Jornal Página 3
PÁGINA 3 / Esporte
Brasil aberto às famílias se inspira na Alemanha que conquistou a Bahia

Sexta, 29/6/2018 9:09.
Pedro Martins / MoWA Press

Publicidade

SOCHI, RÚSSIA (UOL/FOLHAPRESS) - Esqueça a Alemanha que foi eliminada na primeira fase da Copa da Rússia em um dos maiores vexames da sua história. É o time de sucesso de 2014, que conquistou a Copa e o Brasil a partir de uma preparação única na Bahia, que inspira Tite e companhia. Exemplo a ser seguido para o treinador, o ambiente leve que caracterizou a concentração germânica em Santa Cruz Cabrália, litoral sul da Bahia, virou exemplo para o Brasil de Tite.

Na última quinta-feira (28), a seleção ganhou sua sexta folga desde que se reuniu para a Copa do Mundo. E o cenário para o dia descanso em muito se assemelhava àquele vivido pelos alemães na última Copa: praia, tranquilidade e familiares por perto. Não é coincidência.
O descanso é uma prioridade de Tite e sua comissão técnica neste Mundial. A ideia é que pelo menos uma vez por semana a delegação se "desligue" da tensão de disputar uma Copa. Tudo muito parecido com os dias de 2014 do time que ergueu a taça em solo brasileiro.

Pensada por muitos meses, a decisão de copiar o modelo alemão amadureceu após a definição de Sochi como base do Brasil. A CBF comprou pouco mais de 30 exemplares do livro "40 dias com a campeã do mundo", do jornalista Gustavo Hofman, da ESPN, que acompanhou a Alemanha em 2014, e distribuiu entre estafe e comissão técnica.

O preparador físico Fábio Mahseredjian foi um dos que mais estudaram o livro, visando montar toda a programação para Sochi -inclusive debatendo as datas de folgas e contatos com familiares.

Hofman chegou a ser chamado para dar uma minipalestra e tirar dúvidas da comissão técnica sobre o modelo de concentração da Alemanha no Brasil. Uma das maiores preocupações do grupo de Tite era a abertura da relação com as famílias. Outro ponto de debate foi o da relação entre time e imprensa.

Na Vila de Santo André, casa da Alemanha em 2014, algumas diferenças. O acesso das famílias era restrito à praia particular no local, não dentro da concentração. Caso quisessem, os jogadores iam à pousada que hospedava os familiares.

Em Sochi, a relação é mais aberta. Na folga de quinta-feira, Neymar, por exemplo, esteve com a mãe, Nadine, e o filho, Davi Lucca, na concentração. Outros jogadores também recebem seus familiares no luxuoso resort de Sochi. Tite recebeu a esposa, Rose, no local. Membros do estafe também tiveram momentos com esposas, namoradas e familiares.

Quem resolveu sair foi ao hotel que serve de base para os acompanhantes da delegação. O local fica a cinco minutos de carro da concentração, e alguns jogadores chegaram a organizar um pequeno passeio de barco pelo Mar Negro.

O descanso da última quinta-feira pode ter sido o último em Sochi. Após as oitavas de final na cidade de Samara, o grupo volta para a cidade à beira do Mar Negro no início do dia 3. A passagem, no entanto, será relâmpago e com dois treinos previstos. Caso se classifique às quartas, a delegação se despede do resort na manhã do dia 5.

O grupo se reapresenta para o almoço desta sexta-feira (29) e tem treino marcado para 17h. No sábado, nova atividade, seguida de embarque para Samara, palco do duelo decisivo de oitavas de final contra o México, na segunda (2).


Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade













Página 3
Pedro Martins / MoWA Press

Brasil aberto às famílias se inspira na Alemanha que conquistou a Bahia

Publicidade

Sexta, 29/6/2018 9:09.

SOCHI, RÚSSIA (UOL/FOLHAPRESS) - Esqueça a Alemanha que foi eliminada na primeira fase da Copa da Rússia em um dos maiores vexames da sua história. É o time de sucesso de 2014, que conquistou a Copa e o Brasil a partir de uma preparação única na Bahia, que inspira Tite e companhia. Exemplo a ser seguido para o treinador, o ambiente leve que caracterizou a concentração germânica em Santa Cruz Cabrália, litoral sul da Bahia, virou exemplo para o Brasil de Tite.

Na última quinta-feira (28), a seleção ganhou sua sexta folga desde que se reuniu para a Copa do Mundo. E o cenário para o dia descanso em muito se assemelhava àquele vivido pelos alemães na última Copa: praia, tranquilidade e familiares por perto. Não é coincidência.
O descanso é uma prioridade de Tite e sua comissão técnica neste Mundial. A ideia é que pelo menos uma vez por semana a delegação se "desligue" da tensão de disputar uma Copa. Tudo muito parecido com os dias de 2014 do time que ergueu a taça em solo brasileiro.

Pensada por muitos meses, a decisão de copiar o modelo alemão amadureceu após a definição de Sochi como base do Brasil. A CBF comprou pouco mais de 30 exemplares do livro "40 dias com a campeã do mundo", do jornalista Gustavo Hofman, da ESPN, que acompanhou a Alemanha em 2014, e distribuiu entre estafe e comissão técnica.

O preparador físico Fábio Mahseredjian foi um dos que mais estudaram o livro, visando montar toda a programação para Sochi -inclusive debatendo as datas de folgas e contatos com familiares.

Hofman chegou a ser chamado para dar uma minipalestra e tirar dúvidas da comissão técnica sobre o modelo de concentração da Alemanha no Brasil. Uma das maiores preocupações do grupo de Tite era a abertura da relação com as famílias. Outro ponto de debate foi o da relação entre time e imprensa.

Na Vila de Santo André, casa da Alemanha em 2014, algumas diferenças. O acesso das famílias era restrito à praia particular no local, não dentro da concentração. Caso quisessem, os jogadores iam à pousada que hospedava os familiares.

Em Sochi, a relação é mais aberta. Na folga de quinta-feira, Neymar, por exemplo, esteve com a mãe, Nadine, e o filho, Davi Lucca, na concentração. Outros jogadores também recebem seus familiares no luxuoso resort de Sochi. Tite recebeu a esposa, Rose, no local. Membros do estafe também tiveram momentos com esposas, namoradas e familiares.

Quem resolveu sair foi ao hotel que serve de base para os acompanhantes da delegação. O local fica a cinco minutos de carro da concentração, e alguns jogadores chegaram a organizar um pequeno passeio de barco pelo Mar Negro.

O descanso da última quinta-feira pode ter sido o último em Sochi. Após as oitavas de final na cidade de Samara, o grupo volta para a cidade à beira do Mar Negro no início do dia 3. A passagem, no entanto, será relâmpago e com dois treinos previstos. Caso se classifique às quartas, a delegação se despede do resort na manhã do dia 5.

O grupo se reapresenta para o almoço desta sexta-feira (29) e tem treino marcado para 17h. No sábado, nova atividade, seguida de embarque para Samara, palco do duelo decisivo de oitavas de final contra o México, na segunda (2).


Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade