Jornal Página 3
PÁGINA 3 / Eleições
Frente evangélica divulga manifesto contra Bolsonaro

Sexta, 28/9/2018 17:34.
Reprodução

Publicidade

ANNA VIRGINIA BALLOUSSIER (FOLHAPRESS)

A Frente de Evangélicos pelo Estado de Direito, movimento progressista liderado por pastores como Ariovaldo Ramos (Comunidade Evangélica Cristã Reformada), divulgou um manifesto nesta sexta-feira (28) para convidar "os evangélicos a repudiarem as posições esboçadas por essa candidatura que propaga o ódio ao próximo e sua ameaça ao restabelecimento da democracia no Brasil".

A carta aberta se diz contra um candidato que aglutina vários preconceitos. "Levantamos nossa voz contra a violência, contra o machismo, contra o racismo, contra o preconceito, contra o autoritarismo e contra a exclusão manifestadas por Bolsonaro no exercício na vida política, e em seu excludente programa de governo, divulgado como solução para a realidade brasileira."

"Armar a população", afirma o texto", é emular a barbárie". E "desacatar mulheres, sugerindo a sua inferioridade em relação ao homem, não é uma política de igualdade de gênero, é misoginia, é assédio moral, é crime".

No segmento, o presidenciável tem intenção de voto acima de sua média geral.

Seus filhos e esposa são evangélicos e ele, que se declara católico, já foi batizado nas águas do rio Jordão em companhia do Pastor Everaldo (PSC).

Geraldo Alckmin (PSDB) visitou a Expo Cristã na quinta (28) e acabou vaiado pelo mesmo público que ovacionou o nome do presidenciável do PSL.


Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade













Página 3
Reprodução

Frente evangélica divulga manifesto contra Bolsonaro

Publicidade

Sexta, 28/9/2018 17:34.

ANNA VIRGINIA BALLOUSSIER (FOLHAPRESS)

A Frente de Evangélicos pelo Estado de Direito, movimento progressista liderado por pastores como Ariovaldo Ramos (Comunidade Evangélica Cristã Reformada), divulgou um manifesto nesta sexta-feira (28) para convidar "os evangélicos a repudiarem as posições esboçadas por essa candidatura que propaga o ódio ao próximo e sua ameaça ao restabelecimento da democracia no Brasil".

A carta aberta se diz contra um candidato que aglutina vários preconceitos. "Levantamos nossa voz contra a violência, contra o machismo, contra o racismo, contra o preconceito, contra o autoritarismo e contra a exclusão manifestadas por Bolsonaro no exercício na vida política, e em seu excludente programa de governo, divulgado como solução para a realidade brasileira."

"Armar a população", afirma o texto", é emular a barbárie". E "desacatar mulheres, sugerindo a sua inferioridade em relação ao homem, não é uma política de igualdade de gênero, é misoginia, é assédio moral, é crime".

No segmento, o presidenciável tem intenção de voto acima de sua média geral.

Seus filhos e esposa são evangélicos e ele, que se declara católico, já foi batizado nas águas do rio Jordão em companhia do Pastor Everaldo (PSC).

Geraldo Alckmin (PSDB) visitou a Expo Cristã na quinta (28) e acabou vaiado pelo mesmo público que ovacionou o nome do presidenciável do PSL.


Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade