Jornal Página 3
PÁGINA 3 / Esporte
Jogos Escolares de Balneário Camboriú foram cancelados para evitar aglomerações

Decisão tomada por organizadores, Fundação de Esportes e secretaria de Educação

Terça, 12/5/2020 17:50.
Divulgação/FMEBC
Comemorações na edição dos JEBC ano passado

Publicidade

A maior competição de âmbito municipal, os Jogos Escolares de Balneário Camboriú (JEBC e Jebequinho), que estavam programados para outubro, envolvendo mais de dois mil estudantes, foram cancelados. A decisão foi tomada após reunião entre os organizadores, a Fundação Municipal de Esportes (FMEBC) e a secretaria da Educação.

No ano passado a competição foi realizada em dois momentos: Jebequinho (12 a 14 anos) e JEBC (15 a 17 anos).

O superintendente da Fundação, Osmar de Miranda (Mazinho) disse que este ano a competição seria integrada novamente, ou seja, as duas categorias disputariam os jogos no mesmo período.

“Ficamos preocupados com a aglomeração nos ginásios por exemplo, cerca de 300 alunos, mais os pais, a questão do transporte dos alunos em ônibus escolar, pensamos tudo isso e achamos que seria mais prudente cancelar a competição”, disse.

Outro fator que contribuiu para a decisão é que o calendário escolar está prejudicado, atrasado e suspenso por tempo indeterminado.

“Os jogos normalmente ocupam em torno de 20 dias do calendário, então somamos tudo isso e decidimos, de comum acordo, não realizar a competição neste ano”, afirmou Mazinho.

Calendário estadual

A Fesporte ainda não decidiu a respeito da programação esportiva de âmbito estadual, Joguinhos, Olesc, JASC.

Esta semana aconteceu uma reunião com os superintendentes das fundações municipais que esperavam um posicionamento, que não aconteceu.

“Com o fechamento no oeste do Estado, Chapecó, Concórdia, ficou um ponto de interrogação no ar, ainda não houve decisão sobre cumprir o calendário ou não”, salientou Mazinho.

Escolinhas

Apesar do último decreto do governador Carlos Moisés ter autorizado a volta das escolinhas esportivas, treinamentos amadores e profissionais, a Fundação Municipal decidirá somente nesta terça-feira (12), após reunião com treinadores e professores, se vai aderir ou não. São quase 30 escolinhas paradas desde março em Balneário Camboriú.

“O decreto autoriza o retorno somente de 12 anos para cima e em caso de sintomas, o atleta deve procurar o médico. Tudo isso será analisado nesta reunião”, afirmou o superintendente da Fundação.

Mutirão de manutenção

A Fundação Municipal está aproveitando a ‘parada’ durante a pandemia, para fazer um mutirão de manutenção e melhorias nos ginásios, nos campos, na praça da Integração e nas 10 estações de academias na avenida Atlântica.

Para isso, a Fundação solicitou para a Câmara Municipal a transferência de R$ 150 mil do seu orçamento previsto para eventos que não estão acontecendo, para fazer esse mutirão.

Segundo Mazinho, também está em andamento um orçamento para substituir os equipamentos para prática de exercícios espalhados pela cidade. Mazinho citou, por exemplo, a academia da Praça da Bíblia.

“Os equipamentos estão enferrujados, estamos orçando para ver se conseguimos substituí-los por aparelhos de inox com durabilidade muito maior”, concluiu o superintendente da FMEBC.


Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade


Publicidade














Página 3
Divulgação/FMEBC
Comemorações na edição dos JEBC ano passado
Comemorações na edição dos JEBC ano passado

Jogos Escolares de Balneário Camboriú foram cancelados para evitar aglomerações

Decisão tomada por organizadores, Fundação de Esportes e secretaria de Educação

Publicidade

Terça, 12/5/2020 17:50.

A maior competição de âmbito municipal, os Jogos Escolares de Balneário Camboriú (JEBC e Jebequinho), que estavam programados para outubro, envolvendo mais de dois mil estudantes, foram cancelados. A decisão foi tomada após reunião entre os organizadores, a Fundação Municipal de Esportes (FMEBC) e a secretaria da Educação.

No ano passado a competição foi realizada em dois momentos: Jebequinho (12 a 14 anos) e JEBC (15 a 17 anos).

O superintendente da Fundação, Osmar de Miranda (Mazinho) disse que este ano a competição seria integrada novamente, ou seja, as duas categorias disputariam os jogos no mesmo período.

“Ficamos preocupados com a aglomeração nos ginásios por exemplo, cerca de 300 alunos, mais os pais, a questão do transporte dos alunos em ônibus escolar, pensamos tudo isso e achamos que seria mais prudente cancelar a competição”, disse.

Outro fator que contribuiu para a decisão é que o calendário escolar está prejudicado, atrasado e suspenso por tempo indeterminado.

“Os jogos normalmente ocupam em torno de 20 dias do calendário, então somamos tudo isso e decidimos, de comum acordo, não realizar a competição neste ano”, afirmou Mazinho.

Calendário estadual

A Fesporte ainda não decidiu a respeito da programação esportiva de âmbito estadual, Joguinhos, Olesc, JASC.

Esta semana aconteceu uma reunião com os superintendentes das fundações municipais que esperavam um posicionamento, que não aconteceu.

“Com o fechamento no oeste do Estado, Chapecó, Concórdia, ficou um ponto de interrogação no ar, ainda não houve decisão sobre cumprir o calendário ou não”, salientou Mazinho.

Escolinhas

Apesar do último decreto do governador Carlos Moisés ter autorizado a volta das escolinhas esportivas, treinamentos amadores e profissionais, a Fundação Municipal decidirá somente nesta terça-feira (12), após reunião com treinadores e professores, se vai aderir ou não. São quase 30 escolinhas paradas desde março em Balneário Camboriú.

“O decreto autoriza o retorno somente de 12 anos para cima e em caso de sintomas, o atleta deve procurar o médico. Tudo isso será analisado nesta reunião”, afirmou o superintendente da Fundação.

Mutirão de manutenção

A Fundação Municipal está aproveitando a ‘parada’ durante a pandemia, para fazer um mutirão de manutenção e melhorias nos ginásios, nos campos, na praça da Integração e nas 10 estações de academias na avenida Atlântica.

Para isso, a Fundação solicitou para a Câmara Municipal a transferência de R$ 150 mil do seu orçamento previsto para eventos que não estão acontecendo, para fazer esse mutirão.

Segundo Mazinho, também está em andamento um orçamento para substituir os equipamentos para prática de exercícios espalhados pela cidade. Mazinho citou, por exemplo, a academia da Praça da Bíblia.

“Os equipamentos estão enferrujados, estamos orçando para ver se conseguimos substituí-los por aparelhos de inox com durabilidade muito maior”, concluiu o superintendente da FMEBC.


Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade