Jornal Página 3
PÁGINA 3 / Eleições
Fabrício Oliveira trocou o PSB pelo Podemos

Eclético, partido lançou Jânio Quadros, apoiou Dilma e Aécio

Segunda, 6/4/2020 10:24.
EBC.

Publicidade

O prefeito Fabrício Oliveira deixou o PSB e ingressou no Podemos, partido pelo qual disputará a reeleição em Balneário Camboriú.

Fabrício flertou com o Aliança de Jair Bolsonaro, mas como a criação daquele partido não ocorrerá a tempo de disputar a eleição, ele optou pelo Podemos.

O Podemos é modesto em Santa Catarina, não elegeu deputados estaduais, federais ou senadores.

Em âmbito nacional o Podemos se destacou por ter eleito 11 senadores, dentre eles o paranaense Álvaro Dias que concorreu à presidência em 2018.

O partido se diz independente, mas em 2019 foi o que mais apoiou o governo Bolsonaro nas votações na Câmara dos Deputados.

A qualidade da representação partidária melhorou substancialmente em janeiro quando foi expulso o argentário pastor-deputado Marcos Feliciano.

Com linha ideológica duvidosa, o Podemos, que antigamente se chamava PTN (Partido Trabalhista Nacional), elegeu Jânio Quadros como presidente da República em 1960, fato que jogou o Brasil na crise que culminaria com uma ditadura de 21 anos.

Na eleição de 2010 o PTN apoiou Dilma Rousseff; em 2014 o apoio foi para Aécio Neves e em 2018 tinha candidato próprio à Presidência, Álvaro Dias.

A reportagem não conseguiu contato com Fabrício Oliveira para apurar se ele pretende seguir carreira no Podemos ou se vai usar o partido como poleiro para o Aliança.

O Podemos é o quarto partido de Fabrício Oliveira, antes ele passou po PV, PSDB e PSB.


Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade













Página 3
EBC.

Fabrício Oliveira trocou o PSB pelo Podemos

Eclético, partido lançou Jânio Quadros, apoiou Dilma e Aécio

Publicidade

Segunda, 6/4/2020 10:24.

O prefeito Fabrício Oliveira deixou o PSB e ingressou no Podemos, partido pelo qual disputará a reeleição em Balneário Camboriú.

Fabrício flertou com o Aliança de Jair Bolsonaro, mas como a criação daquele partido não ocorrerá a tempo de disputar a eleição, ele optou pelo Podemos.

O Podemos é modesto em Santa Catarina, não elegeu deputados estaduais, federais ou senadores.

Em âmbito nacional o Podemos se destacou por ter eleito 11 senadores, dentre eles o paranaense Álvaro Dias que concorreu à presidência em 2018.

O partido se diz independente, mas em 2019 foi o que mais apoiou o governo Bolsonaro nas votações na Câmara dos Deputados.

A qualidade da representação partidária melhorou substancialmente em janeiro quando foi expulso o argentário pastor-deputado Marcos Feliciano.

Com linha ideológica duvidosa, o Podemos, que antigamente se chamava PTN (Partido Trabalhista Nacional), elegeu Jânio Quadros como presidente da República em 1960, fato que jogou o Brasil na crise que culminaria com uma ditadura de 21 anos.

Na eleição de 2010 o PTN apoiou Dilma Rousseff; em 2014 o apoio foi para Aécio Neves e em 2018 tinha candidato próprio à Presidência, Álvaro Dias.

A reportagem não conseguiu contato com Fabrício Oliveira para apurar se ele pretende seguir carreira no Podemos ou se vai usar o partido como poleiro para o Aliança.

O Podemos é o quarto partido de Fabrício Oliveira, antes ele passou po PV, PSDB e PSB.


Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade