Jornal Página 3

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Mulher morre após inalar lança-perfume caseiro

Segunda, 18/4/2016 10:47.

A droga conhecida popularmente como ‘cheirinho-da-loló’, que é um lança-perfume caseiro, fez uma vítima em Balneário Camboriú. Uma mulher de 27 anos faleceu na madrugada de domingo (17) após usar o entorpecente.

A Polícia Militar foi chamada para ir até o Pronto Atendimento (PA) do Bairro da Barra às 4h de domingo, pois um mulher que já estava morta havia sido encaminhada ao local.

Lá, os policiais conversaram com testemunhas. Eles informaram que estavam em uma festa e que a moça estava com uma lata na mão, ingerindo a droga. Em certo momento ela desmaiou e começou a ter convulsões. Prontamente ela foi encaminhada ao PA, onde chegou já sem vida.

A vítima possuía passagens pela polícia por crimes como ameaça contra mulher, lesão corporal dolosa contra mulher e tentativa de homicídio doloso contra homem.

A droga

O loló é preparado clandestinamento misturando clorofórmio e éter e é inalado pela boca ou pelo nariz. A droga é alucinógena e costuma deixa o usuário animado/desinibido. No Brasil, a droga caseira é proibida porque pode levar o usuário a ter parada cardíaca e falecer, como foi o caso da mulher de Balneário.

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade



Variedades

A chegada do bom velhinho também dá inicio a uma intensa programação cultural  


Cidade

Toda a comunidade pode participar no próximo domingo


Cidade

Centro de Eventos de Balneário Camboriú será o maior do Sul do país  


Cidade

Obra é cara e mal explicada 


Publicidade


Publicidade


Publicidade



Publicidade



Publicidade



Publicidade



Publicidade



Publicidade



Publicidade

Página 3

Mulher morre após inalar lança-perfume caseiro

Segunda, 18/4/2016 10:47.

A droga conhecida popularmente como ‘cheirinho-da-loló’, que é um lança-perfume caseiro, fez uma vítima em Balneário Camboriú. Uma mulher de 27 anos faleceu na madrugada de domingo (17) após usar o entorpecente.

A Polícia Militar foi chamada para ir até o Pronto Atendimento (PA) do Bairro da Barra às 4h de domingo, pois um mulher que já estava morta havia sido encaminhada ao local.

Lá, os policiais conversaram com testemunhas. Eles informaram que estavam em uma festa e que a moça estava com uma lata na mão, ingerindo a droga. Em certo momento ela desmaiou e começou a ter convulsões. Prontamente ela foi encaminhada ao PA, onde chegou já sem vida.

A vítima possuía passagens pela polícia por crimes como ameaça contra mulher, lesão corporal dolosa contra mulher e tentativa de homicídio doloso contra homem.

A droga

O loló é preparado clandestinamento misturando clorofórmio e éter e é inalado pela boca ou pelo nariz. A droga é alucinógena e costuma deixa o usuário animado/desinibido. No Brasil, a droga caseira é proibida porque pode levar o usuário a ter parada cardíaca e falecer, como foi o caso da mulher de Balneário.

Publicidade

Publicidade