado em Balneário Camboriú, resolveu suspender a remessa diária por e-mail de informativos à imprensa. Por coincidência isto ocorreu logo depois do Página 3 obter na justiça o direito de também receber esses informativos.

Sete meses atrás o jornal Página 3 foi cortado dos destinatários após criticar a maquiagem de informações por parte do comando do batalhão.

Na última quarta-feira o comando do 12º BPM decidiu que as informações serão divulgadas apenas no Facebook. Aquele espaço na rede social tem sido usado para divulgar fatos sociais e ocorrências que melhoram a imagem da PM como a recuperação de veículos roubados, traficantes e assaltantes presos etc.

Na verdade a PM continua enviando para a imprensa, através de WhatsApp, alertas das ocorrências, mas o telefone do editor do jornal também foi cortado sete meses atrás, portanto ele não recebe esses alertas.

Por causa disso, ontem foi registrada reclamação junto à Ouvidoria da PM. Caso a discriminação prossiga o jornal irá à justiça novamente porque o tratamento isonômico, igualitário, é garantido pela Constituição e não pelos caprichos de servidores públicos.  

O registro junto ao ouvidor da PM segue reproduzido abaixo:

Sr. Ouvidor

Cerca de 7 meses atrás entrei em contato com esta ouvidoria para registrar que o jornal que sou editor, o Página 3, sediado em Balneário Camboriú, estava sendo discriminado pelo comandante do 12º BPM, após publicar críticas ao referido oficial.

Como a discriminação continuou, o jornal foi à justiça e na semana passada assegurou o direito de receber os informativos por e-mail que são distribuídos diariamente a todos os veículos de imprensa da região, menos ao jornal que edito.

Para mais detalhes acesse aqui.

Após a decisão da justiça, o 12º BPM distribuiu nota oficial informando que esses informativos por e-mail acabaram, não serão mais produzidos, a comunicação da PM com a imprensa será através do Facebook.

Ocorre que a comunicação com a imprensa continua sendo feita também de outra forma, através do WhatsApp. Este serviço já era prestado aos jornalistas quando no comando anterior, mas meu telefone foi cortado dos destinatários após a publicação das reportagens onde o atual comandante foi criticado.

Dessa forma estou entrando em contato com a Ouvidoria para registrar minha inconformidade com o fato e solicitar providências do comandante geral da PMSC para que meu telefone (047) 8402.1643 seja incluído no serviço de Whats App mantido pelo 12º BPM. 

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade



Publicidade



Publicidade



Publicidade



Publicidade



Publicidade



Publicidade



Publicidade

Página 3

PM cancela distribuição de informativo à imprensa por e-mail

O curioso é que integrantes de uma instituição que existe para defender a lei tenham liberdade para desrespeitá-la
O curioso é que integrantes de uma instituição que existe para defender a lei tenham liberdade para desrespeitá-la
Terça, 16/2/2016 9:15.

O 12º Batalhão da Polícia Militar, sediado em Balneário Camboriú, resolveu suspender a remessa diária por e-mail de informativos à imprensa. Por coincidência isto ocorreu logo depois do Página 3 obter na justiça o direito de também receber esses informativos.

Sete meses atrás o jornal Página 3 foi cortado dos destinatários após criticar a maquiagem de informações por parte do comando do batalhão.

Na última quarta-feira o comando do 12º BPM decidiu que as informações serão divulgadas apenas no Facebook. Aquele espaço na rede social tem sido usado para divulgar fatos sociais e ocorrências que melhoram a imagem da PM como a recuperação de veículos roubados, traficantes e assaltantes presos etc.

Na verdade a PM continua enviando para a imprensa, através de WhatsApp, alertas das ocorrências, mas o telefone do editor do jornal também foi cortado sete meses atrás, portanto ele não recebe esses alertas.

Por causa disso, ontem foi registrada reclamação junto à Ouvidoria da PM. Caso a discriminação prossiga o jornal irá à justiça novamente porque o tratamento isonômico, igualitário, é garantido pela Constituição e não pelos caprichos de servidores públicos.  

O registro junto ao ouvidor da PM segue reproduzido abaixo:

Sr. Ouvidor

Cerca de 7 meses atrás entrei em contato com esta ouvidoria para registrar que o jornal que sou editor, o Página 3, sediado em Balneário Camboriú, estava sendo discriminado pelo comandante do 12º BPM, após publicar críticas ao referido oficial.

Como a discriminação continuou, o jornal foi à justiça e na semana passada assegurou o direito de receber os informativos por e-mail que são distribuídos diariamente a todos os veículos de imprensa da região, menos ao jornal que edito.

Para mais detalhes acesse aqui.

Após a decisão da justiça, o 12º BPM distribuiu nota oficial informando que esses informativos por e-mail acabaram, não serão mais produzidos, a comunicação da PM com a imprensa será através do Facebook.

Ocorre que a comunicação com a imprensa continua sendo feita também de outra forma, através do WhatsApp. Este serviço já era prestado aos jornalistas quando no comando anterior, mas meu telefone foi cortado dos destinatários após a publicação das reportagens onde o atual comandante foi criticado.

Dessa forma estou entrando em contato com a Ouvidoria para registrar minha inconformidade com o fato e solicitar providências do comandante geral da PMSC para que meu telefone (047) 8402.1643 seja incluído no serviço de Whats App mantido pelo 12º BPM. 

Publicidade

Publicidade