Jornal Página 3
PÁGINA 3 / Esporte
Grêmio sofre contra retranca do Paraná e não sai do 0 a 0

Domingo, 20/5/2018 19:25.

Publicidade

(UOL/FOLHAPRESS) - O Grêmio encontrou pela frente uma retranca bem montada, de novo. E a exemplo do que tinha acontecido contra o Internacional, não conseguiu marcar. Neste domingo (20), o Paraná segurou um 0 a 0, no Durival de Britto, pela sexta rodada do Campeonato Brasileiro.

Com 9 pontos, o Grêmio caiu para o sétimo lugar na classificação. Já o Paraná somou seu segundo ponto na competição e segue na lanterna. Na próxima rodada, o time gaúcho terá pela frente o Ceará. Já os paranaenses jogam o clássico contra o Atlético-PR. Ambos os jogos serão no domingo (27).

Seja na formação ou na postura, o Paraná montou espelho do Internacional no clássico. Teve os mesmos problemas e pouco atacou. Mas conseguiu segurar o Grêmio e somou um ponto.

JOGO

Se o técnico Renato Gaúcho reclamou da conduta do Internacional no último domingo, o Paraná montou sua equipe o espelho do Internacional no clássico Gre-Nal, que terminou 0 a 0 na Arena. Um 4-1-4-1 com linhas recuadas sem espaços para Luan às costas dos volantes e ainda povoando o centro do campo para atrapalhar a criação que partia de Maicon. Com a bola, buscava transição rápida e conclusão de onde fosse possível. Sofreu, porém, pela ausência de um atacante de maior imposição.

Luan foi bem marcado na maior parte do tempo, Maicon também, e aí faltaram opções. O lado esquerdo foi o preferido para tentar abalar a defensiva adversária, mas a ausência de Everton também pesou e o entrosamento de Maicosuel com Cortez não era o mesmo.

No segundo tempo, um lance muito feio forçou a parada do jogo. Kannemann, ao tentar a conclusão de cabeça após um escanteio, acertou o goleiro Thiago Rodrigues na altura da testa. Ambos saíram mal do choque. O argentino e o camisa 1 tiveram cortes profundos no rosto e sangraram bastante. Foram atendidos pelos médicos dos clubes e ambos seguiram em campo. Mas a cena foi forte e forçou sete minutos de recuperação no segundo tempo.

Na ideia de ter volantes criativos, Renato Gaúcho tentou ampliar o potencial ofensivo de seu time com Cícero. Sem Arthur, lesionado, viu dificuldades do Grêmio ter oportunidades de gol. E para dar ousadia ao time, optou por jovens. Pepê, uma das principais promessas do time, entrou na fase final. A última alternativa foi puxar Ramiro para lateral e colocar Lima na direita. Mais poder de ataque contra um rival que só se defendeu. A tática, porém, não deu certo e a partida terminou em empate.

PARANÁ
Thiago Rodrigues; Júnior (Alemão), Neres, Cleber Reis e Mansur; González, Vilela (Léo Itaperuna), Caio Henrique (Alex Santana), Jhonny Lucas e Silvinho; Carlos.
T.: Rogério Micale

GRÊMIO
Marcelo Grohe; Léo Moura (Lima), Bressan, Kannemann e Cortez; Maicon, Jaílson (Cícero), Ramiro, Luan e Maicosuel (Pepê); André.
T.: Renato Gaúcho

Árbitro: Rodrigo Batista Raposo
Auxiliares: Daniel Henrique da Silva e Luciano Benevides de Sousa
Cartões amarelos: Carlos (PAR), Jhonny Lucas (PAR); Pepê (GRE).


Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade













Página 3

Grêmio sofre contra retranca do Paraná e não sai do 0 a 0

Publicidade

Domingo, 20/5/2018 19:25.

(UOL/FOLHAPRESS) - O Grêmio encontrou pela frente uma retranca bem montada, de novo. E a exemplo do que tinha acontecido contra o Internacional, não conseguiu marcar. Neste domingo (20), o Paraná segurou um 0 a 0, no Durival de Britto, pela sexta rodada do Campeonato Brasileiro.

Com 9 pontos, o Grêmio caiu para o sétimo lugar na classificação. Já o Paraná somou seu segundo ponto na competição e segue na lanterna. Na próxima rodada, o time gaúcho terá pela frente o Ceará. Já os paranaenses jogam o clássico contra o Atlético-PR. Ambos os jogos serão no domingo (27).

Seja na formação ou na postura, o Paraná montou espelho do Internacional no clássico. Teve os mesmos problemas e pouco atacou. Mas conseguiu segurar o Grêmio e somou um ponto.

JOGO

Se o técnico Renato Gaúcho reclamou da conduta do Internacional no último domingo, o Paraná montou sua equipe o espelho do Internacional no clássico Gre-Nal, que terminou 0 a 0 na Arena. Um 4-1-4-1 com linhas recuadas sem espaços para Luan às costas dos volantes e ainda povoando o centro do campo para atrapalhar a criação que partia de Maicon. Com a bola, buscava transição rápida e conclusão de onde fosse possível. Sofreu, porém, pela ausência de um atacante de maior imposição.

Luan foi bem marcado na maior parte do tempo, Maicon também, e aí faltaram opções. O lado esquerdo foi o preferido para tentar abalar a defensiva adversária, mas a ausência de Everton também pesou e o entrosamento de Maicosuel com Cortez não era o mesmo.

No segundo tempo, um lance muito feio forçou a parada do jogo. Kannemann, ao tentar a conclusão de cabeça após um escanteio, acertou o goleiro Thiago Rodrigues na altura da testa. Ambos saíram mal do choque. O argentino e o camisa 1 tiveram cortes profundos no rosto e sangraram bastante. Foram atendidos pelos médicos dos clubes e ambos seguiram em campo. Mas a cena foi forte e forçou sete minutos de recuperação no segundo tempo.

Na ideia de ter volantes criativos, Renato Gaúcho tentou ampliar o potencial ofensivo de seu time com Cícero. Sem Arthur, lesionado, viu dificuldades do Grêmio ter oportunidades de gol. E para dar ousadia ao time, optou por jovens. Pepê, uma das principais promessas do time, entrou na fase final. A última alternativa foi puxar Ramiro para lateral e colocar Lima na direita. Mais poder de ataque contra um rival que só se defendeu. A tática, porém, não deu certo e a partida terminou em empate.

PARANÁ
Thiago Rodrigues; Júnior (Alemão), Neres, Cleber Reis e Mansur; González, Vilela (Léo Itaperuna), Caio Henrique (Alex Santana), Jhonny Lucas e Silvinho; Carlos.
T.: Rogério Micale

GRÊMIO
Marcelo Grohe; Léo Moura (Lima), Bressan, Kannemann e Cortez; Maicon, Jaílson (Cícero), Ramiro, Luan e Maicosuel (Pepê); André.
T.: Renato Gaúcho

Árbitro: Rodrigo Batista Raposo
Auxiliares: Daniel Henrique da Silva e Luciano Benevides de Sousa
Cartões amarelos: Carlos (PAR), Jhonny Lucas (PAR); Pepê (GRE).


Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade