Jornal Página 3
PÁGINA 3 / Esporte
Sport vence, vira vice-líder e manda o Atlético-PR para a zona de rebaixamento

Quinta, 7/6/2018 7:08.

Publicidade

(UOL/FOLHAPRESS) - Com um golaço de fora da área marcado por Fellipe Bastos aos 34 segundos do segundo tempo, o Sport venceu o Atlético-PR por 1 a 0, nesta quarta-feira (6), na Ilha do Retiro.

O resultado mandou o Atlético-PR para a zona de rebaixamento do Campeonato Brasileiro. O time dirigido por Fernando Diniz, que ainda não venceu fora de casa, ocupa o 17º lugar, com nove pontos e ainda pode ser ultrapassado pelo Bahia, que encara o Paraná nesta quinta-feira.

Na ponta de cima da tabela, o Sport chegou ao quinto jogo de invencibilidade e continua entre os primeiros colocados, com 18 pontos, dois atrás do líder Flamengo. O time pernambucano chegou ao segundo lugar após ultrapassar quatro adversários na tabela (Inter, São Paulo, Grêmio e Cruzeiro) em relação à rodada passada.

Em ascensão na competição, o Sport voltará a campo neste sábado (9), contra o Vasco, em São Januário. Em crise, o Atlético receberá, no mesmo dia, o São Paulo, na Arena da Baixada.

O destaque da vitória pernambucano foi Fellipe Bastos. O meio-campista foi usado como "elemento surpresa" e se tornou boa opção do Sport tanto para trocar passes na busca por espaços quanto para explorar o ponto forte dele: os chutes de longa distância. Foi desta forma que ele surpreendeu Santos logo aos 34 segundos do segundo tempo: um arremate de muito longe, que não desviou na defesa e só parou na rede.

O pior em campo foi Nikão. O atacante do Atlético-PR foi figura quase nula na Ilha do Retiro. Levou cartão amarelo logo aos cinco minutos de jogo, ao matar um contra-ataque do Sport, e não rendeu com a bola nos pés. Saiu de campo aos seis da etapa final, substituído por Bergson.

As câmeras da transmissão de TV ainda flagraram Nikão fazendo cara de reprovação à opção do técnico Fernando Diniz.

Melhor em campo, os pernambucanos criaram as melhores oportunidades do primeiro tempo, mas pecaram nas finalizações. Por duas vezes, o Sport acertou o lado de fora da rede de Santos, com Fellipe Bastos e Gabriel. Mais ativo ofensivamente pelo lado direito, o lateral Raul Prata ainda acertou um perigoso chute colocado, espalmado pelo goleiro do Atlético.

Dentro de suas características, de posse e toque de bola, o jogo do Atlético-PR não fluiu. O Sport nem fazia tanta pressão na marcação, mas diminuía os espaços do meio para trás, às vezes forçando o rival aos longos lançamentos. No fim do primeiro tempo, quando conseguiu equilibrar as ações, as melhores jogadas do time vieram com Marcinho. Atacante improvisado na ala direita, ele criou duas situações pela linha de fundo e buscou cruzamentos rasteiros, mas que não resultaram em gols.

Na frente do placar após o golaço de Fellipe Bastos antes do primeiro minuto do segundo tempo, o Sport não aproveitou o momento para ampliar e, aos poucos, passou a se posicionar para jogar no contra-ataque. Forçadamente, Claudinei Oliveira mudou a formação tática após a lesão do lateral-esquerdo Evandro. Substituído pelo zagueiro Durval, o time da casa formou uma linha defensiva com três homens e focou-se apenas em defender.

Com espaço para criar, o Atlético-PR tomou conta da posse de bola, mas ainda enfrentava uma marcação eficiente do adversário. Fernando Diniz deixou a equipe mais ofensiva com duas mudanças: o meio-campista Bruno Guimarães e o atacante Bill nas vagas do zagueiro José Ivaldo e do volante Camacho. Houve melhora, mas ainda faltou eficiência. Na melhor chance dos paranaenses, Pablo escorou cobrança de escanteio e o goleiro Magrão salvou o Sport, aos 38 minutos.

SPORT
Magrão; Raul Prata, Ronaldo Alves, Ernando, Evandro (Durval); Deivid, Fellipe Bastos, Gabriel (Neto Moura), Marlone; Rogério (Michel Bastos), Rafael Marques. T.: Claudinei Oliveira

ATLÉTICO-PR
Santos; Wanderson, Thiago Heleno, José Ivaldo (Bruno Guimarães); Marcinho, Lucho Gonzalez, Camacho (Bill), Carleto; Raphael Veiga, Nikão (Bergson), Pablo. T.: Fernando Diniz

Estádio: Ilha do Retiro, em Recife (PE)
Juiz: Igor Junio Benevenuto de Oliveira (MG)
Cartões amarelos: Deivid e Ronaldo Alves (Sport); Nikão, Thiago Heleno, José Ivaldo e Bergson (Atlético-PR)
Gol: Fellipe Bastos, aos 34 segundos do segundo tempo.


Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade













Página 3

Sport vence, vira vice-líder e manda o Atlético-PR para a zona de rebaixamento

Publicidade

Quinta, 7/6/2018 7:08.

(UOL/FOLHAPRESS) - Com um golaço de fora da área marcado por Fellipe Bastos aos 34 segundos do segundo tempo, o Sport venceu o Atlético-PR por 1 a 0, nesta quarta-feira (6), na Ilha do Retiro.

O resultado mandou o Atlético-PR para a zona de rebaixamento do Campeonato Brasileiro. O time dirigido por Fernando Diniz, que ainda não venceu fora de casa, ocupa o 17º lugar, com nove pontos e ainda pode ser ultrapassado pelo Bahia, que encara o Paraná nesta quinta-feira.

Na ponta de cima da tabela, o Sport chegou ao quinto jogo de invencibilidade e continua entre os primeiros colocados, com 18 pontos, dois atrás do líder Flamengo. O time pernambucano chegou ao segundo lugar após ultrapassar quatro adversários na tabela (Inter, São Paulo, Grêmio e Cruzeiro) em relação à rodada passada.

Em ascensão na competição, o Sport voltará a campo neste sábado (9), contra o Vasco, em São Januário. Em crise, o Atlético receberá, no mesmo dia, o São Paulo, na Arena da Baixada.

O destaque da vitória pernambucano foi Fellipe Bastos. O meio-campista foi usado como "elemento surpresa" e se tornou boa opção do Sport tanto para trocar passes na busca por espaços quanto para explorar o ponto forte dele: os chutes de longa distância. Foi desta forma que ele surpreendeu Santos logo aos 34 segundos do segundo tempo: um arremate de muito longe, que não desviou na defesa e só parou na rede.

O pior em campo foi Nikão. O atacante do Atlético-PR foi figura quase nula na Ilha do Retiro. Levou cartão amarelo logo aos cinco minutos de jogo, ao matar um contra-ataque do Sport, e não rendeu com a bola nos pés. Saiu de campo aos seis da etapa final, substituído por Bergson.

As câmeras da transmissão de TV ainda flagraram Nikão fazendo cara de reprovação à opção do técnico Fernando Diniz.

Melhor em campo, os pernambucanos criaram as melhores oportunidades do primeiro tempo, mas pecaram nas finalizações. Por duas vezes, o Sport acertou o lado de fora da rede de Santos, com Fellipe Bastos e Gabriel. Mais ativo ofensivamente pelo lado direito, o lateral Raul Prata ainda acertou um perigoso chute colocado, espalmado pelo goleiro do Atlético.

Dentro de suas características, de posse e toque de bola, o jogo do Atlético-PR não fluiu. O Sport nem fazia tanta pressão na marcação, mas diminuía os espaços do meio para trás, às vezes forçando o rival aos longos lançamentos. No fim do primeiro tempo, quando conseguiu equilibrar as ações, as melhores jogadas do time vieram com Marcinho. Atacante improvisado na ala direita, ele criou duas situações pela linha de fundo e buscou cruzamentos rasteiros, mas que não resultaram em gols.

Na frente do placar após o golaço de Fellipe Bastos antes do primeiro minuto do segundo tempo, o Sport não aproveitou o momento para ampliar e, aos poucos, passou a se posicionar para jogar no contra-ataque. Forçadamente, Claudinei Oliveira mudou a formação tática após a lesão do lateral-esquerdo Evandro. Substituído pelo zagueiro Durval, o time da casa formou uma linha defensiva com três homens e focou-se apenas em defender.

Com espaço para criar, o Atlético-PR tomou conta da posse de bola, mas ainda enfrentava uma marcação eficiente do adversário. Fernando Diniz deixou a equipe mais ofensiva com duas mudanças: o meio-campista Bruno Guimarães e o atacante Bill nas vagas do zagueiro José Ivaldo e do volante Camacho. Houve melhora, mas ainda faltou eficiência. Na melhor chance dos paranaenses, Pablo escorou cobrança de escanteio e o goleiro Magrão salvou o Sport, aos 38 minutos.

SPORT
Magrão; Raul Prata, Ronaldo Alves, Ernando, Evandro (Durval); Deivid, Fellipe Bastos, Gabriel (Neto Moura), Marlone; Rogério (Michel Bastos), Rafael Marques. T.: Claudinei Oliveira

ATLÉTICO-PR
Santos; Wanderson, Thiago Heleno, José Ivaldo (Bruno Guimarães); Marcinho, Lucho Gonzalez, Camacho (Bill), Carleto; Raphael Veiga, Nikão (Bergson), Pablo. T.: Fernando Diniz

Estádio: Ilha do Retiro, em Recife (PE)
Juiz: Igor Junio Benevenuto de Oliveira (MG)
Cartões amarelos: Deivid e Ronaldo Alves (Sport); Nikão, Thiago Heleno, José Ivaldo e Bergson (Atlético-PR)
Gol: Fellipe Bastos, aos 34 segundos do segundo tempo.


Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade