Jornal Página 3

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Bombeiros desmentem versão para aumento de custo do Centro de Eventos
Arquivo JP3.
Alegações falsas para justificar uma obra cara.

Segunda, 26/12/2016 8:12.

A área técnica do Corpo de Bombeiros desmentiu que tenha exigido mudanças no projeto do centro de eventos de Balneário Camboriú com impacto significativo no custo da obra.

As exigências dos Bombeiros foi um dos motivos que a empresa responsável pelo projeto, a Prosul Ltda., apontou para o custo da obra aumentar 53%.

No ofício 3319/14 enviado pela Prosul à secretaria estadual de Turismo, dentre outros argumentos para justificar o aumento de R$ 37 milhões no custo da obra, consta que “...houve determinação do Corpo de Bombeiros que fosse alterado o sistema de revestimento de elemento ACM, material que propaga chamas, para a solução de um material não propagante...”.

 

  Em outro trecho está escrito que “nas esquadrias, portas, janelas e aplicação de pele de vidro a concepção original foi alterada impactando no custo final do ítem para adequação das esquadrias dentro de um padrão de segurança exigido na aprovação pelo Corpo de Bombeiros...”.

 

 São afirmações desmentida pelos Bombeiros que consultados enviaram ao Página 3 a seguinte resposta:

- O Corpo de Bombeiros não determinou a mudança de esquadrias de portas e/ou janelas, salvo no que tange a largura das portas de emergência, tendo sido, como segue, a observação no relatório da primeira análise: "Cotar a largura das escadas e rampas localizadas na área das docas, que deverão dispor de piso antiderrapante e incombustível, além dos corrimãos".

- O bombeiro não determinou mudança do material de revestimento das fechadas. O bombeiro realizou a seguinte consideração na segunda e igualmente na terceira análise: "Na planta de cobertura especificar o tipo de telha a ser utilizada como captor natural, espessura e seção mínima da mesma".

O Página3 continua afirmando, porque isso é evidente, que há suspeitas de fraudes na obra que precisam ser esclarecidas antes da prefeitura colocar mais dinheiro no negócio.

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade



Publicidade



Publicidade



Publicidade



Publicidade



Publicidade



Publicidade



Publicidade

Página 3

Bombeiros desmentem versão para aumento de custo do Centro de Eventos

Arquivo JP3.
Alegações falsas para justificar uma obra cara.
Alegações falsas para justificar uma obra cara.
Segunda, 26/12/2016 8:12.

A área técnica do Corpo de Bombeiros desmentiu que tenha exigido mudanças no projeto do centro de eventos de Balneário Camboriú com impacto significativo no custo da obra.

As exigências dos Bombeiros foi um dos motivos que a empresa responsável pelo projeto, a Prosul Ltda., apontou para o custo da obra aumentar 53%.

No ofício 3319/14 enviado pela Prosul à secretaria estadual de Turismo, dentre outros argumentos para justificar o aumento de R$ 37 milhões no custo da obra, consta que “...houve determinação do Corpo de Bombeiros que fosse alterado o sistema de revestimento de elemento ACM, material que propaga chamas, para a solução de um material não propagante...”.

 

  Em outro trecho está escrito que “nas esquadrias, portas, janelas e aplicação de pele de vidro a concepção original foi alterada impactando no custo final do ítem para adequação das esquadrias dentro de um padrão de segurança exigido na aprovação pelo Corpo de Bombeiros...”.

 

 São afirmações desmentida pelos Bombeiros que consultados enviaram ao Página 3 a seguinte resposta:

- O Corpo de Bombeiros não determinou a mudança de esquadrias de portas e/ou janelas, salvo no que tange a largura das portas de emergência, tendo sido, como segue, a observação no relatório da primeira análise: "Cotar a largura das escadas e rampas localizadas na área das docas, que deverão dispor de piso antiderrapante e incombustível, além dos corrimãos".

- O bombeiro não determinou mudança do material de revestimento das fechadas. O bombeiro realizou a seguinte consideração na segunda e igualmente na terceira análise: "Na planta de cobertura especificar o tipo de telha a ser utilizada como captor natural, espessura e seção mínima da mesma".

O Página3 continua afirmando, porque isso é evidente, que há suspeitas de fraudes na obra que precisam ser esclarecidas antes da prefeitura colocar mais dinheiro no negócio.

Publicidade

Publicidade