Jornal Página 3
PÁGINA 3 / Eleições
“A reforma tributária é a mais urgente” diz Amin, candidato ao Senado pelo PP

#EleicoesSC

Sexta, 7/9/2018 8:43.
EBC.

Publicidade

Esperidião Amin já foi governador de Santa Catarina, já foi senador e agora está concluindo mais um mandato como deputado federal

Jornais ADI/Adjori - Neste momento do país, vale mais a experiência ou a renovação no Senado?

Amin - O próprio nome do Senado demonstra que é para maiores de 35 anos, na República e na Federação. No Senado, deve prevalecer a experiência, até porque é uma Casa revisora, é uma Casa de representação do Estado. Eu acho que a renovação sempre é desejada, mas com confiança, com esperança, e que a pessoa tenha a experiência necessária.

ADI/Adjori - E nisso pesa a sua experiência, tanto no Executivo quanto no Legislativo.

Amin - São características que diferenciam minha candidatura. A experiência como governador, conhecimento do Estado, e a percepção de que Santa Catarina e os seus bons exemplos não são adequadamente valorizados em Brasília. A nossa voz tem que ser alteada, e eu acho que é muito importante salientar a possibilidade de eleger um Espiridião Amin e um Raimundo Colombo (PSD, compõe chapa ao Senado com Amin na coligação). E o momento que o Brasil vive não pode ser desprezado. Nós não vamos salvar o nosso Estado, nós temos que salvar o país. Fazemos parte de uma nação em grande crise econômica, social. O Brasil comemora neste ano cada vez em que em um determinado mês a gente repete os dados econômicos de 2014. Nós perdemos quatro anos. Perder quatro anos para um pessoa é muito, para uma nação é impossível recuperar.

ADI/Adjori - É possível reverter esses quatro anos?

Amin - Não. O tempo não volta. O que é possível é recuperar parte deste tempo perdido o mais rapidamente possível. Eu calculo que, com reformas, nós não recuperamos o que perdemos, mas voltaremos a crescer. Por exemplo, reforma tributária. Só quem já foi governador sabe o quanto é importante preservar a receita do tipo de Estado que nós somos: um estado industrializado, que exporta, importa matéria-prima. Nós temos que ter uma reforma tributária que não nos alije do mercado e que nos dê competitividade para este modelo catarinense, que é extraordinário, construído não pelo governo, mas pela sociedade. A reforma tributária eu considero a mais importante, a mais urgente para a retomada.

ADI/Adjori - Como recuperar a credibilidade do Congresso?

Amin - Votando. O eleitor que reclama, tem agora o seu encontro com a verdade. Ele se lembra em quem votou? Está contente com o desempenho? Ele tem que cuidar, em primeiro lugar, do seu voto! A pior coisa que ele pode fazer é dizer ‘está tudo errado e eu não vou votar’.


Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade













Página 3
EBC.

“A reforma tributária é a mais urgente” diz Amin, candidato ao Senado pelo PP

#EleicoesSC

Publicidade

Sexta, 7/9/2018 8:43.

Esperidião Amin já foi governador de Santa Catarina, já foi senador e agora está concluindo mais um mandato como deputado federal

Jornais ADI/Adjori - Neste momento do país, vale mais a experiência ou a renovação no Senado?

Amin - O próprio nome do Senado demonstra que é para maiores de 35 anos, na República e na Federação. No Senado, deve prevalecer a experiência, até porque é uma Casa revisora, é uma Casa de representação do Estado. Eu acho que a renovação sempre é desejada, mas com confiança, com esperança, e que a pessoa tenha a experiência necessária.

ADI/Adjori - E nisso pesa a sua experiência, tanto no Executivo quanto no Legislativo.

Amin - São características que diferenciam minha candidatura. A experiência como governador, conhecimento do Estado, e a percepção de que Santa Catarina e os seus bons exemplos não são adequadamente valorizados em Brasília. A nossa voz tem que ser alteada, e eu acho que é muito importante salientar a possibilidade de eleger um Espiridião Amin e um Raimundo Colombo (PSD, compõe chapa ao Senado com Amin na coligação). E o momento que o Brasil vive não pode ser desprezado. Nós não vamos salvar o nosso Estado, nós temos que salvar o país. Fazemos parte de uma nação em grande crise econômica, social. O Brasil comemora neste ano cada vez em que em um determinado mês a gente repete os dados econômicos de 2014. Nós perdemos quatro anos. Perder quatro anos para um pessoa é muito, para uma nação é impossível recuperar.

ADI/Adjori - É possível reverter esses quatro anos?

Amin - Não. O tempo não volta. O que é possível é recuperar parte deste tempo perdido o mais rapidamente possível. Eu calculo que, com reformas, nós não recuperamos o que perdemos, mas voltaremos a crescer. Por exemplo, reforma tributária. Só quem já foi governador sabe o quanto é importante preservar a receita do tipo de Estado que nós somos: um estado industrializado, que exporta, importa matéria-prima. Nós temos que ter uma reforma tributária que não nos alije do mercado e que nos dê competitividade para este modelo catarinense, que é extraordinário, construído não pelo governo, mas pela sociedade. A reforma tributária eu considero a mais importante, a mais urgente para a retomada.

ADI/Adjori - Como recuperar a credibilidade do Congresso?

Amin - Votando. O eleitor que reclama, tem agora o seu encontro com a verdade. Ele se lembra em quem votou? Está contente com o desempenho? Ele tem que cuidar, em primeiro lugar, do seu voto! A pior coisa que ele pode fazer é dizer ‘está tudo errado e eu não vou votar’.


Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade