Jornal Página 3

Publicidade

Publicidade

Escolinha de rugby da Fundação de Balneário Camboriú tem vagas

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Segunda, 11/4/2016 14:34.

O rugby é uma modalidade em expansão constante, mas ainda pouco conhecida, tanto que muitas pessoas confundem com futebol americano, enquanto outros o definem como esporte muito violento. O BC Rugby fundado há mais de seis anos atua nos dois naipes. No masculino disputa competições estaduais e nacionais e está entre os 15 melhores do país. O feminino participa de competições locais e regionais. Para chegar às equipes de rendimento tem dois caminhos: quem já conhece ou pratica, deve apresentar-se para treinos e quem quer aprender, pode inscrever-se na escolinha da Fundação Municipal de Esportes, que é gratuita e tem vagas.

Para divulgar o esporte, o professor de rugby da FMEBC David Alves Chanin e alguns jogadores do BC Rugby visitaram algumas escolas, com o objetivo de estimular crianças e adolescentes para ingressar na escolinha. O colégio Antonio Lucio foi uma das escolas visitadas, onde os alunos receberam até instruções práticas.

“Os treinos de rugby iniciante são diferentes do adulto na questão do contato físico, porque na escolinha, a proposta é apresentar o esporte e mostrar que ele pode ser inclusivo”, explicou David. Ele reforçou que a modalidade tem forte influência sobre valores, desde amizade e autocontrole até respeito e trabalho em equipe. Quem passar pela escolinha e quiser continuar será encaminhado ao BC Rugby para tornar-se um atleta de rendimento.

O jogador Matheus Correa Morais, 20, é um exemplo dessa transição da escolinha para o rendimento. Ele começou a jogar há quatro anos na escolinha e hoje é o ‘fullback’, jogador de defesa do BC Rugby. Há dois anos, Matheus integrou a seleção catarinense, foi o capitão do time, que ficou vice-campeão brasileiro.

BC Rugby masculino treina terças e quintas no Estádio Municipal, das 20h às 22h e o feminino, das 22h às 23h30. Aos sábados, treino misto, das 14h às 16h no IFC. Para ingressar na escolinha da FMEBC ou (47) 3360-0444.

Não há restrições para mulheres

O time feminino do BC Rugby, formado por uma dezena de jogadoras, prepara-se para disputar o Campeonato Catarinense esse ano, etapas da Liga Sul (PR/SC/RS), amistosos e participar dos treinamentos para formação de uma seleção estadual de Rugby XV, modalidade ainda pouco difundida no país. 

A reportagem conversou com Prika Fabris, que foi apresentada ao rugby por um amigo da faculdade e apaixonou-se. Hoje é titular da equipe.

A prática feminina é restrita ou a mulherada vai à luta, sem medo de lesões?

Não há restrição, as regras são as mesmas para as categorias masculina e feminina. Inclusive no cenário internacional a seleção brasileira feminina é melhor posicionada no ranking que a masculina. As meninas estão entre as 10 melhores do mundo, enquanto no masculino estamos em 39º no ranking mundial.

O que precisa para entrar no time? Ser forte, grande, ter força...

O rugby é um esporte inclusivo. Qualquer pessoa tem seu espaço dentro de campo, não há nenhuma limitação quanto a peso, altura, idade. Basta ter vontade e compromisso, pois o esporte exige preparação física e técnicas de contato.

A prática modalidade é cara?

Para treinar no BCR, basta uma chuteira e trajes adequados para os treinos (short, camiseta, top), além do pagamento de mensalidade, que ajuda no custeio de materiais, inscrições em torneios, viagens, etc.

Já se lesionou? Onde?

Já. Em outubro fiz um pequeno corte no supercílio esquerdo.

É um esporte difícil?

É um esporte que exige muito fisicamente das jogadoras, além de conhecimento de regras e técnicas de contato. A primeira vista parece complexo e violento, mas na realidade é um esporte de evasão com contatos ocasionais. Uma vez familiarizado, é bem divertido.

A mulher sempre tão preocupada com sua aparência, não corre riscos de ganhar manchas roxas no rosto, quebrar pernas etc..?

É um esporte de contato, riscos sempre tem. Mas durante os treinos aprendemos bastante sobre as regras do esporte e as técnicas de contato pra que ninguém se machuque.


Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade



Saúde

Objetivo é investir em prevenção e desafogar o Posto Central


Empregos

Salários chegam a R$ 22 mil


Geral

Elcio Rogério Kuhnen prestou contas da sua administração


Cidade

Jornal Página 3 prepara material especial para a data


Publicidade


Publicidade


Publicidade



Publicidade



Publicidade



Publicidade



Publicidade



Publicidade



Publicidade