Jornal Página 3
PÁGINA 3 / Eleições
Manuela D'Ávila bate boca com metalúrgico na porta de fábrica em SP

Quarta, 5/9/2018 19:49.
Divulgação
Manuela D'Avilla, deputada estadual no Rio Grande do Sul

Publicidade

(FOLHAPRESS)

Futura vice na chapa do PT à Presidência, a deputada estadual Manuela D'Ávila (PC do B-RS) protagonizou, na manhã desta quarta-feira (5), um bate-boca com um metalúrgico que interrompeu seu discurso na porta da indústria Pan Metal, em São Paulo.

Manuela falava sobre a crise no setor de metalurgia, quando o operador de máquina Denis Gregório a interrompeu, chamando a deputada de comunista e afirmando que ela mentia.

"Você luta por uma causa perdida", gritou Gregório, eleitor declarado de Jair Bolsonaro (PSL).

Em resposta, Manuela disse não temer homem que lhe aponte dedo. Afirmou ainda que não tinha medo de se identificar.

Apoiadores de Fernando Haddad tiveram que intervir para reduzir o mal-estar. Gregório ensaiou protestar também durante discurso de Haddad, mas se conteve.


Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade













Página 3
Divulgação
Manuela D'Avilla, deputada estadual no Rio Grande do Sul
Manuela D'Avilla, deputada estadual no Rio Grande do Sul

Manuela D'Ávila bate boca com metalúrgico na porta de fábrica em SP

Publicidade

Quarta, 5/9/2018 19:49.

(FOLHAPRESS)

Futura vice na chapa do PT à Presidência, a deputada estadual Manuela D'Ávila (PC do B-RS) protagonizou, na manhã desta quarta-feira (5), um bate-boca com um metalúrgico que interrompeu seu discurso na porta da indústria Pan Metal, em São Paulo.

Manuela falava sobre a crise no setor de metalurgia, quando o operador de máquina Denis Gregório a interrompeu, chamando a deputada de comunista e afirmando que ela mentia.

"Você luta por uma causa perdida", gritou Gregório, eleitor declarado de Jair Bolsonaro (PSL).

Em resposta, Manuela disse não temer homem que lhe aponte dedo. Afirmou ainda que não tinha medo de se identificar.

Apoiadores de Fernando Haddad tiveram que intervir para reduzir o mal-estar. Gregório ensaiou protestar também durante discurso de Haddad, mas se conteve.


Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade