Jornal Página 3
PÁGINA 3 / Esporte
Lateral da Inglaterra teme ataques racistas e veta ida da família à Rússia

Copa do Mundo

Quarta, 6/6/2018 12:06.
Danny Rose
Action Images via Reuters/Carl Recine

Publicidade

(UOL/FOLHAPRESS)

Lateral-esquerdo do Tottenham e da seleção inglesa de futebol, Danny Rose tem medo que casos de racismo se repitam na Rússia durante a Copa do Mundo. Por isso, o defensor decidiu vetar a ida da sua família ao país durante a competição.

"Não estou preocupado comigo. Mas disse para minha família que não quero eles indo para lá, por causa do racismo e de qualquer outra coisa que possa acontecer. Não quero me preocupar enquanto estou tentando me preparar para jogos com a segurança da minha família. Se alguma coisa acontecer comigo, não me afetaria como se minha família tivesse sido abusada. Eu estou bem com o que pode acontecer ou não, e eu gosto de pensar que vou conseguir lidar com isso da maneira certa", disse Rose, em entrevista ao jornal inglês The Evening Standard.

"Meu pai está muito chateado. Eu podia ouvir em sua voz. Ele disse que pode nunca mais ter a chance de me ver em uma Copa do Mundo. Aquilo foi emocionante, ouvir aquilo. É muito triste. É só como as coisas são. De algum jeito, a Rússia conseguiu a Copa do Mundo e temos que lidar com isso", completou.

Em março, a Federação Russa de Futebol foi multada em 22 mil libras (cerca de R$ 111 mil reais) por cantos racistas de sua torcida durante amistoso. Rose, que já sofreu com ofensas do tipo durante jogo da seleção sub-21 na Sérvia em 2012, mostrou revolta com o tamanho da pena imposta.

"Uma multa de 22 mil libras é nojenta. O que a Fifa espera? Eu não quero parecer arrogante, mas se eu tivesse sido multado em 22 mil libras, isso não faria diferença. Um país que está sendo multado em 22 mil libras é ridículo", declarou o defensor.


Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade


Publicidade














Página 3
Danny Rose
Action Images via Reuters/Carl Recine
Action Images via Reuters/Carl Recine

Lateral da Inglaterra teme ataques racistas e veta ida da família à Rússia

Copa do Mundo

Publicidade

Quarta, 6/6/2018 12:06.

(UOL/FOLHAPRESS)

Lateral-esquerdo do Tottenham e da seleção inglesa de futebol, Danny Rose tem medo que casos de racismo se repitam na Rússia durante a Copa do Mundo. Por isso, o defensor decidiu vetar a ida da sua família ao país durante a competição.

"Não estou preocupado comigo. Mas disse para minha família que não quero eles indo para lá, por causa do racismo e de qualquer outra coisa que possa acontecer. Não quero me preocupar enquanto estou tentando me preparar para jogos com a segurança da minha família. Se alguma coisa acontecer comigo, não me afetaria como se minha família tivesse sido abusada. Eu estou bem com o que pode acontecer ou não, e eu gosto de pensar que vou conseguir lidar com isso da maneira certa", disse Rose, em entrevista ao jornal inglês The Evening Standard.

"Meu pai está muito chateado. Eu podia ouvir em sua voz. Ele disse que pode nunca mais ter a chance de me ver em uma Copa do Mundo. Aquilo foi emocionante, ouvir aquilo. É muito triste. É só como as coisas são. De algum jeito, a Rússia conseguiu a Copa do Mundo e temos que lidar com isso", completou.

Em março, a Federação Russa de Futebol foi multada em 22 mil libras (cerca de R$ 111 mil reais) por cantos racistas de sua torcida durante amistoso. Rose, que já sofreu com ofensas do tipo durante jogo da seleção sub-21 na Sérvia em 2012, mostrou revolta com o tamanho da pena imposta.

"Uma multa de 22 mil libras é nojenta. O que a Fifa espera? Eu não quero parecer arrogante, mas se eu tivesse sido multado em 22 mil libras, isso não faria diferença. Um país que está sendo multado em 22 mil libras é ridículo", declarou o defensor.


Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade