Jornal Página 3

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Falta divulgação: CVV de Balneário recebe média de 30 ligações mensais

Terça, 19/4/2016 11:01.

Apesar de um alto índice de suicídios na cidade, ainda é pequena a procura por apoio emocional disponível. O coordenador geral do Centro de Valorização à Vida (CVV) de Balneário Camboriú, José de Arimatéa Moraes disse que ainda é restrito o atendimento, porque as pessoas não conhecem o trabalho. “Está faltando divulgação”, observou.

Atualmente o CVV possui 17 voluntários plantonistas e outros oito candidatos fazendo o curso que termina no início de maio. Eles atendem média de 30 ligações por mês, considerado um número baixo.

“A ligação é paga, o que acaba desestimulando o contato também”, acrescentou o coordenador. Em algumas cidades, o Ministério da Saúde já liberou a gratuidade do contato. O atendimento presencial está comprometido.

O CVV funciona em uma sala da secretaria do Idoso, mas em função de reformas, fica difícil atender no local. “Mesmo assim prestamos atendimento para alguns idosos que vão até lá”, informou Arimatéa.

Por isso o atendimento no momento é praticamente só por telefone, mas em breve será possível contatar via internet, o que deverá mudar o cenário. Quem precisar de atendimento deve ligar para 2033-2411.

O Centro de Valorização da Vida realiza apoio emocional e prevenção do suicídio, atendendo voluntária e gratuitamente todas as pessoas que querem e precisam conversar, sob total sigilo. Para saber mais acesse http://www.cvv.org.br/

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade



Publicidade



Publicidade



Publicidade



Publicidade



Publicidade



Publicidade



Publicidade

Página 3

Falta divulgação: CVV de Balneário recebe média de 30 ligações mensais

Terça, 19/4/2016 11:01.

Apesar de um alto índice de suicídios na cidade, ainda é pequena a procura por apoio emocional disponível. O coordenador geral do Centro de Valorização à Vida (CVV) de Balneário Camboriú, José de Arimatéa Moraes disse que ainda é restrito o atendimento, porque as pessoas não conhecem o trabalho. “Está faltando divulgação”, observou.

Atualmente o CVV possui 17 voluntários plantonistas e outros oito candidatos fazendo o curso que termina no início de maio. Eles atendem média de 30 ligações por mês, considerado um número baixo.

“A ligação é paga, o que acaba desestimulando o contato também”, acrescentou o coordenador. Em algumas cidades, o Ministério da Saúde já liberou a gratuidade do contato. O atendimento presencial está comprometido.

O CVV funciona em uma sala da secretaria do Idoso, mas em função de reformas, fica difícil atender no local. “Mesmo assim prestamos atendimento para alguns idosos que vão até lá”, informou Arimatéa.

Por isso o atendimento no momento é praticamente só por telefone, mas em breve será possível contatar via internet, o que deverá mudar o cenário. Quem precisar de atendimento deve ligar para 2033-2411.

O Centro de Valorização da Vida realiza apoio emocional e prevenção do suicídio, atendendo voluntária e gratuitamente todas as pessoas que querem e precisam conversar, sob total sigilo. Para saber mais acesse http://www.cvv.org.br/

Publicidade

Publicidade