Jornal Página 3
PÁGINA 3 / Eleições
“Quem não for transparente na campanha, não vai ter sucesso”, João Paulo Kleinubing

Pré-candidato ao governo de SC concedeu entrevista ao Página3

Sexta, 18/5/2018 13:48.
Marlise Schneider Cezar/Página 3
Kleinubing com Angioletti na redação do Página3

Publicidade

Por Marlise Schneider Cezar e Waldemar Cezar Neto

O deputado federal João Paulo Kleinubing, presidente estadual do Democratas (DEM) e pré-candidato ao governo do Estado, reservou parte desta sexta-feira (18), para reunir-se com o partido e visitar órgãos de imprensa de Balneário Camboriú. Na redação do Página3 ele chegou acompanhado do presidente municipal do DEM, Orlando Angioletti, dos pré-candidatos Luis Fernando (federal) e Mariza Andrade (estadual) e do seu assessor Felipe Schmidt.

Durante a visita ao jornal ele conversou sobre suas intenções de tornar-se o próximo governador de Santa Catarina, alianças, campanhas e outros assuntos. Acompanhe parte da entrevista:

JP3 - O sr. está se anunciando como pré-candidato a governador, vai seguir os passos do pai...

Kleinubing - Eu já vinha conversando com Paulo Gouvea que era o presidente estadual do Democratas, para retornar. Comecei minha historia no PFL em 1990, disputei três eleições pelo PFL, fui eleito pelo Democratas prefeito de Blumenau em duas oportunidades e vinha conversando sobre essa questão do retorno que acabou acontecendo esse ano. Voltei para junto com os colegas colocar o Democratas na eleição estadual, retomar o crescimento do partido em Santa Catarina, o partido a nível nacional está vivendo um momento importante, o Democratas foi ameaçado de extinção pelo Lula, porque foi o partido que fez oposição de verdade ao governo dele, procurou demonstrar para a sociedade os equívocos que o PT vinha fazendo no país. Essa coerência permite que o partido esteja na posição que está hoje. Temos no Rodrigo Maia um grande líder, ele tem conseguido exercer seu papel na liderança da Câmara e manter a agenda do país em funcionamento apesar de toda crise política que estamos vivendo ao longo desse período complexo de 2016 para cá. O partido quer conversar com outros partidos, buscar sua composição, mas quer também liderar um processo para Santa Catarina..

JP3 - Independente de partidos e crenças políticas, nessa eleição os candidatos terão que se virar nos 30, porque o povo tá de saco cheio de política, políticos….

Kleinubing - Eu tenho repetido isso muito e acredito que é fundamental nesta eleição é a transparência. Quem não for transparente na campanha não vai ter sucesso. Transparência o que é? É poder explicar à sua coligação, que estamos em um projeto comum e não simplesmente em uma coligação feita por conveniência eleitoral ou seja, a coligação tem que ser transparente, vamos ter que ter clareza no financiamento da eleição, na estrutura da eleição, quem está junto, porque todo esse episódio lançou luz sobre algo que as pessoas não se davam conta…se pensar que os principais marqueteiros, tesoureiros de campanhas políticas estão presos hoje…e como vamos nos diferenciar dos demais com toda essa questão? Com muita transparência nas propostas, nas ideias, daquilo que realmente é possível de ser realizado. Acho que nesse aspecto é que a transparência vai exigir e nós temos essa disposição.

JP3 - Sozinho ninguém ganha mais. Voces aceitam coligar com quais partidos?

Kleinubing - Com exceção do PT, acho que sim...mas essa discussão da coligação parte de um projeto comum pelo Estado e não de uma conveniência política...ah onde eu vou conseguir me eleger melhor, quem será o parceiro melhor nessa conveniência eleitoral. A política do Democratas será norteada por um projeto comum para Santa Catarina em que nós acreditamos. Juntos construir um projeto comum e defendê-lo perante a sociedade. A mudança do processo político começa nisso, na forma inclusive de organizar a eleição. infelizmente há partidos demais no Brasil e espero que se avance para que consiga ter um pouco mais de racionalidade.

JP3 - Essa visita a Balneário Camboriú é pra sondar as demandas da região?

Kleinubing - Estou correndo o Estado todo na reorganização do partido, fazendo reuniões com lideranças em cada região, conversando com nossos pré-candidatos a deputado estadual e federal, ouvir demandas, mas o fundamental é essa mobilização, essa participação partidária nesse momento.

