Jornal Página 3
PÁGINA 3 / Esporte
Principal skatista brasileiro, Pedro Barros é pego no doping

Skatista catarinense testou positivo para derivado de maconha

Sábado, 28/4/2018 8:36.

Publicidade

(FOLHAPRESS) - O skatista catarinense Pedro Barros, principal nome da modalidade no país, foi reprovado em exame antidoping, confirmou a Confederação Brasileira de Skate (CBSk).

A informação foi revelada pelo blog Olhar Olímpico, do UOL, que afirma que a substância detectada no exame é um derivado de maconha.

Segundo o blog, o exame foi realizado pela Autoridade Brasileira de Controle de Dopagem (ABCD) em janeiro. Outro skatista brasileiro, Ítalo Peñarrubia, também teria testado positivo.

A confederação afirma que a competição não era oficial e, por isso, não pode dar mais detalhes.

"Os atletas já possuem advogados constituídos e diante dos fatos, dos quais a confederação foi informada, está confiante de que todos continuarão exercendo suas atividades normalmente, pois entende-se não ter havido violação à regra de antidopagem, conforme será demonstrado no curso dos processos", afirmou a confederação em comunicado à imprensa.

O skate está se adaptando ao antidoping internacional após se tornar modalidade olímpica para a próxima Olimpíada, em Tóquio.

"A CBSK atesta que, embora seja um tema novo e ainda não muito difundido no skate, seguirá rigorosamente todas as normas exigidas pelos órgãos competentes de antidopagem em seu circuito nacional", concluiu a entidade.

Apontado como sucessor de Bob Burnquist, Barros venceu seis medalhas de ouro no X-Games.


Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade


Publicidade














Página 3

Principal skatista brasileiro, Pedro Barros é pego no doping

Skatista catarinense testou positivo para derivado de maconha

Publicidade

Sábado, 28/4/2018 8:36.

(FOLHAPRESS) - O skatista catarinense Pedro Barros, principal nome da modalidade no país, foi reprovado em exame antidoping, confirmou a Confederação Brasileira de Skate (CBSk).

A informação foi revelada pelo blog Olhar Olímpico, do UOL, que afirma que a substância detectada no exame é um derivado de maconha.

Segundo o blog, o exame foi realizado pela Autoridade Brasileira de Controle de Dopagem (ABCD) em janeiro. Outro skatista brasileiro, Ítalo Peñarrubia, também teria testado positivo.

A confederação afirma que a competição não era oficial e, por isso, não pode dar mais detalhes.

"Os atletas já possuem advogados constituídos e diante dos fatos, dos quais a confederação foi informada, está confiante de que todos continuarão exercendo suas atividades normalmente, pois entende-se não ter havido violação à regra de antidopagem, conforme será demonstrado no curso dos processos", afirmou a confederação em comunicado à imprensa.

O skate está se adaptando ao antidoping internacional após se tornar modalidade olímpica para a próxima Olimpíada, em Tóquio.

"A CBSK atesta que, embora seja um tema novo e ainda não muito difundido no skate, seguirá rigorosamente todas as normas exigidas pelos órgãos competentes de antidopagem em seu circuito nacional", concluiu a entidade.

Apontado como sucessor de Bob Burnquist, Barros venceu seis medalhas de ouro no X-Games.


Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade