Jornal Página 3
PÁGINA 3 / Equilíbrio
Programa Abraço é destaque no Fórum Social Mundial

Secretária apresentou iniciativa de BC na PUC do RS

Quarta, 24/1/2018 17:57.
Divulgação
Christina palestrando sobre o ABRAÇO na PUC gaúcha

Publicidade

Por Andréa Artigas

O Programa Abraço ao Idoso, de Balneário Camboriú, foi apresentado nesta quarta-feira, (24), no Fórum Social Mundial, em Porto Alegre, no auditório da Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul (PUC).

Na plateia representantes dos conselhos municipais do Idoso e do Fórum dos conselhos porto-alegrenses. Incrementou o painel, a apresentação das práticas implementadas pela Secretaria da Pessoa Idosa e ainda discussões em torno da importância da utilização e criação do fundo municipal dos idosos para a implementação de novos projetos.

O presidente do Instituto Amigos do Fórum Social Mundial, Lélio Falcão, destacou o interesse de representantes dos municípios participantes do Fórum em conhecer com detalhes do programa para implementar em suas cidades.

“Eu queria que Porto Alegre pudesse chegar perto do que hoje é feito em Balneário Camboriú, quando se fala em política pública em prol do idoso”, disse a liderança que está na coordenação do fórum.

Na explanação sobre o programa foram apresentados os números e a metodologia utilizada, desde a criação do programa, em abril de 2017. De acordo com a assistente social, Daiana Caroline Feil, em 2016, foram registrados nos cadastros da Secretaria do Idoso, apenas dois casos de violência ao idoso. No ano seguinte, do início do Abraço até dezembro de 2017, foram registrados cerca de 1,1 mil casos de violência.

Destes, 48% são de violência financeira, 25% violência psicológica e 11% são casos de abandono. Sendo que o maior índice de atendimento concentra-se na região central da cidade, que somam 54% dos casos.

Para a psicóloga Caroline Testa, integrante da equipe do Abraço, o aparecimento desses casos indicam que os objetivos do programa tem sido alcançado porque a conscientização sobre os direitos dos idosos e o acolhimento é uma das metas prioritárias do serviço.

“O idoso que se sente ameaçado, hoje nos procura. Por meio do Programa Abraço temos conseguindo proteger o idoso de qualquer tipo de violência, prevenir a ameaça ou violação dos direitos do idoso e fortalecer e trabalhar o resgate dos vínculos familiares”, disse Caroline. Cada pessoa que procura o programa, segue um protocolo específico. Em casos mais graves, de agressão física, a SPI oferece um abrigo temporário ao idoso, além de cuidar de todo acompanhamento necessário até a volta do idoso a uma vida feliz e saudável.

A secretária da Pessoa Idosa, Christina Barichelo, reforçou que o problema da violência sempre existiu, mas não havia uma política pública clara para tratar dessa questão.

“Na verdade a violência já existia, ela só estava debaixo do tapete. Agora o idoso sabe que tem onde buscar ajuda e socorro”, destacou. Atuam nesse serviço ainda os profissionais, a advogada Maristela Rocha, que auxilia o idoso contra crimes financeiros e dá todo o aporte necessários nas questões jurídicas e o administrador Paulo César Senk Jr, que atua no gerenciamento do programa.

Ao final da apresentação, a equipe responsável pelo programa, encerrou, convidando a plateia a dar um abraço. O serviço Abraço funciona 24 horas, atende demandas vindas direto da comunidade, do outras repartições do governo e do Ministério Público e pode ser acionado pelo fone (47) 3363-3020.


Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade


Publicidade














Página 3
Divulgação
Christina palestrando sobre o ABRAÇO na PUC gaúcha
Christina palestrando sobre o ABRAÇO na PUC gaúcha

Programa Abraço é destaque no Fórum Social Mundial

Secretária apresentou iniciativa de BC na PUC do RS

Publicidade

Quarta, 24/1/2018 17:57.

Por Andréa Artigas

O Programa Abraço ao Idoso, de Balneário Camboriú, foi apresentado nesta quarta-feira, (24), no Fórum Social Mundial, em Porto Alegre, no auditório da Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul (PUC).

Na plateia representantes dos conselhos municipais do Idoso e do Fórum dos conselhos porto-alegrenses. Incrementou o painel, a apresentação das práticas implementadas pela Secretaria da Pessoa Idosa e ainda discussões em torno da importância da utilização e criação do fundo municipal dos idosos para a implementação de novos projetos.

O presidente do Instituto Amigos do Fórum Social Mundial, Lélio Falcão, destacou o interesse de representantes dos municípios participantes do Fórum em conhecer com detalhes do programa para implementar em suas cidades.

“Eu queria que Porto Alegre pudesse chegar perto do que hoje é feito em Balneário Camboriú, quando se fala em política pública em prol do idoso”, disse a liderança que está na coordenação do fórum.

Na explanação sobre o programa foram apresentados os números e a metodologia utilizada, desde a criação do programa, em abril de 2017. De acordo com a assistente social, Daiana Caroline Feil, em 2016, foram registrados nos cadastros da Secretaria do Idoso, apenas dois casos de violência ao idoso. No ano seguinte, do início do Abraço até dezembro de 2017, foram registrados cerca de 1,1 mil casos de violência.

Destes, 48% são de violência financeira, 25% violência psicológica e 11% são casos de abandono. Sendo que o maior índice de atendimento concentra-se na região central da cidade, que somam 54% dos casos.

Para a psicóloga Caroline Testa, integrante da equipe do Abraço, o aparecimento desses casos indicam que os objetivos do programa tem sido alcançado porque a conscientização sobre os direitos dos idosos e o acolhimento é uma das metas prioritárias do serviço.

“O idoso que se sente ameaçado, hoje nos procura. Por meio do Programa Abraço temos conseguindo proteger o idoso de qualquer tipo de violência, prevenir a ameaça ou violação dos direitos do idoso e fortalecer e trabalhar o resgate dos vínculos familiares”, disse Caroline. Cada pessoa que procura o programa, segue um protocolo específico. Em casos mais graves, de agressão física, a SPI oferece um abrigo temporário ao idoso, além de cuidar de todo acompanhamento necessário até a volta do idoso a uma vida feliz e saudável.

A secretária da Pessoa Idosa, Christina Barichelo, reforçou que o problema da violência sempre existiu, mas não havia uma política pública clara para tratar dessa questão.

“Na verdade a violência já existia, ela só estava debaixo do tapete. Agora o idoso sabe que tem onde buscar ajuda e socorro”, destacou. Atuam nesse serviço ainda os profissionais, a advogada Maristela Rocha, que auxilia o idoso contra crimes financeiros e dá todo o aporte necessários nas questões jurídicas e o administrador Paulo César Senk Jr, que atua no gerenciamento do programa.

Ao final da apresentação, a equipe responsável pelo programa, encerrou, convidando a plateia a dar um abraço. O serviço Abraço funciona 24 horas, atende demandas vindas direto da comunidade, do outras repartições do governo e do Ministério Público e pode ser acionado pelo fone (47) 3363-3020.


Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade