Jornal Página 3
PÁGINA 3 / Fama
'É violência, sim', diz Deborah Secco sobre cena de sexo em 'Segundo Sol'

Sexta, 3/8/2018 8:45.

Publicidade

SÃO PAULO, SP (FOLHAPRESS) - "É violência, sim. É absurdo, sim. É difícil de assistir, sim". Foi assim que a atriz Deborah Secco, 38, definiu a cena de sexo entre sua personagem, Karola, e Remy, vivido por Vladimir Brichta, no capítulo desta quinta-feira (2) da novela "Segundo Sol" (Globo).

Apesar de serem amantes desde o início da trama, Karola passou a ser chantageada por Remy, que agora sabe a verdade sobre Valentim (Danilo Mesquita), roubado de Luzia (Giovanna Antonelli) logo depois do parto. O striptease e o sexo foram exigência do malandro, sob a ameaça de que revelaria tudo.

"Pra quem não viu, a cena foi a vilã sendo sexualmente violentada pelo amante. Pode até ter existido quem se divertiu com a dor dela, ter achado que ela merecia, mas a maioria me perguntou se eu tinha enxergado a violência da cena. Claro que enxerguei. Claro que sentimos isso na hora de gravar", disse Secco em sua conta no Instagram.

A atriz também falou da importância de ter esse tipo de situação retratada na dramaturgia e questionou: "O que seria da arte se não fosse a provocação? Se não nos fizesse chorar, rir, nos indignar... ?". "Que bom ver o papel provocador da arte se implementar em forma de indignação. Essa é a nossa função na sociedade".

A mensagem da atriz foi seguida por uma série de comentários de elogio e indignação com a situação da personagem: "Eu fui uma das que fiquei angustiada. É violência, sim. A partir do momento que uma mulher não quer e não dá consentimento", disse uma; "Que cena! O impacto, a angústia. Parabéns pelo grande talento, sou fã demais", falou outra.


Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade


Publicidade














Página 3

'É violência, sim', diz Deborah Secco sobre cena de sexo em 'Segundo Sol'

Publicidade

Sexta, 3/8/2018 8:45.

SÃO PAULO, SP (FOLHAPRESS) - "É violência, sim. É absurdo, sim. É difícil de assistir, sim". Foi assim que a atriz Deborah Secco, 38, definiu a cena de sexo entre sua personagem, Karola, e Remy, vivido por Vladimir Brichta, no capítulo desta quinta-feira (2) da novela "Segundo Sol" (Globo).

Apesar de serem amantes desde o início da trama, Karola passou a ser chantageada por Remy, que agora sabe a verdade sobre Valentim (Danilo Mesquita), roubado de Luzia (Giovanna Antonelli) logo depois do parto. O striptease e o sexo foram exigência do malandro, sob a ameaça de que revelaria tudo.

"Pra quem não viu, a cena foi a vilã sendo sexualmente violentada pelo amante. Pode até ter existido quem se divertiu com a dor dela, ter achado que ela merecia, mas a maioria me perguntou se eu tinha enxergado a violência da cena. Claro que enxerguei. Claro que sentimos isso na hora de gravar", disse Secco em sua conta no Instagram.

A atriz também falou da importância de ter esse tipo de situação retratada na dramaturgia e questionou: "O que seria da arte se não fosse a provocação? Se não nos fizesse chorar, rir, nos indignar... ?". "Que bom ver o papel provocador da arte se implementar em forma de indignação. Essa é a nossa função na sociedade".

A mensagem da atriz foi seguida por uma série de comentários de elogio e indignação com a situação da personagem: "Eu fui uma das que fiquei angustiada. É violência, sim. A partir do momento que uma mulher não quer e não dá consentimento", disse uma; "Que cena! O impacto, a angústia. Parabéns pelo grande talento, sou fã demais", falou outra.


Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade