Jornal Página 3
PÁGINA 3 / Esporte
Em chegada da taça da Copa a Moscou, Matthäus coloca Brasil e Alemanha como favoritos

Domingo, 3/6/2018 9:54.

Publicidade

FÁBIO ALEIXO
MOSCOU, RÚSSIA (FOLHAPRESS) - A taça da Copa do Mundo está de volta a Moscou. Neste domingo (3), ela chegou à capital russa vinda de São Petersburgo.

Um evento foi realizado na Praça Manej, logo atrás da Praça Vermelha. A cerimônia contou com a presença de Lothar Matthäus, capitão da Alemanha na conquista da Copa de 1990, na Itália.

Ele foi o responsável por revelar a taça ao público e erguê-la. Algo que ele espera que a Alemanha faça de novo neste ano.

"Claro que vejo a Alemanha como favorita e vou cruzar os dedos para que vença. Mas vejo Brasil e Espanha também como favoritos. E se Messi estiver bem por sete jogos, a Argentina tem chances", afirmou.

"Vamos esperar que a Rússia também vá longe para manter o clima festivo no país. Quem sabe não jogam uma final contra a Alemanha (risos)", disse.

O alemão também ressaltou a melhora do time brasileiro em relação a 2014. "Vi o jogo do Brasil contra a Alemanha [vitória de 1 a 0 em amistoso em março] e gostei de ver que o Brasil estava sem o Neymar e já não é tão dependente. Vejo uma seleção mais forte. Não gosto de dizer melhor, mas mais organizada", analisou.

"A Alemanha não precisa ser mais forte, precisa fazer igual em 2014", completou.

Um forte esquema de segurança foi montado para o evento em uma área cercada, pela qual só passavam convidados e jornalistas após passarem por detectores de metais.

Após algum tempo, turistas e moradores de Moscou que passavam pelo local tiveram o acesso liberado.

O retorno à sede da abertura e final do Mundial marca o fim do tour da taça, que teve início em 9 de setembro do ano passado no estádio Lujniki.

No primeiro estágio do tour, a taça passou por 16 cidades russas, totalizando mais de 16 mil quilômetros.

Em janeiro deste ano, teve início a parte internacional do tour, em Londres. Nesta fase, foram 65 cidades visitadas em 51 países de seis continentes durante três meses.

O Brasil acabou excluído desta fase internacional pela primeira vez desde que o tour foi lançado pela Fifa, antes da Copa do Mundo de 2006, na Alemanha.

O retorno à Rússia aconteceu em 1º de maio. Desde então, a taça passou por Vladivostok, Novosibirsk, Iekaterinburgo, Samara, Kazan, Nijni Novgood, Rostov-do-Don e São Petersburgo.

Foi a viagem mais longa do objeto em uma parceria entre a Fifa e a Coca-Cola.

Em Moscou, ela ficará exposta ao público até quinta-feira (7) no Parque Gorki, um dos principais da cidade e localizado em uma área central.

No dia 9, a taça será exposta em um museu temporário que a Fifa terá em Moscou em um estúdio de carros da Hyundai, outra de suas patrocinadoras.

No dia 15 de julho, será entregue ao novo campeão mundial.


Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade


Publicidade














Página 3

Em chegada da taça da Copa a Moscou, Matthäus coloca Brasil e Alemanha como favoritos

Publicidade

Domingo, 3/6/2018 9:54.

FÁBIO ALEIXO
MOSCOU, RÚSSIA (FOLHAPRESS) - A taça da Copa do Mundo está de volta a Moscou. Neste domingo (3), ela chegou à capital russa vinda de São Petersburgo.

Um evento foi realizado na Praça Manej, logo atrás da Praça Vermelha. A cerimônia contou com a presença de Lothar Matthäus, capitão da Alemanha na conquista da Copa de 1990, na Itália.

Ele foi o responsável por revelar a taça ao público e erguê-la. Algo que ele espera que a Alemanha faça de novo neste ano.

"Claro que vejo a Alemanha como favorita e vou cruzar os dedos para que vença. Mas vejo Brasil e Espanha também como favoritos. E se Messi estiver bem por sete jogos, a Argentina tem chances", afirmou.

"Vamos esperar que a Rússia também vá longe para manter o clima festivo no país. Quem sabe não jogam uma final contra a Alemanha (risos)", disse.

O alemão também ressaltou a melhora do time brasileiro em relação a 2014. "Vi o jogo do Brasil contra a Alemanha [vitória de 1 a 0 em amistoso em março] e gostei de ver que o Brasil estava sem o Neymar e já não é tão dependente. Vejo uma seleção mais forte. Não gosto de dizer melhor, mas mais organizada", analisou.

"A Alemanha não precisa ser mais forte, precisa fazer igual em 2014", completou.

Um forte esquema de segurança foi montado para o evento em uma área cercada, pela qual só passavam convidados e jornalistas após passarem por detectores de metais.

Após algum tempo, turistas e moradores de Moscou que passavam pelo local tiveram o acesso liberado.

O retorno à sede da abertura e final do Mundial marca o fim do tour da taça, que teve início em 9 de setembro do ano passado no estádio Lujniki.

No primeiro estágio do tour, a taça passou por 16 cidades russas, totalizando mais de 16 mil quilômetros.

Em janeiro deste ano, teve início a parte internacional do tour, em Londres. Nesta fase, foram 65 cidades visitadas em 51 países de seis continentes durante três meses.

O Brasil acabou excluído desta fase internacional pela primeira vez desde que o tour foi lançado pela Fifa, antes da Copa do Mundo de 2006, na Alemanha.

O retorno à Rússia aconteceu em 1º de maio. Desde então, a taça passou por Vladivostok, Novosibirsk, Iekaterinburgo, Samara, Kazan, Nijni Novgood, Rostov-do-Don e São Petersburgo.

Foi a viagem mais longa do objeto em uma parceria entre a Fifa e a Coca-Cola.

Em Moscou, ela ficará exposta ao público até quinta-feira (7) no Parque Gorki, um dos principais da cidade e localizado em uma área central.

No dia 9, a taça será exposta em um museu temporário que a Fifa terá em Moscou em um estúdio de carros da Hyundai, outra de suas patrocinadoras.

No dia 15 de julho, será entregue ao novo campeão mundial.


Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade