Jornal Página 3
PÁGINA 3 / Eleições
Partido Novo repreende candidato que pediu voto para Bolsonaro

Quarta, 3/10/2018 10:41.
Divulgação
Amoedo em Curitiba na noite dessa terça-feira (2)

Publicidade

JOANA CUNHA(FOLHAPRESS)

O partido Novo nesta quarta-feira (3) repreendeu seu candidato ao governo de Minas Gerais, Romeu Zema, que na noite de terça-feira (2) equiparou João Amoêdo, seu presidenciável, ao adversário Jair Bolsonaro (PSL).

Ao fazer suas considerações finais no debate da Rede Globo Minas, Zema pediu voto não só para Amoêdo, mas também para Bolsonaro. A atitude foi considerada inaceitável pelo partido Novo, que vem divulgando suas candidaturas como a representação única de novos valores na política.

O gesto desagradou apoiadores do Novo, que consideraram oportunismo de Zema, já preparando alianças para um eventual segundo turno na disputa pelo governo mineiro. Procurado, o partido afirmou em nota que a atitude de Zema "viola o estatuto e configura infidelidade partidária".

"O artigo 16, parágrafo único, do estatuto do Novo considera que 'nas situações equívocas de campanha, em que possa parecer existir aliança ou atuação conjunta com candidato de outro partido fora das hipóteses de coligação oficial, o candidato do Novo deverá pronunciar-se clara e abertamente contra a existência de aliança", diz o comunicado.


Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade













Página 3
Divulgação
Amoedo em Curitiba na noite dessa terça-feira (2)
Amoedo em Curitiba na noite dessa terça-feira (2)

Partido Novo repreende candidato que pediu voto para Bolsonaro

Publicidade

Quarta, 3/10/2018 10:41.

JOANA CUNHA(FOLHAPRESS)

O partido Novo nesta quarta-feira (3) repreendeu seu candidato ao governo de Minas Gerais, Romeu Zema, que na noite de terça-feira (2) equiparou João Amoêdo, seu presidenciável, ao adversário Jair Bolsonaro (PSL).

Ao fazer suas considerações finais no debate da Rede Globo Minas, Zema pediu voto não só para Amoêdo, mas também para Bolsonaro. A atitude foi considerada inaceitável pelo partido Novo, que vem divulgando suas candidaturas como a representação única de novos valores na política.

O gesto desagradou apoiadores do Novo, que consideraram oportunismo de Zema, já preparando alianças para um eventual segundo turno na disputa pelo governo mineiro. Procurado, o partido afirmou em nota que a atitude de Zema "viola o estatuto e configura infidelidade partidária".

"O artigo 16, parágrafo único, do estatuto do Novo considera que 'nas situações equívocas de campanha, em que possa parecer existir aliança ou atuação conjunta com candidato de outro partido fora das hipóteses de coligação oficial, o candidato do Novo deverá pronunciar-se clara e abertamente contra a existência de aliança", diz o comunicado.


Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade