Jornal Página 3
PÁGINA 3 / Esporte
Em jogo fraco, Botafogo e Chapecoense empatam sem gols no Engenhão

Terça, 27/8/2019 8:59.

Publicidade

Botafogo e Chapecoense empataram sem gols, nesta segunda-feira à noite, no Engenhão, no Rio de Janeiro, pela 16ª rodada do Campeonato Brasileiro. O resultado foi ruim para as duas equipes. Os cariocas continuam em nono lugar, com 23 pontos, enquanto os catarinenses seguem na zona do rebaixamento, na 17ª colocação, com 14 pontos.

A postura ofensiva da Chapecoense no primeiro tempo assustou o Botafogo, que teve dificuldades em sair de seu campo, recepcionado quase sempre por seis jogadores do adversário.

A equipe carioca tentou trocar passes, mas não ultrapassou a barreira dos catarinenses, que apostaram nos lançamentos longos. Como ambos os lados fracassaram, os goleiros quase não foram incomodados nos primeiros 45 minutos.

Gatito fez a primeira defesa aos 24 minutos, em chute de fora da área de Camilo. O Botafogo acordou no jogo e concentrou suas jogadas pelo lado esquerdo. Dali foi feito o cruzamento de Luiz Fernando para a cabeça de Diego Souza, que saiu à direita de Tiepo. Pelo mesmo setor, Alex Santana acertou cruzamento, mas ninguém surgiu na pequena área para empurrar a bola para dentro

Os jogadores continuaram mal nas finalizações. Luiz Fernando e Lucas Campos erraram pelo Botafogo e Gum, pela Chapecoense. Tiepo só foi fazer uma defesa aos 45 minutos por causa de um chute longo de Alex Santana.

O Botafogo voltou diferente para o segundo tempo. Mais agressivo, conseguiu uma bola na trave logo aos três minutos, após cabeçada de Alex Santana. Com os cariocas mais ofensivos, a Chapecoense encontrou espaços para os contra-ataques. Aos 11, em jogada de todo o setor de ataque, Camilo tocou para Augusto bater. Gatito pegou firme.

Aos 17 minutos, o momento de maior emoção para a torcida no Engenhão. Lançado, Diego Souza tirou de Tiepo. A bola foi em direção do gol, mas Gum salvou em cima da linha.

Com muitos erros de passes e aparente cansaço das equipes, o jogo ficou aberto no meio-campo. Os times tinham facilidade para chegar à área adversária, mas faltou inspiração para os atacantes conseguirem lances perigosos.

Aos 34, em lance isolado, Renato Kayzer acertou uma bomba de fora da área e Gatito mandou para escanteio. Vendo o adversário crescer na partida, a torcida do Botafogo começou a incentivar o time. O incentivo deu certo e Diego Souza tentou uma puxada e quase surpreendeu Tiepo, aos 40. A Chapecoense não se entregou e, aos 43, Everaldo escapou no contra-ataque e chutou com perigo à direita de Gatito. Ele tinha três opções de passe.

Gum, pela Chapecoense, e Alex Santana, em lindo voleio, ainda tiveram chances de gol nos acréscimos. A torcida do Botafogo não perdoou e vaiou o resultado.

FICHA TÉCNICA:

BOTAFOGO 0 x 0 CHAPECOENSE

BOTAFOGO - Gatito Fernández; Marcinho, Joel Carli, Gabriel e Gilson; Gustavo Bochecha, Alex Santana, João Paulo (Marcos Vinícius) e Luiz Fernando (Rhuan); Diego Souza e Lucas Campos (Victor Rangel). Técnico: Eduardo Barroca.

CHAPECOENSE - Tiepo; Eduardo, Gum, Maurício Ramos e Bruno Pacheco; Márcio Araújo, Gustavo Campanharo, Augusto (Renato Kayzer) e Camilo (Amaral); Arthur Gomes (Bryan) e Everaldo. Técnico: Emerson Cris.

ÁRBITRA - Edina Alves Batista (SP).

CARTÕES AMARELOS - Marcinho, Everaldo e Victor Rangel.

RENDA - R$ 216.404,00.

PÚBLICO - 7.095 pagantes (8.241 no total).

LOCAL - Estádio Engenhão, no Rio de Janeiro (RJ).


Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade













Página 3

Em jogo fraco, Botafogo e Chapecoense empatam sem gols no Engenhão

Publicidade

Terça, 27/8/2019 8:59.

Botafogo e Chapecoense empataram sem gols, nesta segunda-feira à noite, no Engenhão, no Rio de Janeiro, pela 16ª rodada do Campeonato Brasileiro. O resultado foi ruim para as duas equipes. Os cariocas continuam em nono lugar, com 23 pontos, enquanto os catarinenses seguem na zona do rebaixamento, na 17ª colocação, com 14 pontos.

A postura ofensiva da Chapecoense no primeiro tempo assustou o Botafogo, que teve dificuldades em sair de seu campo, recepcionado quase sempre por seis jogadores do adversário.

A equipe carioca tentou trocar passes, mas não ultrapassou a barreira dos catarinenses, que apostaram nos lançamentos longos. Como ambos os lados fracassaram, os goleiros quase não foram incomodados nos primeiros 45 minutos.

Gatito fez a primeira defesa aos 24 minutos, em chute de fora da área de Camilo. O Botafogo acordou no jogo e concentrou suas jogadas pelo lado esquerdo. Dali foi feito o cruzamento de Luiz Fernando para a cabeça de Diego Souza, que saiu à direita de Tiepo. Pelo mesmo setor, Alex Santana acertou cruzamento, mas ninguém surgiu na pequena área para empurrar a bola para dentro

Os jogadores continuaram mal nas finalizações. Luiz Fernando e Lucas Campos erraram pelo Botafogo e Gum, pela Chapecoense. Tiepo só foi fazer uma defesa aos 45 minutos por causa de um chute longo de Alex Santana.

O Botafogo voltou diferente para o segundo tempo. Mais agressivo, conseguiu uma bola na trave logo aos três minutos, após cabeçada de Alex Santana. Com os cariocas mais ofensivos, a Chapecoense encontrou espaços para os contra-ataques. Aos 11, em jogada de todo o setor de ataque, Camilo tocou para Augusto bater. Gatito pegou firme.

Aos 17 minutos, o momento de maior emoção para a torcida no Engenhão. Lançado, Diego Souza tirou de Tiepo. A bola foi em direção do gol, mas Gum salvou em cima da linha.

Com muitos erros de passes e aparente cansaço das equipes, o jogo ficou aberto no meio-campo. Os times tinham facilidade para chegar à área adversária, mas faltou inspiração para os atacantes conseguirem lances perigosos.

Aos 34, em lance isolado, Renato Kayzer acertou uma bomba de fora da área e Gatito mandou para escanteio. Vendo o adversário crescer na partida, a torcida do Botafogo começou a incentivar o time. O incentivo deu certo e Diego Souza tentou uma puxada e quase surpreendeu Tiepo, aos 40. A Chapecoense não se entregou e, aos 43, Everaldo escapou no contra-ataque e chutou com perigo à direita de Gatito. Ele tinha três opções de passe.

Gum, pela Chapecoense, e Alex Santana, em lindo voleio, ainda tiveram chances de gol nos acréscimos. A torcida do Botafogo não perdoou e vaiou o resultado.

FICHA TÉCNICA:

BOTAFOGO 0 x 0 CHAPECOENSE

BOTAFOGO - Gatito Fernández; Marcinho, Joel Carli, Gabriel e Gilson; Gustavo Bochecha, Alex Santana, João Paulo (Marcos Vinícius) e Luiz Fernando (Rhuan); Diego Souza e Lucas Campos (Victor Rangel). Técnico: Eduardo Barroca.

CHAPECOENSE - Tiepo; Eduardo, Gum, Maurício Ramos e Bruno Pacheco; Márcio Araújo, Gustavo Campanharo, Augusto (Renato Kayzer) e Camilo (Amaral); Arthur Gomes (Bryan) e Everaldo. Técnico: Emerson Cris.

ÁRBITRA - Edina Alves Batista (SP).

CARTÕES AMARELOS - Marcinho, Everaldo e Victor Rangel.

RENDA - R$ 216.404,00.

PÚBLICO - 7.095 pagantes (8.241 no total).

LOCAL - Estádio Engenhão, no Rio de Janeiro (RJ).


Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade