Jornal Página 3

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Clube com mais trocas de treinador desde 2012, São Paulo anuncia Cuca

Sexta, 15/2/2019 4:34.

(FOLHAPRESS) - Após a eliminação do São Paulo na Libertadores, na quarta (13), o técnico André Jardine foi mais um a entrar para a lista de treinadores demitidos pela direção tricolor recentemente.

No lugar de Jardine, que permanecerá trabalhando no São Paulo, a diretoria anunciou Cuca como novo treinador. Por questões médicas, porém, ele não assumirá a equipe imediatamente.

O time será comandado temporariamente por Vagner Mancini, coordenador técnico, até o fim do Campeonato Paulista. Uma indicação do próprio Cuca, segundo o diretor de futebol, Raí.

"Não há a menor possibilidade de o Vagner Mancini assumir em qualquer hipótese", afirmou o próprio Vagner Mancini, em 6 de janeiro, quando concedeu sua primeira entrevista como coordenador técnico do São Paulo.

"Desde o início, [Mancini] não pensava e não queria ser o treinador do São Paulo, mas, devido às circunstâncias, Cuca sugeriu: 'Por que não Mancini ficar nesse período'?", disse Raí, em entrevista ao lado do presidente Carlos Augusto de Barros e Silva, o Leco, nesta quinta.

Essa será a segunda passagem de Cuca pelo Morumbi. Em 2004, ele comandou a equipe 51 vezes, com aproveitamento de 64%. Naquela temporada, o São Paulo caiu na semifinal da Libertadores contra o Once Caldas (COL), e o treinador acabou demitido dois meses depois, por problemas com a diretoria.

Cuca estava sem clube desde o final do ano passado, quando deixou o Santos para cuidar de sua saúde. Ele passou por uma cirurgia no coração no dia 6 de dezembro. Um problema foi detectado depois de o treinador ter tido uma ameaça de infarto no jogo contra o Cruzeiro, em 23 de setembro, pelo Brasileiro.

O novo treinador são-paulino comandou o Santos em 26 partidas na última temporada. Foram 10 vitórias, 8 empates e 8 derrotas. Um aproveitamento de 48,7%.

Antes, Cuca teve duas passagens pelo Palmeiras. Na primeira delas, em 2016, levou o time alviverde ao fim de um jejum de 22 anos sem conquistar o Brasileiro.

Ao término daquela temporada, alegou problemas familiares para não renovar contrato, mas retornou ao clube cinco meses depois, para assumir a vaga do então demitido Eduardo Baptista.

Desde que o clube do Morumbi conquistou seu último título, a Copa Sul-Americana de 2012, nenhum dos quatro grandes da capital paulista demitiu mais técnicos que o tricolor, que vai para sua 11ª troca de comando -sem contar os interinos.

Campeão do torneio continental há seis anos, Ney Franco deu lugar a Paulo Autuori em 2013. Vieram em seguida Muricy Ramalho (2013-2015), Juan Carlos Osorio (2015), Doriva (2015), Edgardo Bauza (2016), Ricardo Gomes (2016), Rogério Ceni (2017), Dorival Júnior (2017-2018), Diego Aguirre (2018) e André Jardine (2018-2019).

Logo atrás do São Paulo na lista de demissões vem o Palmeiras, com dez trocas. O Santos, desde o título são-paulino na Sul-Americana, trocou nove vezes de comando. O Corinthians foi o que menos mudou: oito.

Jardine foi dispensado da função de treinador com o pior aproveitamento desde Doriva (33,3%). Em quinze partidas desde que assumiu a equipe, Jardine obteve quatro vitórias, três empates e oito derrotas: também 33,3%. 

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade



Publicidade



Publicidade



Publicidade



Publicidade



Publicidade



Publicidade

Página 3

Clube com mais trocas de treinador desde 2012, São Paulo anuncia Cuca

Publicidade

Sexta, 15/2/2019 4:34.

(FOLHAPRESS) - Após a eliminação do São Paulo na Libertadores, na quarta (13), o técnico André Jardine foi mais um a entrar para a lista de treinadores demitidos pela direção tricolor recentemente.

No lugar de Jardine, que permanecerá trabalhando no São Paulo, a diretoria anunciou Cuca como novo treinador. Por questões médicas, porém, ele não assumirá a equipe imediatamente.

O time será comandado temporariamente por Vagner Mancini, coordenador técnico, até o fim do Campeonato Paulista. Uma indicação do próprio Cuca, segundo o diretor de futebol, Raí.

"Não há a menor possibilidade de o Vagner Mancini assumir em qualquer hipótese", afirmou o próprio Vagner Mancini, em 6 de janeiro, quando concedeu sua primeira entrevista como coordenador técnico do São Paulo.

"Desde o início, [Mancini] não pensava e não queria ser o treinador do São Paulo, mas, devido às circunstâncias, Cuca sugeriu: 'Por que não Mancini ficar nesse período'?", disse Raí, em entrevista ao lado do presidente Carlos Augusto de Barros e Silva, o Leco, nesta quinta.

Essa será a segunda passagem de Cuca pelo Morumbi. Em 2004, ele comandou a equipe 51 vezes, com aproveitamento de 64%. Naquela temporada, o São Paulo caiu na semifinal da Libertadores contra o Once Caldas (COL), e o treinador acabou demitido dois meses depois, por problemas com a diretoria.

Cuca estava sem clube desde o final do ano passado, quando deixou o Santos para cuidar de sua saúde. Ele passou por uma cirurgia no coração no dia 6 de dezembro. Um problema foi detectado depois de o treinador ter tido uma ameaça de infarto no jogo contra o Cruzeiro, em 23 de setembro, pelo Brasileiro.

O novo treinador são-paulino comandou o Santos em 26 partidas na última temporada. Foram 10 vitórias, 8 empates e 8 derrotas. Um aproveitamento de 48,7%.

Antes, Cuca teve duas passagens pelo Palmeiras. Na primeira delas, em 2016, levou o time alviverde ao fim de um jejum de 22 anos sem conquistar o Brasileiro.

Ao término daquela temporada, alegou problemas familiares para não renovar contrato, mas retornou ao clube cinco meses depois, para assumir a vaga do então demitido Eduardo Baptista.

Desde que o clube do Morumbi conquistou seu último título, a Copa Sul-Americana de 2012, nenhum dos quatro grandes da capital paulista demitiu mais técnicos que o tricolor, que vai para sua 11ª troca de comando -sem contar os interinos.

Campeão do torneio continental há seis anos, Ney Franco deu lugar a Paulo Autuori em 2013. Vieram em seguida Muricy Ramalho (2013-2015), Juan Carlos Osorio (2015), Doriva (2015), Edgardo Bauza (2016), Ricardo Gomes (2016), Rogério Ceni (2017), Dorival Júnior (2017-2018), Diego Aguirre (2018) e André Jardine (2018-2019).

Logo atrás do São Paulo na lista de demissões vem o Palmeiras, com dez trocas. O Santos, desde o título são-paulino na Sul-Americana, trocou nove vezes de comando. O Corinthians foi o que menos mudou: oito.

Jardine foi dispensado da função de treinador com o pior aproveitamento desde Doriva (33,3%). Em quinze partidas desde que assumiu a equipe, Jardine obteve quatro vitórias, três empates e oito derrotas: também 33,3%. 

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade