Jornal Página 3

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Santos marca no fim e empata com o Corinthians no Pacaembu

Segunda, 5/3/2018 6:21.

(FOLHAPRESS) - Jair Ventura e Fábio Carille gostam de montar defesas sólidas, que não costumam dar espaços aos adversários. Mas no clássico do Pacaembu, com a torcida toda do Santos, nada saiu como planejado.

Os sistemas defensivos erraram muito, mas com um gol para cada lado, o clássico alvinegro terminou 1 a 1.

Do lado do Santos, o mérito do empate, que saiu aos 41 minutos do segundo tempo, depois de duas grandes chances para o Corinthians fazer o 2 a 0, é tanto de Ventura, que apostou nos garotos da base santista, quanto do jovem Diogo Vítor, 21 anos.

Ele, sozinho na área, acertou um belo chute após rebote do goleiro Cássio.

O Corinthians, também longe da perfeição na execução dos passes, soube aproveitar bem o presente dado pelo adversário no primeiro tempo. Inclusive, a marcação mais frouxa do sistema defensivo santista.

Neste contexto, aos 20 minutos de partida, saiu o primeiro gol do jogo.

O volante Renê Júnior, pouco acostumado a marcar pelas equipes em que atua, disparou de muito longe, e com ajuda de uma resvalada da bola nas costas Léo Cittadini, acertou um chute de mais de 35 metros de distância: Corinthians 1 a 0.

O goleiro Vanderlei não conseguiu evitar que a bola entrasse no seu lado direito, a meia altura.

Com o resultado favorável, as sempre bem treinadas linhas defensivas do Corinthians tentaram entrar em ação.

O Santos, sem Gabriel, suspenso pelo terceiro cartão amarelo, passou quase todo o restante do jogo tentando vazar o goleiro Cássio. Mas faltou técnica nas finalizações, até Diogo entrar.

Nem mesmo o jovem Rodrygo, de 17 anos, uma das apostas de Ventura, que já marcou duas vezes no Paulista, teve uma chance clara de gol.

Mas ele saiu, aos 33 minutos de jogo, para entrada de outro jovem da base, o autor do gol Diogo.

O Corinthians ficou posicionado para tentar os contra ataques, até a energia elétrica acabar aos 21 minutos do segundo tempo.

O cenário mudou totalmente no reinício da partida, 50 minutos depois.

O jogo ficou aberto. O Santos voltou mais determinado a empatar. O Corinthians não foi preciso em duas finalizações, uma delas tirada de cima da linha pela zaga do Santos,

Os 30 mil torcedores que foram ao Pacaembu saíram comemorando o empate. Menos o prefeito da capital João Doria. Santista, ele esteve no Pacaembu, mas saiu quando a partida estava parada.

SANTOS
Vanderlei; Daniel Guedes, Lucas Veríssimo, David Braz e Jean Mota; Alison; Léo Cittadini, Vecchio (Vitor Bueno), Rodrygo (Diogo Vitor) e Copete (Arthur Gomes); Eduardo Sasha.
T.: Jair Ventura.

CORINTHIANS
Cássio; Fagner, Balbuena, Henrique e Maycon; Gabriel e Renê Júnior; Romero, Jadson (Emerson Sheik), Rodriguinho e Clayson (Júnior Dutra).
T.: Fábio Carille.

Árbitro: Luiz Flávio de Oliveira
Auxiliares: Tatiane Sacilotti dos Santos Camargo e Evandro de Melo Lima
Público/Renda: 34.448 pagantes e 37.431 total/R$ 1.052.220,00
Cartões amarelos: David Braz, Vecchio, Diogo Vitor (SAN); Gabriel e Clayson (COR)
Gols: Renê Júnior, pelo Corinthians, aos 19 minutos do primeiro tempo, e Diogo Vitor, pelo Santos, aos 41 minutos do segundo tempo. 

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade



Publicidade



Publicidade



Publicidade



Publicidade



Publicidade



Publicidade



Publicidade

Página 3

Santos marca no fim e empata com o Corinthians no Pacaembu

Segunda, 5/3/2018 6:21.

(FOLHAPRESS) - Jair Ventura e Fábio Carille gostam de montar defesas sólidas, que não costumam dar espaços aos adversários. Mas no clássico do Pacaembu, com a torcida toda do Santos, nada saiu como planejado.

Os sistemas defensivos erraram muito, mas com um gol para cada lado, o clássico alvinegro terminou 1 a 1.

Do lado do Santos, o mérito do empate, que saiu aos 41 minutos do segundo tempo, depois de duas grandes chances para o Corinthians fazer o 2 a 0, é tanto de Ventura, que apostou nos garotos da base santista, quanto do jovem Diogo Vítor, 21 anos.

Ele, sozinho na área, acertou um belo chute após rebote do goleiro Cássio.

O Corinthians, também longe da perfeição na execução dos passes, soube aproveitar bem o presente dado pelo adversário no primeiro tempo. Inclusive, a marcação mais frouxa do sistema defensivo santista.

Neste contexto, aos 20 minutos de partida, saiu o primeiro gol do jogo.

O volante Renê Júnior, pouco acostumado a marcar pelas equipes em que atua, disparou de muito longe, e com ajuda de uma resvalada da bola nas costas Léo Cittadini, acertou um chute de mais de 35 metros de distância: Corinthians 1 a 0.

O goleiro Vanderlei não conseguiu evitar que a bola entrasse no seu lado direito, a meia altura.

Com o resultado favorável, as sempre bem treinadas linhas defensivas do Corinthians tentaram entrar em ação.

O Santos, sem Gabriel, suspenso pelo terceiro cartão amarelo, passou quase todo o restante do jogo tentando vazar o goleiro Cássio. Mas faltou técnica nas finalizações, até Diogo entrar.

Nem mesmo o jovem Rodrygo, de 17 anos, uma das apostas de Ventura, que já marcou duas vezes no Paulista, teve uma chance clara de gol.

Mas ele saiu, aos 33 minutos de jogo, para entrada de outro jovem da base, o autor do gol Diogo.

O Corinthians ficou posicionado para tentar os contra ataques, até a energia elétrica acabar aos 21 minutos do segundo tempo.

O cenário mudou totalmente no reinício da partida, 50 minutos depois.

O jogo ficou aberto. O Santos voltou mais determinado a empatar. O Corinthians não foi preciso em duas finalizações, uma delas tirada de cima da linha pela zaga do Santos,

Os 30 mil torcedores que foram ao Pacaembu saíram comemorando o empate. Menos o prefeito da capital João Doria. Santista, ele esteve no Pacaembu, mas saiu quando a partida estava parada.

SANTOS
Vanderlei; Daniel Guedes, Lucas Veríssimo, David Braz e Jean Mota; Alison; Léo Cittadini, Vecchio (Vitor Bueno), Rodrygo (Diogo Vitor) e Copete (Arthur Gomes); Eduardo Sasha.
T.: Jair Ventura.

CORINTHIANS
Cássio; Fagner, Balbuena, Henrique e Maycon; Gabriel e Renê Júnior; Romero, Jadson (Emerson Sheik), Rodriguinho e Clayson (Júnior Dutra).
T.: Fábio Carille.

Árbitro: Luiz Flávio de Oliveira
Auxiliares: Tatiane Sacilotti dos Santos Camargo e Evandro de Melo Lima
Público/Renda: 34.448 pagantes e 37.431 total/R$ 1.052.220,00
Cartões amarelos: David Braz, Vecchio, Diogo Vitor (SAN); Gabriel e Clayson (COR)
Gols: Renê Júnior, pelo Corinthians, aos 19 minutos do primeiro tempo, e Diogo Vitor, pelo Santos, aos 41 minutos do segundo tempo. 

Publicidade

Publicidade