Jornal Página 3

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Coronel Nunes: Vice diz que voto contrário à Conmebol foi opção pessoal do presidente da CBF
Leandro Lopes / CBF
Coronel Nunes, presidente da CBF

Quinta, 14/6/2018 11:21.

FÁBIO ALEIXO E ALEX SABINO / MOSCOU, RÚSSIA (FOLHAPRESS)

O voto do Coronel Nunes à candidatura de Marrocos para sediar a Copa do Mundo de 2026 foi atacado até pelo vice-presidente da CBF Fernando Sarney, durante o lançamento da casa Conmebol, em Moscou, nesta quinta-feira (14).

Convidado a falar sobre a organização da Copa América de 2019, que será no Brasil, Fernando Sarney, que comanda o Comitê da Organização do evento, preside o Conselho da Conmebol e é um dos vices da Confederação Brasileira, saiu do tema inicial para deixar claro que a CBF não concorda com a decisão de Nunes.

"A CBF está sempre alinhada com a Conmebol. Qualquer outra decisão diferente sempre será pessoal e não uma posição da CBF", explicou.

Coronel Nunes, presidente da CBF, quebrou o pacto de unanimidade que havia dentro da Conmebol pelo voto na candidatura United 2026 (Canadá/México/EUA), que acabou vencedora com 134 votos contra 65 do adversário.

Mais cedo, o presidente da AFA (Associação Argentina de Futebol), Claudio Tapia, taxou como uma traição o voto da entidade brasileira.

"Quando acontecem estas coisas, eu não gosto de falar pessoalmente. Quando você está com o sangue quente, coisas ruins podem acontecer. Então, depois conversaremos. Mas não comparto desta decisão que está mais perto de uma traição do que para uma simpatia", afirmou Tapia.

O argentino seguiu atacando Nunes por faltar com a palavra dada na reunião realizada na segunda-feira (11) em Moscou, dois dias antes do Congresso da Fifa.

"Reunimos e não me parece bem quando um homem se compromete a algo e não cumpre. Sempre que me comprometi, segui a decisão", disse.

"Internamente teremos que falar e entender porque ele fez este voto. O voto pode ser por um ou pelo outro, mas quando se chega a um consenso em uma comissão e é algo unânime, tem de ser respeitada esta decisão", disse.

O evento também serviu para a apresentação da candidatura tripla de Argentina, Uruguai e Paraguai para a Copa de 2030.

O Coronel Nunes não apareceu no evento. Rogério Caboclo, que assumirá a presidência da CBF em abril de 2019, representou a entidade, assim como Sarney.

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade



Publicidade


Negócios

"Foram quatro anos de tanta recessão que existe uma demanda represada gigantesca".


Geral

Rede municipal tem 1.700 professores que ensinam 15 mil alunos em 44 escolas


Esportes


Publicidade


Publicidade



Publicidade



Publicidade



Publicidade



Publicidade



Publicidade



Publicidade

Página 3

Coronel Nunes: Vice diz que voto contrário à Conmebol foi opção pessoal do presidente da CBF

Leandro Lopes / CBF
Coronel Nunes, presidente da CBF
Coronel Nunes, presidente da CBF
Quinta, 14/6/2018 11:21.

FÁBIO ALEIXO E ALEX SABINO / MOSCOU, RÚSSIA (FOLHAPRESS)

O voto do Coronel Nunes à candidatura de Marrocos para sediar a Copa do Mundo de 2026 foi atacado até pelo vice-presidente da CBF Fernando Sarney, durante o lançamento da casa Conmebol, em Moscou, nesta quinta-feira (14).

Convidado a falar sobre a organização da Copa América de 2019, que será no Brasil, Fernando Sarney, que comanda o Comitê da Organização do evento, preside o Conselho da Conmebol e é um dos vices da Confederação Brasileira, saiu do tema inicial para deixar claro que a CBF não concorda com a decisão de Nunes.

"A CBF está sempre alinhada com a Conmebol. Qualquer outra decisão diferente sempre será pessoal e não uma posição da CBF", explicou.

Coronel Nunes, presidente da CBF, quebrou o pacto de unanimidade que havia dentro da Conmebol pelo voto na candidatura United 2026 (Canadá/México/EUA), que acabou vencedora com 134 votos contra 65 do adversário.

Mais cedo, o presidente da AFA (Associação Argentina de Futebol), Claudio Tapia, taxou como uma traição o voto da entidade brasileira.

"Quando acontecem estas coisas, eu não gosto de falar pessoalmente. Quando você está com o sangue quente, coisas ruins podem acontecer. Então, depois conversaremos. Mas não comparto desta decisão que está mais perto de uma traição do que para uma simpatia", afirmou Tapia.

O argentino seguiu atacando Nunes por faltar com a palavra dada na reunião realizada na segunda-feira (11) em Moscou, dois dias antes do Congresso da Fifa.

"Reunimos e não me parece bem quando um homem se compromete a algo e não cumpre. Sempre que me comprometi, segui a decisão", disse.

"Internamente teremos que falar e entender porque ele fez este voto. O voto pode ser por um ou pelo outro, mas quando se chega a um consenso em uma comissão e é algo unânime, tem de ser respeitada esta decisão", disse.

O evento também serviu para a apresentação da candidatura tripla de Argentina, Uruguai e Paraguai para a Copa de 2030.

O Coronel Nunes não apareceu no evento. Rogério Caboclo, que assumirá a presidência da CBF em abril de 2019, representou a entidade, assim como Sarney.

Publicidade

Publicidade