Jornal Página 3
PÁGINA 3 / Esporte
Após dificuldades, laterais da seleção controlam ímpeto mexicano

Copa do Mundo

Segunda, 2/7/2018 14:00.
Heuler Andrey/DiaEsportivo/Folhapress
Filipe Luis em lance - Partida entre Brasil e México, válida pela oitavas de final da Copa do Mundo da Rússia 2018, na Arena Samara, em Samara, nesta segunda-feira, 2.

Publicidade

CAMILA MATTOSO, DIEGO GARCIA, SÉRGIO RANGEL E LUIZ COSENZO /SAMARA E SOCHI, RÚSSIA (FOLHAPRESS)

Titulares da seleção brasileira na vitória sobre o México por 2 a 0, os laterais Fagner, 29, e Filipe Luís, 32, tiveram dificuldades no início do jogo para controlar o ímpeto rival, que foi melhor durante os primeiros 20 minutos.

A seleção da América do Norte avançou sua marcação e dificultou um dos pontos fortes do time de Tite, que é a saída de bola do campo de defesa com a ajuda dos laterais.

Quando recuperavam a posse de bola, os mexicanos apostavam nas jogadas pelas beiradas do campo. Lozano e Chicharito caíam nas costas de Filipe Luís, enquanto Carlos Vela explorava o lado de Fagner.

Assim, os mexicanos chegaram duas vezes com perigo. Aos 8min, Vela passou por Fagner, mas o corintiano conseguiu a recuperação antes do cruzamento. Sete minutos depois, Lozano venceu Filipe Luís na corrida e cruzou, mas Chicharito não conseguiu completar.

Depois da pressão inicial, o México não conseguiu manter o ritmo e recuou a linha de marcação. Foi o momento que o Brasil cresceu no jogo e criou chances com Neymar, Coutinho e Jesus.

Nos três lances, os laterais não tiveram uma participação ofensiva. Eles procuraram fechar a linha de quatro e desceram pouco para o ataque.

Com o gol marcado por Neymar logo aos 5min do segundo tempo, o Brasil recuou e procurou se defender mais para explorar a velocidade do quarteto ofensivo formado por Willian, Neymar, Jesus e Gabriel Jesus.

Com a defesa mais postada, Fagner e Filipe Luís não ficaram no mano a mano com os rivais. Fagner teve a ajuda de Paulinho, enquanto Gabriel Jesus passou a jogar mais pela esquerda e colaborar com Filipe Luís na marcação. O posicionamento liberou mais Coutinho e Neymar.

Com essa liberdade, Neymar desceu pela esquerda e tocou paraFirmino, que havia acabado de entrar no lugar de Coutinho, só empurrar para o gol.

Fagner deve continuar como titular nas quartas de final. Foi o terceiro jogo completo do lateral corintiano, que ganhou a vaga após Danilo sentir uma lesão muscular no quadril.

Já Filipe Luís deverá retornar ao banco de reservas. É provável que Marcelo, o titular da posição, já esteja recuperado do espasmo muscular na coluna. Aos 32 anos, o lateral do Atlético de Madri iniciou pela primeira vez uma partida de Copa.

Marcelo teve o problema no início do duelo contra a Sérvia, realizado no último dia 27, e foi vetado pelo departamento médico na véspera do confronto contra os mexicanos.


Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade













Página 3
Heuler Andrey/DiaEsportivo/Folhapress
Filipe Luis em lance - Partida entre Brasil e México, válida pela oitavas de final da Copa do Mundo da Rússia 2018, na Arena Samara, em Samara, nesta segunda-feira, 2.
Filipe Luis em lance - Partida entre Brasil e México, válida pela oitavas de final da Copa do Mundo da Rússia 2018, na Arena Samara, em Samara, nesta segunda-feira, 2.

Após dificuldades, laterais da seleção controlam ímpeto mexicano

Copa do Mundo

Publicidade

Segunda, 2/7/2018 14:00.

CAMILA MATTOSO, DIEGO GARCIA, SÉRGIO RANGEL E LUIZ COSENZO /SAMARA E SOCHI, RÚSSIA (FOLHAPRESS)

Titulares da seleção brasileira na vitória sobre o México por 2 a 0, os laterais Fagner, 29, e Filipe Luís, 32, tiveram dificuldades no início do jogo para controlar o ímpeto rival, que foi melhor durante os primeiros 20 minutos.

A seleção da América do Norte avançou sua marcação e dificultou um dos pontos fortes do time de Tite, que é a saída de bola do campo de defesa com a ajuda dos laterais.

Quando recuperavam a posse de bola, os mexicanos apostavam nas jogadas pelas beiradas do campo. Lozano e Chicharito caíam nas costas de Filipe Luís, enquanto Carlos Vela explorava o lado de Fagner.

Assim, os mexicanos chegaram duas vezes com perigo. Aos 8min, Vela passou por Fagner, mas o corintiano conseguiu a recuperação antes do cruzamento. Sete minutos depois, Lozano venceu Filipe Luís na corrida e cruzou, mas Chicharito não conseguiu completar.

Depois da pressão inicial, o México não conseguiu manter o ritmo e recuou a linha de marcação. Foi o momento que o Brasil cresceu no jogo e criou chances com Neymar, Coutinho e Jesus.

Nos três lances, os laterais não tiveram uma participação ofensiva. Eles procuraram fechar a linha de quatro e desceram pouco para o ataque.

Com o gol marcado por Neymar logo aos 5min do segundo tempo, o Brasil recuou e procurou se defender mais para explorar a velocidade do quarteto ofensivo formado por Willian, Neymar, Jesus e Gabriel Jesus.

Com a defesa mais postada, Fagner e Filipe Luís não ficaram no mano a mano com os rivais. Fagner teve a ajuda de Paulinho, enquanto Gabriel Jesus passou a jogar mais pela esquerda e colaborar com Filipe Luís na marcação. O posicionamento liberou mais Coutinho e Neymar.

Com essa liberdade, Neymar desceu pela esquerda e tocou paraFirmino, que havia acabado de entrar no lugar de Coutinho, só empurrar para o gol.

Fagner deve continuar como titular nas quartas de final. Foi o terceiro jogo completo do lateral corintiano, que ganhou a vaga após Danilo sentir uma lesão muscular no quadril.

Já Filipe Luís deverá retornar ao banco de reservas. É provável que Marcelo, o titular da posição, já esteja recuperado do espasmo muscular na coluna. Aos 32 anos, o lateral do Atlético de Madri iniciou pela primeira vez uma partida de Copa.

Marcelo teve o problema no início do duelo contra a Sérvia, realizado no último dia 27, e foi vetado pelo departamento médico na véspera do confronto contra os mexicanos.


Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade