Jornal Página 3
PÁGINA 3 / Eleições
Mesária é detida no Paraná após espalhar informação falsa de que urna teria votos na memória

Domingo, 7/10/2018 13:45.
José Cruz/Agência Brasil
Tribunal Regional Eleitoral faz demonstrações da urna biométrica

Publicidade

(FOLHAPRESS)

Uma mesária foi detida na manhã deste domingo (7) em Maringá (PR) após informar a eleitores que a urna eletrônica de sua seção teria votos registrados na memória, antes mesmo de a votação ser iniciada.

A informação foi desmentida pelos demais mesários, que mostraram aos eleitores a "zerésima", um boletim de urna emitido antes de a votação começar.

O documento, divulgado pelo TRE (Tribunal Regional Eleitoral) do Paraná, demonstrava que não havia votos registrados -e estava assinado por todos os mesários que trabalhavam na seção.

A mesária, ainda assim, continuava ligando para eleitores e informando sobre a suposta fraude, que acabou sendo retransmitida pelas redes sociais.

Ela acabou detida pela Polícia Federal, e prestava depoimento na manhã deste domingo. A urna está localizada no Colégio Santo Inácio.

O TSE (Tribunal Superior Eleitoral) registrou 38 ocorrências de irregularidades cometidas por candidatos e eleitores até as 10h30 deste domingo (7).

Um candidato foi preso em São Paulo por divulgação de propaganda e dois eleitores foram presos no Mato Grosso do Sul. Os outros 35 casos registrados até o momento não levaram a prisões. O TSE não informou o nome dos envolvidos.

Irregularidades que podem levar à prisão, a depender do caso, estão relacionadas a uso de alto-falantes e amplificadores, boca de urna, divulgação de propaganda, transporte ilegal de eleitores, fornecimento ilegal de alimentos, corrupção eleitoral e outros.


Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade













Página 3
José Cruz/Agência Brasil
Tribunal Regional Eleitoral faz demonstrações da urna biométrica
Tribunal Regional Eleitoral faz demonstrações da urna biométrica

Mesária é detida no Paraná após espalhar informação falsa de que urna teria votos na memória

Publicidade

Domingo, 7/10/2018 13:45.

(FOLHAPRESS)

Uma mesária foi detida na manhã deste domingo (7) em Maringá (PR) após informar a eleitores que a urna eletrônica de sua seção teria votos registrados na memória, antes mesmo de a votação ser iniciada.

A informação foi desmentida pelos demais mesários, que mostraram aos eleitores a "zerésima", um boletim de urna emitido antes de a votação começar.

O documento, divulgado pelo TRE (Tribunal Regional Eleitoral) do Paraná, demonstrava que não havia votos registrados -e estava assinado por todos os mesários que trabalhavam na seção.

A mesária, ainda assim, continuava ligando para eleitores e informando sobre a suposta fraude, que acabou sendo retransmitida pelas redes sociais.

Ela acabou detida pela Polícia Federal, e prestava depoimento na manhã deste domingo. A urna está localizada no Colégio Santo Inácio.

O TSE (Tribunal Superior Eleitoral) registrou 38 ocorrências de irregularidades cometidas por candidatos e eleitores até as 10h30 deste domingo (7).

Um candidato foi preso em São Paulo por divulgação de propaganda e dois eleitores foram presos no Mato Grosso do Sul. Os outros 35 casos registrados até o momento não levaram a prisões. O TSE não informou o nome dos envolvidos.

Irregularidades que podem levar à prisão, a depender do caso, estão relacionadas a uso de alto-falantes e amplificadores, boca de urna, divulgação de propaganda, transporte ilegal de eleitores, fornecimento ilegal de alimentos, corrupção eleitoral e outros.


Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade