Jornal Página 3

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Após Olimpíada, cresce procura pela ginástica artística na cidade
Fotos Bruna Horvath

Quarta, 19/10/2016 9:43.

A ginástica artística ou olímpica foi uma das modalidades ofertadas nas escolinhas da Fundação Municipal de Esportes que teve maior procura, após a Olimpíada Rio 2016. Atualmente a escolinha tem mais de 40 praticantes, mas ainda há vagas para crianças e adolescentes entre 7 e 17 anos.

O professor Guilherme Salvi de Oliveira Jensen, que coordena a escolinha, explicou que no início todos passam por treinamentos para avaliar aptidão física, habilidade psicomotora e somente depois desta fase, começam a ter contato com equipamentos, movimentos, exercícios e saltos.

A base da ginástica olímpica é a evolução técnica nos diversos exercícios. Para os homens as provas são barra fixa, barras paralelas, cavalo com alças, salto sobre a mesa, argolas e solo. As provas femininas são exercícios de solo (com música), salto sobre a mesa (1,25m de altura), paralelas assimétricas (de 2,50m e 1,70m de altura), trave de equilíbrio (de 10cm de largura por 5m de comprimento).

Segundo o professor, a prática da modalidade oferece muitos benefícios para uma criança. “Desenvolver o conhecimento do próprio corpo, noções dos seus limites, habilidades adquiridas com os movimentos, equilíbrio, coordenação motora e outros”.

Os que mais se destacam na escolinha formam uma equipe competitiva, que representa o município em competições municipais, estaduais ou nacionais.

Interessados em participar da escolinha podem se inscrever com o professor, no local (Centro Esportivo Professor Oswaldo Husadel, Rua Paraguai, nº 630, Bairro das Nações) ou buscar informações elo 3360-0444.

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade



Publicidade



Publicidade



Publicidade



Publicidade



Publicidade



Publicidade



Publicidade

Página 3

Após Olimpíada, cresce procura pela ginástica artística na cidade

Fotos Bruna Horvath
Quarta, 19/10/2016 9:43.

A ginástica artística ou olímpica foi uma das modalidades ofertadas nas escolinhas da Fundação Municipal de Esportes que teve maior procura, após a Olimpíada Rio 2016. Atualmente a escolinha tem mais de 40 praticantes, mas ainda há vagas para crianças e adolescentes entre 7 e 17 anos.

O professor Guilherme Salvi de Oliveira Jensen, que coordena a escolinha, explicou que no início todos passam por treinamentos para avaliar aptidão física, habilidade psicomotora e somente depois desta fase, começam a ter contato com equipamentos, movimentos, exercícios e saltos.

A base da ginástica olímpica é a evolução técnica nos diversos exercícios. Para os homens as provas são barra fixa, barras paralelas, cavalo com alças, salto sobre a mesa, argolas e solo. As provas femininas são exercícios de solo (com música), salto sobre a mesa (1,25m de altura), paralelas assimétricas (de 2,50m e 1,70m de altura), trave de equilíbrio (de 10cm de largura por 5m de comprimento).

Segundo o professor, a prática da modalidade oferece muitos benefícios para uma criança. “Desenvolver o conhecimento do próprio corpo, noções dos seus limites, habilidades adquiridas com os movimentos, equilíbrio, coordenação motora e outros”.

Os que mais se destacam na escolinha formam uma equipe competitiva, que representa o município em competições municipais, estaduais ou nacionais.

Interessados em participar da escolinha podem se inscrever com o professor, no local (Centro Esportivo Professor Oswaldo Husadel, Rua Paraguai, nº 630, Bairro das Nações) ou buscar informações elo 3360-0444.

Publicidade

Publicidade