Jornal Página 3
PÁGINA 3 / Eleições
Alckmin aposta na rejeição das mulheres a Bolsonaro em programa eleitoral

Terça, 25/9/2018 17:27.
Divulgação

Publicidade

DANIELA LIMA (FOLHAPRESS)

No programa de TV que vai ao ar no horário eleitoral desta terça-feira (25), o candidato do PSDB à Presidência, Geraldo Alckmin, dobra a aposta na rejeição das mulheres ao rival Jair Bolsonaro (PSL). O filme chega a exibir a #EleNão, lançada por ativistas contra o capitão reformado.

A apresentadora do programa, mulher e negra, diz que "é preciso ter cuidado para não escolher quem trata as mulheres assim". Em seguida são exibidas imagens de Bolsonaro discutindo com mulheres e uma crítica ao ataque hacker a páginas contrárias ao deputado do PSL nas redes sociais.

A peça também mira o eleitorado a favor dos direitos de homossexuais e exibe entrevistas antigas de Bolsonaro, nas quais ele diz, por exemplo, que "gostar de homossexual ninguém gosta, a gente suporta".

A propaganda ainda mostra reportagens que apontam o apoio de grupo neonazistas a Bolsonaro. "É hora de escolher muito bem", diz a apresentadora. "Depois, não tem volta."

Alckmin luta para retomar eleitorado que tradicionalmente vota no PSDB, mas este ano migrou para Bolsonaro. Na peça, o tucano aparece fazendo críticas ao PT e cita escândalos de corrupção.


Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade













Página 3
Divulgação

Alckmin aposta na rejeição das mulheres a Bolsonaro em programa eleitoral

Publicidade

Terça, 25/9/2018 17:27.

DANIELA LIMA (FOLHAPRESS)

No programa de TV que vai ao ar no horário eleitoral desta terça-feira (25), o candidato do PSDB à Presidência, Geraldo Alckmin, dobra a aposta na rejeição das mulheres ao rival Jair Bolsonaro (PSL). O filme chega a exibir a #EleNão, lançada por ativistas contra o capitão reformado.

A apresentadora do programa, mulher e negra, diz que "é preciso ter cuidado para não escolher quem trata as mulheres assim". Em seguida são exibidas imagens de Bolsonaro discutindo com mulheres e uma crítica ao ataque hacker a páginas contrárias ao deputado do PSL nas redes sociais.

A peça também mira o eleitorado a favor dos direitos de homossexuais e exibe entrevistas antigas de Bolsonaro, nas quais ele diz, por exemplo, que "gostar de homossexual ninguém gosta, a gente suporta".

A propaganda ainda mostra reportagens que apontam o apoio de grupo neonazistas a Bolsonaro. "É hora de escolher muito bem", diz a apresentadora. "Depois, não tem volta."

Alckmin luta para retomar eleitorado que tradicionalmente vota no PSDB, mas este ano migrou para Bolsonaro. Na peça, o tucano aparece fazendo críticas ao PT e cita escândalos de corrupção.


Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade