Jornal Página 3
PÁGINA 3 / Eleições
Em vídeo, campanha de Alckmin compara Bolsonaro a homem em relacionamento abusivo

Terça, 4/9/2018 19:26.
Pedro Ladeira/Folhapress

Publicidade

LETÍCIA CASADO E MARINA DIAS - BRASÍLIA, DF (FOLHAPRESS)

Um vídeo que circula na internet, sem assinatura da coligação, faz uma comparação entre o presidenciável Jair Bolsonaro (PSL) e um homem em relacionamento abusivo.

O objetivo é atingir eleitores que podem se incomodar com atitude agressiva de Bolsonaro, que hoje, segundo pesquisas, abocanha parte do eleitorado que já votou no PSDB do adversário Geraldo Alckmin (PSDB).

O vídeo não tem assinatura da coligação, mas a Folha apurou que foi feito pela equipe do tucano e que esta não é a versão final do filme, que viralizou na internet.

A veiculação começa com um casal sentado à mesa de um restaurante, com um vaso de flores.

O homem, branco, grisalho, de camisa azul, fala em voz alta para a mulher: "Dá que eu te dou outra! Você é uma idiota! Você é uma ignorante! Vagabunda! Chora agora".

As pessoas nas mesas em volta olham para o casal. Ela faz cara de assustada.

A locutora interrompe: "Se isso é inaceitável, isso também é".

O vídeo corta para imagens de Bolsonaro na Câmara dos Deputados falando as mesmas frases para duas mulheres em diferentes ocasiões -uma jornalista e a deputada Maria do Rosário (PT-RS).

A locutora afirma: "Quem não respeita as mulheres também não merece o respeito das mulheres".

Em reunião da equipe de Alckmin foi sugerido que essa legenda seja alterada por "quem não respeita as mulheres também não merece o seu voto", apurou a reportagem.

Este é o segundo vídeo em que a equipe de Alckmin mostra imagens de Bolsonaro gritando com as mulheres na Câmara.

No primeiro, veiculado no sábado (1º), primeiro dia do horário de TV com presidentes, começa com uma questão: "Você gostaria de ser tratada deste jeito?". Então, reveza imagens de dois episódios em que Bolsonaro xinga mulheres.

Uma das situações ocorreu em 2003, na Câmara, com a deputada federal Maria do Rosário (PT). Na ocasião, ela acusou Bolsonaro de promover a violência sexual, na frente das câmeras da RedeTV!. "Jamais iria estuprar você, porque você não merece", afirmou ele.

O outro caso citado na propaganda Alckmin aconteceu também em 2014, com a repórter Manuela Borges, então funcionária da RedeTV!. Bolsonaro se irritou com uma pergunta sobre a ditadura militar e chamou a jornalista de idiota e ignorante.


Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade













Página 3
Pedro Ladeira/Folhapress

Em vídeo, campanha de Alckmin compara Bolsonaro a homem em relacionamento abusivo

Publicidade

Terça, 4/9/2018 19:26.

LETÍCIA CASADO E MARINA DIAS - BRASÍLIA, DF (FOLHAPRESS)

Um vídeo que circula na internet, sem assinatura da coligação, faz uma comparação entre o presidenciável Jair Bolsonaro (PSL) e um homem em relacionamento abusivo.

O objetivo é atingir eleitores que podem se incomodar com atitude agressiva de Bolsonaro, que hoje, segundo pesquisas, abocanha parte do eleitorado que já votou no PSDB do adversário Geraldo Alckmin (PSDB).

O vídeo não tem assinatura da coligação, mas a Folha apurou que foi feito pela equipe do tucano e que esta não é a versão final do filme, que viralizou na internet.

A veiculação começa com um casal sentado à mesa de um restaurante, com um vaso de flores.

O homem, branco, grisalho, de camisa azul, fala em voz alta para a mulher: "Dá que eu te dou outra! Você é uma idiota! Você é uma ignorante! Vagabunda! Chora agora".

As pessoas nas mesas em volta olham para o casal. Ela faz cara de assustada.

A locutora interrompe: "Se isso é inaceitável, isso também é".

O vídeo corta para imagens de Bolsonaro na Câmara dos Deputados falando as mesmas frases para duas mulheres em diferentes ocasiões -uma jornalista e a deputada Maria do Rosário (PT-RS).

A locutora afirma: "Quem não respeita as mulheres também não merece o respeito das mulheres".

Em reunião da equipe de Alckmin foi sugerido que essa legenda seja alterada por "quem não respeita as mulheres também não merece o seu voto", apurou a reportagem.

Este é o segundo vídeo em que a equipe de Alckmin mostra imagens de Bolsonaro gritando com as mulheres na Câmara.

No primeiro, veiculado no sábado (1º), primeiro dia do horário de TV com presidentes, começa com uma questão: "Você gostaria de ser tratada deste jeito?". Então, reveza imagens de dois episódios em que Bolsonaro xinga mulheres.

Uma das situações ocorreu em 2003, na Câmara, com a deputada federal Maria do Rosário (PT). Na ocasião, ela acusou Bolsonaro de promover a violência sexual, na frente das câmeras da RedeTV!. "Jamais iria estuprar você, porque você não merece", afirmou ele.

O outro caso citado na propaganda Alckmin aconteceu também em 2014, com a repórter Manuela Borges, então funcionária da RedeTV!. Bolsonaro se irritou com uma pergunta sobre a ditadura militar e chamou a jornalista de idiota e ignorante.


Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade