Jornal Página 3

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Com dois gols de Bruno Henrique, Palmeiras vence Junior Barranquilla

Sexta, 2/3/2018 6:47.

(FOLHAPRESS) - Mesmo mancando, o meio campista Bruno Henrique pediu para bater na disputa de pênaltis que eliminou o Palmeiras da Libertadores de 2017 contra o Barcelona do Equador. Ele errou o chute.

Na reestreia do time alviverde na competição, nesta quinta-feira (1) no interior da Colômbia, a história virou.

Pelo menos no primeiro capítulo da campanha palmeirense na competição internacional de 2018, o resultado foi favorável: 3 a 0 sobre o Júnior Barranquilla.

Reserva desde que o técnico Roger Machado chegou, Bruno apareceu como uma dos novidades do time titular, ao substituir Tchê Tchê.

A outra mudança foi na lateral esquerda. Michel Bastos, que nem no banco de reservas ficou, saiu para a volta de Victor Luís.

Mas não foram nem as mudanças promovidas pelo técnico Roger Machado. Nem uma correta marcação da rápida troca de passes do Júnior Barranquilla ou uma noite inspirada do meio campo eficiente na troca de passes em direção ao gol que abriu o caminho da vitória.

O único triunfo de um time brasileiro até agora na primeira rodada da Libertadores -o Vasco da Gama joga na próxima semana- começou a se desenhar com a agressão do lateral Germán Gutiérrez, aos 8 minutos de jogo, sobre Bruno Henrique.

Depois de uma dividida na bola, longe da área, ele deixou o pé no peito do adversário. Nem amarelo ele tinha.

A partida que havia começado complicada para o time brasileiro, que quase havia tomado um gol, mudou completamente com a expulsão do jogador colombiano.

Com um a mais em campo, o próprio Bruno Henrique, escalado ao lado de Felipe Melo para ajudar a municiar Lucas Lima e os outros atacantes do Palmeiras, pode chegar mais perto da área.

Aos 19 minutos de partida, Dudu, pela direita do campo em vez de estar esquerda, como está mais acostumado, recebeu a bola e lançou, pelo chão, para Bruno Henrique.

Dentro da área, o jogador palmeirense abriu o placar para o time brasileiro. Foi o primeiro gol do meio campista na história da competição. Mas ainda tinha mais.

Com um a menos, os donos da casa demoraram para se organizar novamente.

Roger Machado colocou seu time sempre atrás da linha da bola. Mais fechado, o Palmeiras não correu mais riscos na partida. Muito pelo contrário. No segundo tempo, tendo total controle do jogo, ampliou a vitória.

Coube ao colombiano Miguel Borja, que conhece bem o estádio Metropolitano Roberto Meléndez, onde a seleção colombiana manda os seus jogos quando atua em casa, fazer o segundo, aos seis minutos da etapa final.

O terceiro saiu dos pés do artilheiro da noite. Na sua primeira partida como titular da temporada, Bruno Henrique fez o terceiro do Palmeiras e o segundo dele no jogo.

O Júnior Barranquilla ainda perdeu um pênalti no final do jogo. Jonatan Álvez chutou por cima da trave de Jaílson.

Na outra partida do grupo, Alianza Lima e Boca Juniors, empataram por 0 a 0 no jogo realizado em Lima, no Peru.

JUNIOR BARRANQUILLA
Sebastián Viera; Marlon Piedrahita, Rafael Pérez, Alberto Rodríguez, Germán Gutiérrez; Leonardo Pico, Víctor Cantillo, Yimmi Chará (Luis Díaz), Matías Mier (Jorge Arias); Teo Gutiérrez (Luis Carlos Ruiz), Jonatan Álvez. T.: Alexis Mendoza

PALMEIRAS
Jailson; Marcos Rocha, Antônio Carlos, Thiago Martins, Victor Luís; Felipe Melo, Bruno Henrique (Thiago Santos), Lucas Lima (Guerra); Dudu, Borja (Gustavo Scarpa), Willian. T.: Roger Machado

Estádio: Metropolitano, em Barranquilla (Colômbia)
Juiz: Enrique Cáceres (Paraguai)
Cartões amarelos: Piedrahita (Junior); Bruno Henrique e Borja (Palmeiras)
Cartão vermelho: Germán Gutiérrez (Junior)
Gols: Bruno Henrique, aos 18min do primeiro tempo tempo e aos 26min do segundo tempo, e Borja, aos 8min do segundo tempo. 

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade



Publicidade



Publicidade



Publicidade



Publicidade



Publicidade



Publicidade



Publicidade

Página 3

Com dois gols de Bruno Henrique, Palmeiras vence Junior Barranquilla

Sexta, 2/3/2018 6:47.

(FOLHAPRESS) - Mesmo mancando, o meio campista Bruno Henrique pediu para bater na disputa de pênaltis que eliminou o Palmeiras da Libertadores de 2017 contra o Barcelona do Equador. Ele errou o chute.

Na reestreia do time alviverde na competição, nesta quinta-feira (1) no interior da Colômbia, a história virou.

Pelo menos no primeiro capítulo da campanha palmeirense na competição internacional de 2018, o resultado foi favorável: 3 a 0 sobre o Júnior Barranquilla.

Reserva desde que o técnico Roger Machado chegou, Bruno apareceu como uma dos novidades do time titular, ao substituir Tchê Tchê.

A outra mudança foi na lateral esquerda. Michel Bastos, que nem no banco de reservas ficou, saiu para a volta de Victor Luís.

Mas não foram nem as mudanças promovidas pelo técnico Roger Machado. Nem uma correta marcação da rápida troca de passes do Júnior Barranquilla ou uma noite inspirada do meio campo eficiente na troca de passes em direção ao gol que abriu o caminho da vitória.

O único triunfo de um time brasileiro até agora na primeira rodada da Libertadores -o Vasco da Gama joga na próxima semana- começou a se desenhar com a agressão do lateral Germán Gutiérrez, aos 8 minutos de jogo, sobre Bruno Henrique.

Depois de uma dividida na bola, longe da área, ele deixou o pé no peito do adversário. Nem amarelo ele tinha.

A partida que havia começado complicada para o time brasileiro, que quase havia tomado um gol, mudou completamente com a expulsão do jogador colombiano.

Com um a mais em campo, o próprio Bruno Henrique, escalado ao lado de Felipe Melo para ajudar a municiar Lucas Lima e os outros atacantes do Palmeiras, pode chegar mais perto da área.

Aos 19 minutos de partida, Dudu, pela direita do campo em vez de estar esquerda, como está mais acostumado, recebeu a bola e lançou, pelo chão, para Bruno Henrique.

Dentro da área, o jogador palmeirense abriu o placar para o time brasileiro. Foi o primeiro gol do meio campista na história da competição. Mas ainda tinha mais.

Com um a menos, os donos da casa demoraram para se organizar novamente.

Roger Machado colocou seu time sempre atrás da linha da bola. Mais fechado, o Palmeiras não correu mais riscos na partida. Muito pelo contrário. No segundo tempo, tendo total controle do jogo, ampliou a vitória.

Coube ao colombiano Miguel Borja, que conhece bem o estádio Metropolitano Roberto Meléndez, onde a seleção colombiana manda os seus jogos quando atua em casa, fazer o segundo, aos seis minutos da etapa final.

O terceiro saiu dos pés do artilheiro da noite. Na sua primeira partida como titular da temporada, Bruno Henrique fez o terceiro do Palmeiras e o segundo dele no jogo.

O Júnior Barranquilla ainda perdeu um pênalti no final do jogo. Jonatan Álvez chutou por cima da trave de Jaílson.

Na outra partida do grupo, Alianza Lima e Boca Juniors, empataram por 0 a 0 no jogo realizado em Lima, no Peru.

JUNIOR BARRANQUILLA
Sebastián Viera; Marlon Piedrahita, Rafael Pérez, Alberto Rodríguez, Germán Gutiérrez; Leonardo Pico, Víctor Cantillo, Yimmi Chará (Luis Díaz), Matías Mier (Jorge Arias); Teo Gutiérrez (Luis Carlos Ruiz), Jonatan Álvez. T.: Alexis Mendoza

PALMEIRAS
Jailson; Marcos Rocha, Antônio Carlos, Thiago Martins, Victor Luís; Felipe Melo, Bruno Henrique (Thiago Santos), Lucas Lima (Guerra); Dudu, Borja (Gustavo Scarpa), Willian. T.: Roger Machado

Estádio: Metropolitano, em Barranquilla (Colômbia)
Juiz: Enrique Cáceres (Paraguai)
Cartões amarelos: Piedrahita (Junior); Bruno Henrique e Borja (Palmeiras)
Cartão vermelho: Germán Gutiérrez (Junior)
Gols: Bruno Henrique, aos 18min do primeiro tempo tempo e aos 26min do segundo tempo, e Borja, aos 8min do segundo tempo. 

Publicidade

Publicidade