Os pré-candidatos Luis Fernando (federal) e Mariza Andrade (estadual)com Kleinubing

JP3 - Aqui na região vai encontrar coisas que já perguntamos muitas vezes para o teu pai quando governador, por exemplo, a internacionalização do aeroporto de Navegantes... o Centro de Eventos que hoje é quase uma realidade...coisas que há muitos anos são ‘prioridade’ em Balneário, em Santa Catarina e…

Kleinubing - O Centro de Eventos tem capacidade de gerar negócios e desenvolvimento não só pra Balneário, mas pra região, fui prefeito em Blumenau e uma das coisas que fizemos foi a transformação da Proeb em Parque da Vila Germânica e os números mostraram o resultado positivo, retomada da ocupação hoteleira, aumento da atividade econômica, através de uma retomada do turismo de eventos lá..naquela época, que eu comecei essas mudanças em Blumenau, 2006, já se discutia o Centro de Eventos de Balneário Camboriú. O presidente Michel Temer esteve aqui ontem, anunciou autorização dos recursos, mas ele desacompanhado das melhorias do Aeroporto de Navegantes e até mesmo do Aeroporto de Florianópolis, ele não surtirá os efeitos que precisa. Ano passado tive oportunidade de estar na bancada federal catarinense, junto com outros deputados e essa questão do Aeroporto de Navegantes foi muito discutida e acho que uma solução ali passa pela iniciativa privada. Há vários modelos de participação. Florianópolis é uma concessão integral, mas acho que você pode discutir em Navegantes um modelo de concessão parcial...o que precisamos é perder o medo disso...a participação da iniciativa privada não pode ser vista como equivocada. Durante muito tempo parecia que isso era pecado no Brasil...o Democratas sempre defendeu e hoje a sociedade reconhece que não tem...a sociedade precisa co participar e é a forma de manter a vigilância permanente sobre as ações governamentais. Da mesma forma que no Centro de Eventos. Como governador, entendo que a gestão desse Centro de Eventos, não vá ser exclusivamente do Estado, temos que envolver a iniciativa privada.

JP3 - Essa eleição tem quatro cargos: governador, vice, duas vagas ao Senado. O sr. admite se colocar em qualquer uma delas ou é majoritário, cabeça mesmo?

Kleinubing - Nesse momento o que cada partido tem que fazer é lançar o nome. Volto a dizer, esta eleição vai exigir que qualquer coligação exija uma proposta comum. Nós queremos discutir um projeto comum para Santa Catarina e iremos buscar quem queira fazer isso.


Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade













Página 3
Marlise Schneider Cezar/Página 3
Kleinubing com Angioletti na redação do Página3
Kleinubing com Angioletti na redação do Página3

“Quem não for transparente na campanha, não vai ter sucesso”, João Paulo Kleinubing

Pré-candidato ao governo de SC concedeu entrevista ao Página3

Publicidade

Sexta, 18/5/2018 13:48.

Por Marlise Schneider Cezar e Waldemar Cezar Neto

O deputado federal João Paulo Kleinubing, presidente estadual do Democratas (DEM) e pré-candidato ao governo do Estado, reservou parte desta sexta-feira (18), para reunir-se com o partido e visitar órgãos de imprensa de Balneário Camboriú. Na redação do Página3 ele chegou acompanhado do presidente municipal do DEM, Orlando Angioletti, dos pré-candidatos Luis Fernando (federal) e Mariza Andrade (estadual) e do seu assessor Felipe Schmidt.

Durante a visita ao jornal ele conversou sobre suas intenções de tornar-se o próximo governador de Santa Catarina, alianças, campanhas e outros assuntos. Acompanhe parte da entrevista:

JP3 - O sr. está se anunciando como pré-candidato a governador, vai seguir os passos do pai...

Kleinubing - Eu já vinha conversando com Paulo Gouvea que era o presidente estadual do Democratas, para retornar. Comecei minha historia no PFL em 1990, disputei três eleições pelo PFL, fui eleito pelo Democratas prefeito de Blumenau em duas oportunidades e vinha conversando sobre essa questão do retorno que acabou acontecendo esse ano. Voltei para junto com os colegas colocar o Democratas na eleição estadual, retomar o crescimento do partido em Santa Catarina, o partido a nível nacional está vivendo um momento importante, o Democratas foi ameaçado de extinção pelo Lula, porque foi o partido que fez oposição de verdade ao governo dele, procurou demonstrar para a sociedade os equívocos que o PT vinha fazendo no país. Essa coerência permite que o partido esteja na posição que está hoje. Temos no Rodrigo Maia um grande líder, ele tem conseguido exercer seu papel na liderança da Câmara e manter a agenda do país em funcionamento apesar de toda crise política que estamos vivendo ao longo desse período complexo de 2016 para cá. O partido quer conversar com outros partidos, buscar sua composição, mas quer também liderar um processo para Santa Catarina..

