Jornal Página 3
PÁGINA 3 / Esporte
Atleta de Balneário conquista pan-americano de handebol

Ela concedeu entrevista ao Página 3, confira.

Terça, 17/4/2018 15:32.

Publicidade

A seleção brasileira de handebol conquistou invicta o título de campeã pan-americana juvenil, domingo (15), em Buenos Aires e garantiu passagem para disputar o Mundial em agosto, na Polônia. Entre as atletas campeãs e já convocadas para o Mundial, está Nathália Silva Fontana, 18, da Fundação Municipal de Esportes (FMEBC), armadora central da seleção.

A jogadora foi convocada em fevereiro para um treino na seleção brasileira e no dia 30 de março foi novamente chamada. Treinou até 8 de abril. O Pan-Americano foi de 10 a 15 de abril e o Brasil chegou invicto ao título com cinco vitórias: 26x23 sobre o Chile; 35x15 no Uruguai; 48x12 sobre o Peru; 21x16 sobre a Argentina e 31x23 sobre o Paraguai.

A campeã pan-americana retornou domingo à noite a Balneário Camboriú, onde mora há nove anos. Nascida em Curitiba, Nathália foi apresentada ao handebol há seis anos na escola. Nos últimos quatro joga na equipe de alto rendimento da Fundação Municipal, treinada pelo técnico Gerson Cabral.

Feliz da vida com seu primeiro título internacional, Nathália concedeu entrevista ao Página3. Acompanhe:

O que representou a conquista deste título?

Nathália - Foi um sonho realizado, representar o meu país em uma competição internacional é maravilhoso.

Como foi a experiência de jogar na seleção brasileira?

Foi uma sensação inesquecível, uma experiência que vou levar pro resto da vida, tanto como aprendizado e como uma lembrança.

Em vista do pouco tempo de treino, é dificil ‘encaixar’ em uma seleção, ritmo de jogo, conjunto, essas coisas?

Sim, com tão pouco tempo de treino é um pouco difícil encaixar com todas as meninas, até porque todas são de lugares diferentes do país e temos nossas diferenças, mas no final deu tudo certo.

Como serão os preparativos para o Mundial na Polônia em setembro?

Vamos ter algumas fases antes do mundial, os treinamentos vão ser fortes, esperamos chegar bem na competição.

Como o handebol entrou na tua vida?

O handebol entrou na minha vida pelo colégio, uma colega jogava e precisava de meninas para jogar e sempre gostei de esportes então resolvi tentar, comecei a treinar no colégio e sempre me dei bem então meu professor me levou na Fundação, onde treino até hoje.

Quais os principais títulos?

Principais títulos são tetracampeã dos Joguinhos, tricampeã da Olesc, campeã da segunda divisão dos Jogos Escolares em João Pessoa, segundo lugar na seletiva do mundial no Espírito Santo. Esses são os principais.

Em determinado nível o esporte começa a ocupar muito tempo do atleta, quanto melhor o atleta mais tempo ele consome em treinos etc... como você administra o esporte com o restante, estudos, lazer, namorar etc...?

Precisa de muito treinamento se você que chegar a uma seleção. Não é muito difícil conciliar com a vida pessoal, estudo de manhã e treino à tarde e academia. O mais complicado são as competições de longo período e as convocações para a fase, porque são muitos dias fora de casa e acabo perdendo muito coisa aqui em Balneário. Mas tudo tem um jeitinho de resolver. A vida amorosa não entra nessa vida de atleta (risos), porque é difícil alguém entender que preciso viajar sempre e ficar dias foras, às vezes treinar no sábado e domingo... então isso acaba ficando meio de lado.

O que o esporte mudou em sua vida?

Mudou meu estilo de vida, conheci muitos lugares que não imaginaria conhecer, me proporcionou muita emoções, muitas amizades. O esporte mudou minha vida totalmente e tenho certeza que quero isso pra minha vida. Chegar a uma seleção adulta e representar meu país com muito orgulho.


Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade













Página 3

Atleta de Balneário conquista pan-americano de handebol

Ela concedeu entrevista ao Página 3, confira.

Publicidade

Terça, 17/4/2018 15:32.

A seleção brasileira de handebol conquistou invicta o título de campeã pan-americana juvenil, domingo (15), em Buenos Aires e garantiu passagem para disputar o Mundial em agosto, na Polônia. Entre as atletas campeãs e já convocadas para o Mundial, está Nathália Silva Fontana, 18, da Fundação Municipal de Esportes (FMEBC), armadora central da seleção.

A jogadora foi convocada em fevereiro para um treino na seleção brasileira e no dia 30 de março foi novamente chamada. Treinou até 8 de abril. O Pan-Americano foi de 10 a 15 de abril e o Brasil chegou invicto ao título com cinco vitórias: 26x23 sobre o Chile; 35x15 no Uruguai; 48x12 sobre o Peru; 21x16 sobre a Argentina e 31x23 sobre o Paraguai.

A campeã pan-americana retornou domingo à noite a Balneário Camboriú, onde mora há nove anos. Nascida em Curitiba, Nathália foi apresentada ao handebol há seis anos na escola. Nos últimos quatro joga na equipe de alto rendimento da Fundação Municipal, treinada pelo técnico Gerson Cabral.

Feliz da vida com seu primeiro título internacional, Nathália concedeu entrevista ao Página3. Acompanhe:

O que representou a conquista deste título?

Nathália - Foi um sonho realizado, representar o meu país em uma competição internacional é maravilhoso.

Como foi a experiência de jogar na seleção brasileira?

Foi uma sensação inesquecível, uma experiência que vou levar pro resto da vida, tanto como aprendizado e como uma lembrança.

Em vista do pouco tempo de treino, é dificil ‘encaixar’ em uma seleção, ritmo de jogo, conjunto, essas coisas?

Sim, com tão pouco tempo de treino é um pouco difícil encaixar com todas as meninas, até porque todas são de lugares diferentes do país e temos nossas diferenças, mas no final deu tudo certo.

Como serão os preparativos para o Mundial na Polônia em setembro?

Vamos ter algumas fases antes do mundial, os treinamentos vão ser fortes, esperamos chegar bem na competição.

Como o handebol entrou na tua vida?

O handebol entrou na minha vida pelo colégio, uma colega jogava e precisava de meninas para jogar e sempre gostei de esportes então resolvi tentar, comecei a treinar no colégio e sempre me dei bem então meu professor me levou na Fundação, onde treino até hoje.

Quais os principais títulos?

Principais títulos são tetracampeã dos Joguinhos, tricampeã da Olesc, campeã da segunda divisão dos Jogos Escolares em João Pessoa, segundo lugar na seletiva do mundial no Espírito Santo. Esses são os principais.

Em determinado nível o esporte começa a ocupar muito tempo do atleta, quanto melhor o atleta mais tempo ele consome em treinos etc... como você administra o esporte com o restante, estudos, lazer, namorar etc...?

Precisa de muito treinamento se você que chegar a uma seleção. Não é muito difícil conciliar com a vida pessoal, estudo de manhã e treino à tarde e academia. O mais complicado são as competições de longo período e as convocações para a fase, porque são muitos dias fora de casa e acabo perdendo muito coisa aqui em Balneário. Mas tudo tem um jeitinho de resolver. A vida amorosa não entra nessa vida de atleta (risos), porque é difícil alguém entender que preciso viajar sempre e ficar dias foras, às vezes treinar no sábado e domingo... então isso acaba ficando meio de lado.

O que o esporte mudou em sua vida?

Mudou meu estilo de vida, conheci muitos lugares que não imaginaria conhecer, me proporcionou muita emoções, muitas amizades. O esporte mudou minha vida totalmente e tenho certeza que quero isso pra minha vida. Chegar a uma seleção adulta e representar meu país com muito orgulho.


Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade