Jornal Página 3

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Em primeiro jogo oficial, Chapecoense não faz gols e empata com o Joinville

Sexta, 27/1/2017 7:27.

GUILHERME SETO, ENVIADO ESPECIAL
CHAPECÓ, SC (FOLHAPRESS) - Após quase dois meses de homenagens, jogos de times das categorias de base e um jogo amistoso, a Chapecoense disputou sua primeira partida oficial nesta quinta-feira (26), dando assim um passo importante no restabelecimento da normalidade. Na Arena Condá ocupada pela metade, Chapecoense e Joinville empataram em 0 a 0 pela Primeira Liga.

Nas arquibancadas, os 7.135 torcedores abandonaram a brandura da festa do sábado (21), durante o "Jogo da Amizade" contra o Palmeiras e criaram um pequeno caldeirão para receber os rivais regionais do Joinville, adversário que superaram em 2016 para conquistarem o título do Catarinense. As torcidas organizadas levaram suas baterias, entoaram cantos empolgados e encheram os adversários de impropérios -era o primeiro confronto para valer depois do acidente em Medellín que deixou 71 mortos, grande parte deles membros da Chapecoense.

Em campo, a equipe mostrou dificuldades de entrosamento, já que nenhum dos titulares estava no clube no ano passado. Ao todo, 23 jogadores foram contratados para a temporada. Com um time que mesclou titulares e reservas, já que o técnico Vagner Mancini disse que priorizará o Catarinense, a Chapecoense mais se defendeu que atacou. Os zagueiros Luiz Otávio e Nathan se destacaram, assim como o lateral uruguaio Zeballos, principal via de escape ao ataque.

O goleiro Elias e os zagueiros da Chapecoense participaram o tempo todo do jogo, mas as jogadas dificilmente progrediram para além da intermediária adversária. Os erros de passe, sintoma claro da falta de entrosamento, foram numerosos. O primeiro tempo foi truncado, com seguidas faltas de ambos os times, o que deixou claro que o clima solidário que existe em relação à Chapecoense não fará com que a intensidade dos adversários arrefeça.

Aos 42 min, a melhor chance foi criada por Zeballos, que cruzou para Túlio de Mello cabecear a bola rente à trave de Jhonatan.
Cadenciando mais a bola, o Joinville esbarrou em grande atuação do goleiro da Chapecoense. No primeiro minuto do segundo tempo, Alex Rhuan finalizou de frente para o gol e Elias fez defesa difícil.

Aos 26 min do segundo tempo, que correspondem a 71 minutos corridos de jogo, os torcedores foram incentivados pelo locutor do estádio a cantarem o famoso grito "vamos, vamos, Chape" em homenagem às vítimas do acidente aéreo.

No domingo (29), a Chapecoense receberá o Inter de Lages em sua estreia no Catarinense. Para esta partida, deverá contar com atletas mais conhecidos como o volante Amaral, o zagueiro Grolli e o atacante Wellington Paulista. 

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade



Publicidade


Publicidade


Política


Saúde

Evento é especial para mulheres e inscrições estão abertas


Publicidade

Revestimento que já foi sucesso é tendência novamente


Publicidade



Publicidade



Publicidade



Publicidade



Publicidade



Publicidade



Publicidade

Página 3

Em primeiro jogo oficial, Chapecoense não faz gols e empata com o Joinville

Sexta, 27/1/2017 7:27.

GUILHERME SETO, ENVIADO ESPECIAL
CHAPECÓ, SC (FOLHAPRESS) - Após quase dois meses de homenagens, jogos de times das categorias de base e um jogo amistoso, a Chapecoense disputou sua primeira partida oficial nesta quinta-feira (26), dando assim um passo importante no restabelecimento da normalidade. Na Arena Condá ocupada pela metade, Chapecoense e Joinville empataram em 0 a 0 pela Primeira Liga.

Nas arquibancadas, os 7.135 torcedores abandonaram a brandura da festa do sábado (21), durante o "Jogo da Amizade" contra o Palmeiras e criaram um pequeno caldeirão para receber os rivais regionais do Joinville, adversário que superaram em 2016 para conquistarem o título do Catarinense. As torcidas organizadas levaram suas baterias, entoaram cantos empolgados e encheram os adversários de impropérios -era o primeiro confronto para valer depois do acidente em Medellín que deixou 71 mortos, grande parte deles membros da Chapecoense.

Em campo, a equipe mostrou dificuldades de entrosamento, já que nenhum dos titulares estava no clube no ano passado. Ao todo, 23 jogadores foram contratados para a temporada. Com um time que mesclou titulares e reservas, já que o técnico Vagner Mancini disse que priorizará o Catarinense, a Chapecoense mais se defendeu que atacou. Os zagueiros Luiz Otávio e Nathan se destacaram, assim como o lateral uruguaio Zeballos, principal via de escape ao ataque.

O goleiro Elias e os zagueiros da Chapecoense participaram o tempo todo do jogo, mas as jogadas dificilmente progrediram para além da intermediária adversária. Os erros de passe, sintoma claro da falta de entrosamento, foram numerosos. O primeiro tempo foi truncado, com seguidas faltas de ambos os times, o que deixou claro que o clima solidário que existe em relação à Chapecoense não fará com que a intensidade dos adversários arrefeça.

Aos 42 min, a melhor chance foi criada por Zeballos, que cruzou para Túlio de Mello cabecear a bola rente à trave de Jhonatan.
Cadenciando mais a bola, o Joinville esbarrou em grande atuação do goleiro da Chapecoense. No primeiro minuto do segundo tempo, Alex Rhuan finalizou de frente para o gol e Elias fez defesa difícil.

Aos 26 min do segundo tempo, que correspondem a 71 minutos corridos de jogo, os torcedores foram incentivados pelo locutor do estádio a cantarem o famoso grito "vamos, vamos, Chape" em homenagem às vítimas do acidente aéreo.

No domingo (29), a Chapecoense receberá o Inter de Lages em sua estreia no Catarinense. Para esta partida, deverá contar com atletas mais conhecidos como o volante Amaral, o zagueiro Grolli e o atacante Wellington Paulista. 

Publicidade

Publicidade