Jornal Página 3
PÁGINA 3 / Esporte
Fluminense bate o Cuenca outra vez e pega o Nacional (URU) na Sul-Americana

Sexta, 5/10/2018 7:22.

Publicidade

RIO DE JANEIRO, RJ (UOL/FOLHAPRESS) - Diante de 39.157 torcedores no Maracanã, o Fluminense fez o seu dever de casa ao bater o Deportivo Cuenca por 2 a 0, com gols de Digão e Richard. Como havia vencido pelo mesmo placar em Quito, o time carioca carimbou sua vaga às quartas de final da Copa Sul-Americana.

O Fluminense não coreu riscos e fez um jogo organizado e de muita aplicação. Essa postura liquidou as possibilidades do time visitante, que pouco perigo ofereceu atuando no Rio de Janeiro.

Com a missão cumprida, o Fluminense volta suas atenções para o Paraná, rival da próxima segunda-feira, 20h, no Maracanã. Pela competição continental, o time de Marcelo Oliveira encara o Nacional (URU) na próxima fase.

Mesmo com uma vantagem confortável, o Fluminense foi a equipe que buscou o jogo na primeira etapa. Com muita disposição, os tricolores entraram no embalo da torcida e tentaram agredir.

Apesar da postura agressiva, o Flu não conseguiu ameaçar com muito perigo a meta equatoriana. A disparidade, no entanto, era grande, e assim saiu o primeiro gol com tranquilidade. Após cobrança de falta, a zaga rival falhou e Digão, sem marcação, chutou para vencer Heras, aos 33min.

Ante um adversário vencido, o Fluminense não precisou fazer muito esforço para chegar na frente de Heras, que fez um milagre em chute de Jadson. Com atuação segura, o Flu desceu para o vestiário com a vantagem parcial e a vaga praticamente definida.

Sem ter muito a perder, o Cuenca até se assanhou um pouco mais na metade final. A questão é que encontrou pela frente um rival muito ligado no jogo e que não descansou um minuto sequer.

Os tricolores optaram por esperar o rival em seu campo de defesa, o que fez com que os equatorianos, ainda sem grande perigo, rondassem a área de Júlio César. E foi justamente em uma escapada que o Flu pegou a defesa desprevenida. Júnior Dutra arrancou com a bola, Everaldo achou Richard entre os zagueiros, e o volante tocou para selar o triunfo, aos 30min.

Com a parada liquidada, o jogo esfriou muito em campo, mas não na arquibancada. Felizes da vida com a classificação, os tricolores cantaram até o fim e festejaram o triunfo.

FLUMINENSE
Júlio César; Ibañez, Gum, Digão; Léo (Mateus Norton), Richard, Jadson (Marcos Jr.), Sornoza, Ayrton Lucas; Luciano (Júnior Dutra), Everaldo. T.: Marcelo Oliveira

DEPORTIVO CUENCA
Brian Heras; Brian Carabalí, Anthoni Bedoya, Luca Sosa, Cuero; Jhon Rodriguez (De la Cruz), Mosquera, Emmanuel Martínez, Edison Preciado (Quiñonez), Juan Rojas; Jacson Pita. T.: Richard Paéz

Estádio: Maracanã, no Rio de Janeiro
Juiz: André Rojas (COL)
Cartões amarelos: Luciano, Jadson, Richard, Digão, Marcos Jr. (Fluminense); Sosa, Mosquera, Bedoya (Cuenca)
Gols: Digão, aos 33min do primeiro tempo, e Richard, aos 30min do segundo tempo.


Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade


Publicidade














Página 3

Fluminense bate o Cuenca outra vez e pega o Nacional (URU) na Sul-Americana

Publicidade

Sexta, 5/10/2018 7:22.

RIO DE JANEIRO, RJ (UOL/FOLHAPRESS) - Diante de 39.157 torcedores no Maracanã, o Fluminense fez o seu dever de casa ao bater o Deportivo Cuenca por 2 a 0, com gols de Digão e Richard. Como havia vencido pelo mesmo placar em Quito, o time carioca carimbou sua vaga às quartas de final da Copa Sul-Americana.

O Fluminense não coreu riscos e fez um jogo organizado e de muita aplicação. Essa postura liquidou as possibilidades do time visitante, que pouco perigo ofereceu atuando no Rio de Janeiro.

Com a missão cumprida, o Fluminense volta suas atenções para o Paraná, rival da próxima segunda-feira, 20h, no Maracanã. Pela competição continental, o time de Marcelo Oliveira encara o Nacional (URU) na próxima fase.

Mesmo com uma vantagem confortável, o Fluminense foi a equipe que buscou o jogo na primeira etapa. Com muita disposição, os tricolores entraram no embalo da torcida e tentaram agredir.

Apesar da postura agressiva, o Flu não conseguiu ameaçar com muito perigo a meta equatoriana. A disparidade, no entanto, era grande, e assim saiu o primeiro gol com tranquilidade. Após cobrança de falta, a zaga rival falhou e Digão, sem marcação, chutou para vencer Heras, aos 33min.

Ante um adversário vencido, o Fluminense não precisou fazer muito esforço para chegar na frente de Heras, que fez um milagre em chute de Jadson. Com atuação segura, o Flu desceu para o vestiário com a vantagem parcial e a vaga praticamente definida.

Sem ter muito a perder, o Cuenca até se assanhou um pouco mais na metade final. A questão é que encontrou pela frente um rival muito ligado no jogo e que não descansou um minuto sequer.

Os tricolores optaram por esperar o rival em seu campo de defesa, o que fez com que os equatorianos, ainda sem grande perigo, rondassem a área de Júlio César. E foi justamente em uma escapada que o Flu pegou a defesa desprevenida. Júnior Dutra arrancou com a bola, Everaldo achou Richard entre os zagueiros, e o volante tocou para selar o triunfo, aos 30min.

Com a parada liquidada, o jogo esfriou muito em campo, mas não na arquibancada. Felizes da vida com a classificação, os tricolores cantaram até o fim e festejaram o triunfo.

FLUMINENSE
Júlio César; Ibañez, Gum, Digão; Léo (Mateus Norton), Richard, Jadson (Marcos Jr.), Sornoza, Ayrton Lucas; Luciano (Júnior Dutra), Everaldo. T.: Marcelo Oliveira

DEPORTIVO CUENCA
Brian Heras; Brian Carabalí, Anthoni Bedoya, Luca Sosa, Cuero; Jhon Rodriguez (De la Cruz), Mosquera, Emmanuel Martínez, Edison Preciado (Quiñonez), Juan Rojas; Jacson Pita. T.: Richard Paéz

Estádio: Maracanã, no Rio de Janeiro
Juiz: André Rojas (COL)
Cartões amarelos: Luciano, Jadson, Richard, Digão, Marcos Jr. (Fluminense); Sosa, Mosquera, Bedoya (Cuenca)
Gols: Digão, aos 33min do primeiro tempo, e Richard, aos 30min do segundo tempo.


Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade