Jornal Página 3
PÁGINA 3 / Esporte
Governo brasileiro pede cautela com 'demonstrações homoafetivas' na Rússia

Copa do Mundo

Quinta, 7/6/2018 15:19.
Reprodução

Publicidade

(UOL/FOLHAPRESS)

O Ministério do Esporte e o Palácio do Itamaraty lançaram nesta quinta-feira (7) um guia para os brasileiros que irão a Rússia acompanhar a Copa do Mundo.

Entre as recomendações, o governo recomenda que se evite demonstrações de afeto, principalmente por parte da comunidade LGBT.

"Não são comuns na Rússia manifestações intensas de afeto em público. Em particular, recomenda-se à comunidade LGBT evitar demonstrações homoafetivas em ambientes públicos, que podem ser consideradas "propaganda de relações sexuais não tradicionais feita a menores" e enquadradas em lei (junho de 2016) que prevê multa e deportação", escreveu o governo, em documento oficial.

Além disso, na cartilha, recomenda-se ainda que se evite manifestações de cunho político e ideológico em território russo, como discussões sociais e o uso de bandeiras em ambientes públicos.

"Evite manifestar-se publicamente sobre temas políticos, ideológicos, sociais e de orientação sexual. O uso de bandeiras estrangeiras em praças e edifícios públicos pode ensejar sua apreensão."

Na Rússia, a população LGBT é amplamente reprimida inclusive com legislações antigays. Em uma lei aprovada em junho de 2013, o parlamento russo proíbe "propagar relações sexuais não-tradicionais" e impõe multas a quem promover passeatas de orgulho gay.


Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade













Página 3
Reprodução

Governo brasileiro pede cautela com 'demonstrações homoafetivas' na Rússia

Copa do Mundo

Publicidade

Quinta, 7/6/2018 15:19.

(UOL/FOLHAPRESS)

O Ministério do Esporte e o Palácio do Itamaraty lançaram nesta quinta-feira (7) um guia para os brasileiros que irão a Rússia acompanhar a Copa do Mundo.

Entre as recomendações, o governo recomenda que se evite demonstrações de afeto, principalmente por parte da comunidade LGBT.

"Não são comuns na Rússia manifestações intensas de afeto em público. Em particular, recomenda-se à comunidade LGBT evitar demonstrações homoafetivas em ambientes públicos, que podem ser consideradas "propaganda de relações sexuais não tradicionais feita a menores" e enquadradas em lei (junho de 2016) que prevê multa e deportação", escreveu o governo, em documento oficial.

Além disso, na cartilha, recomenda-se ainda que se evite manifestações de cunho político e ideológico em território russo, como discussões sociais e o uso de bandeiras em ambientes públicos.

"Evite manifestar-se publicamente sobre temas políticos, ideológicos, sociais e de orientação sexual. O uso de bandeiras estrangeiras em praças e edifícios públicos pode ensejar sua apreensão."

Na Rússia, a população LGBT é amplamente reprimida inclusive com legislações antigays. Em uma lei aprovada em junho de 2013, o parlamento russo proíbe "propagar relações sexuais não-tradicionais" e impõe multas a quem promover passeatas de orgulho gay.


Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade