Jornal Página 3

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Com portões fechados, Flamengo leva empate no fim do River Plate

Quinta, 1/3/2018 6:47.

(UOL/FOLHAPRESS) - O Flamengo queria largar na frente na Taça Libertadores da América, mas não foi possível. Além da tensão da estreia, o Rubro-negro esbarrou no River Plate-ARG e só empatou por 2 a 2, nesta quarta-feira (28), no Engenhão. A partida foi disputada com portões fechados por causa da punição aplicada ao clube carioca pela Conmebol em consequência do tumulto causado pela torcida rubro-negra na final da Copa Sul-Americana de 2017.

Não contar com a torcida foi mais uma dificuldade que o Flamengo não superou e somou apenas um ponto no Grupo 4 da competição continental. O time rubro-negro volta a campo em 14 de março, quando encara o Emelec (EQU), fora de casa. Já os argentinos recebem os colombianos do Independiente Santa Fe, dia 5 de abril, em Buenos Aires.

Em um primeiro tempo absolutamente amarrado e no qual as equipes tiveram dificuldades de criar, a melhor chance poderia ter sido do Flamengo. Aos 39min, o árbitro peruano Michael Espinoza ignorou pênalti cometido por Zuculini. Réver cabeceou a bola e o jogador do River Plate subiu com o braço levantado, interceptando a trajetória da bola dentro da área. Os rubro-negros pediram pênalti de forma desesperada, mas nada foi marcado.

Na etapa final, o Flamengo saiu na frente aos 8min. Ponzio derrubou Diego na área. O atacante Henrique Dourado cobrou com a conhecida categoria e fez o gol do Flamengo. Na comemoração, a tradicional "ceifada" ao lado do aniversariante e capitão Diego.

Não deu nem tempo de o Flamengo comemorar. Logo na sequência, o River Plate empatou com um gol em impedidimento. A falta foi cobrada para a área, e Mora saltou sozinho para colocar no fundo da rede de cabeça. Só que o atacante estava adiantado e em posição irregular. Nada foi marcado pela arbitragem.

Levemente superior no jogo, o Flamengo se colocou na frente do placar aos 21min. Lucas Paquetá descolou um passe que desmontou a defesa argentina. Everton recebeu e teve todo o tempo para virar o corpo e chutar de direita para o fundo do gol, sem chances para Maidana.

Os argentinos tiveram a chance do empate aos 38min. Em bola levantada na área, Scocco cabeceou e a bola explodiu no braço de Réver dentro da área. A diferença é que o braço estava colado ao corpo, mas os jogadores do River Plate reclamaram bastante. No rebote, bola por cima do gol de Diego Alves.

Quando a vitória parecia certa, o River chegou ao empate aos 41min com Mayada. O chute foi de longe, e Diego Alves pulou atrasado no canto direito. Comemoração argentina e frustração brasileira no Engenhão.

FLAMENGO
Diego Alves; Pará (Rodinei), Réver, Juan, Renê; Jonas (Romulo), Lucas Paquetá, Diego, Everton Ribeiro, Everton (Willian Arão); Henrique Dourado. T.: Paulo César Carpegiani

RIVER PLATE
Armani; Montiel, Maidana, Martínez, Saracchi; Pérez (Scocco), Ponzio, Zuculini (Mayada), De La Cruz (Quintero); Mora, Pratto. T.: Marcelo Gallardo

Estádio: Nilton Santos (Engenhão), no Rio de Janeiro
Juiz: Michael Espinoza (PER)
Cartões amarelos: Diego, Henrique Dourado, Everton e Réver (Flamengo); Maidana, Martínez e Zuculini (River Plate)
Gols: Henrique Dourado, aos 8min, e Everton, aos 21min do segundo tempo (Flamengo); Mora, aos 10min, e Mayada, aos 41min do segundo tempo (River Plate). 

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade



Negócios

Empresa planeja outros dois grandes investimentos na cidade


Geral

Desde o tempo da Casan instalações estavam irregulares 


Cidade

Alerta com tom de ultimato a Fabrício Oliveira


Cidade

Plano é ampliar melhorias para as demais agrestes até 2020


Publicidade


Publicidade


Publicidade



Publicidade



Publicidade



Publicidade



Publicidade



Publicidade



Publicidade

Página 3

Com portões fechados, Flamengo leva empate no fim do River Plate

(UOL/FOLHAPRESS) - O Flamengo queria largar na frente na Taça Libertadores da América, mas não foi possível. Além da tensão da estreia, o Rubro-negro esbarrou no River Plate-ARG e só empatou por 2 a 2, nesta quarta-feira (28), no Engenhão. A partida foi disputada com portões fechados por causa da punição aplicada ao clube carioca pela Conmebol em consequência do tumulto causado pela torcida rubro-negra na final da Copa Sul-Americana de 2017.

Não contar com a torcida foi mais uma dificuldade que o Flamengo não superou e somou apenas um ponto no Grupo 4 da competição continental. O time rubro-negro volta a campo em 14 de março, quando encara o Emelec (EQU), fora de casa. Já os argentinos recebem os colombianos do Independiente Santa Fe, dia 5 de abril, em Buenos Aires.

Em um primeiro tempo absolutamente amarrado e no qual as equipes tiveram dificuldades de criar, a melhor chance poderia ter sido do Flamengo. Aos 39min, o árbitro peruano Michael Espinoza ignorou pênalti cometido por Zuculini. Réver cabeceou a bola e o jogador do River Plate subiu com o braço levantado, interceptando a trajetória da bola dentro da área. Os rubro-negros pediram pênalti de forma desesperada, mas nada foi marcado.

Na etapa final, o Flamengo saiu na frente aos 8min. Ponzio derrubou Diego na área. O atacante Henrique Dourado cobrou com a conhecida categoria e fez o gol do Flamengo. Na comemoração, a tradicional "ceifada" ao lado do aniversariante e capitão Diego.

Não deu nem tempo de o Flamengo comemorar. Logo na sequência, o River Plate empatou com um gol em impedidimento. A falta foi cobrada para a área, e Mora saltou sozinho para colocar no fundo da rede de cabeça. Só que o atacante estava adiantado e em posição irregular. Nada foi marcado pela arbitragem.

Levemente superior no jogo, o Flamengo se colocou na frente do placar aos 21min. Lucas Paquetá descolou um passe que desmontou a defesa argentina. Everton recebeu e teve todo o tempo para virar o corpo e chutar de direita para o fundo do gol, sem chances para Maidana.

Os argentinos tiveram a chance do empate aos 38min. Em bola levantada na área, Scocco cabeceou e a bola explodiu no braço de Réver dentro da área. A diferença é que o braço estava colado ao corpo, mas os jogadores do River Plate reclamaram bastante. No rebote, bola por cima do gol de Diego Alves.

Quando a vitória parecia certa, o River chegou ao empate aos 41min com Mayada. O chute foi de longe, e Diego Alves pulou atrasado no canto direito. Comemoração argentina e frustração brasileira no Engenhão.

FLAMENGO
Diego Alves; Pará (Rodinei), Réver, Juan, Renê; Jonas (Romulo), Lucas Paquetá, Diego, Everton Ribeiro, Everton (Willian Arão); Henrique Dourado. T.: Paulo César Carpegiani

RIVER PLATE
Armani; Montiel, Maidana, Martínez, Saracchi; Pérez (Scocco), Ponzio, Zuculini (Mayada), De La Cruz (Quintero); Mora, Pratto. T.: Marcelo Gallardo

Estádio: Nilton Santos (Engenhão), no Rio de Janeiro
Juiz: Michael Espinoza (PER)
Cartões amarelos: Diego, Henrique Dourado, Everton e Réver (Flamengo); Maidana, Martínez e Zuculini (River Plate)
Gols: Henrique Dourado, aos 8min, e Everton, aos 21min do segundo tempo (Flamengo); Mora, aos 10min, e Mayada, aos 41min do segundo tempo (River Plate). 

Publicidade

Publicidade