JP3 - Independente de partidos e crenças políticas, nessa eleição os candidatos terão que se virar nos 30, porque o povo tá de saco cheio de política, políticos….

Kleinubing - Eu tenho repetido isso muito e acredito que é fundamental nesta eleição é a transparência. Quem não for transparente na campanha não vai ter sucesso. Transparência o que é? É poder explicar à sua coligação, que estamos em um projeto comum e não simplesmente em uma coligação feita por conveniência eleitoral ou seja, a coligação tem que ser transparente, vamos ter que ter clareza no financiamento da eleição, na estrutura da eleição, quem está junto, porque todo esse episódio lançou luz sobre algo que as pessoas não se davam conta…se pensar que os principais marqueteiros, tesoureiros de campanhas políticas estão presos hoje…e como vamos nos diferenciar dos demais com toda essa questão? Com muita transparência nas propostas, nas ideias, daquilo que realmente é possível de ser realizado. Acho que nesse aspecto é que a transparência vai exigir e nós temos essa disposição.

JP3 - Sozinho ninguém ganha mais. Voces aceitam coligar com quais partidos?

Kleinubing - Com exceção do PT, acho que sim...mas essa discussão da coligação parte de um projeto comum pelo Estado e não de uma conveniência política...ah onde eu vou conseguir me eleger melhor, quem será o parceiro melhor nessa conveniência eleitoral. A política do Democratas será norteada por um projeto comum para Santa Catarina em que nós acreditamos. Juntos construir um projeto comum e defendê-lo perante a sociedade. A mudança do processo político começa nisso, na forma inclusive de organizar a eleição. infelizmente há partidos demais no Brasil e espero que se avance para que consiga ter um pouco mais de racionalidade.

JP3 - Essa visita a Balneário Camboriú é pra sondar as demandas da região?

Kleinubing - Estou correndo o Estado todo na reorganização do partido, fazendo reuniões com lideranças em cada região, conversando com nossos pré-candidatos a deputado estadual e federal, ouvir demandas, mas o fundamental é essa mobilização, essa participação partidária nesse momento.

Os pré-candidatos Luis Fernando (federal) e Mariza Andrade (estadual)com Kleinubing

JP3 - Aqui na região vai encontrar coisas que já perguntamos muitas vezes para o teu pai quando governador, por exemplo, a internacionalização do aeroporto de Navegantes... o Centro de Eventos que hoje é quase uma realidade...coisas que há muitos anos são ‘prioridade’ em Balneário, em Santa Catarina e…

Kleinubing - O Centro de Eventos tem capacidade de gerar negócios e desenvolvimento não só pra Balneário, mas pra região, fui prefeito em Blumenau e uma das coisas que fizemos foi a transformação da Proeb em Parque da Vila Germânica e os números mostraram o resultado positivo, retomada da ocupação hoteleira, aumento da atividade econômica, através de uma retomada do turismo de eventos lá..naquela época, que eu comecei essas mudanças em Blumenau, 2006, já se discutia o Centro de Eventos de Balneário Camboriú. O presidente Michel Temer esteve aqui ontem, anunciou autorização dos recursos, mas ele desacompanhado das melhorias do Aeroporto de Navegantes e até mesmo do Aeroporto de Florianópolis, ele não surtirá os efeitos que precisa. Ano passado tive oportunidade de estar na bancada federal catarinense, junto com outros deputados e essa questão do Aeroporto de Navegantes foi muito discutida e acho que uma solução ali passa pela iniciativa privada. Há vários modelos de participação. Florianópolis é uma concessão integral, mas acho que você pode discutir em Navegantes um modelo de concessão parcial...o que precisamos é perder o medo disso...a participação da iniciativa privada não pode ser vista como equivocada. Durante muito tempo parecia que isso era pecado no Brasil...o Democratas sempre defendeu e hoje a sociedade reconhece que não tem...a sociedade precisa co participar e é a forma de manter a vigilância permanente sobre as ações governamentais. Da mesma forma que no Centro de Eventos. Como governador, entendo que a gestão desse Centro de Eventos, não vá ser exclusivamente do Estado, temos que envolver a iniciativa privada.

JP3 - Essa eleição tem quatro cargos: governador, vice, duas vagas ao Senado. O sr. admite se colocar em qualquer uma delas ou é majoritário, cabeça mesmo?

Kleinubing - Nesse momento o que cada partido tem que fazer é lançar o nome. Volto a dizer, esta eleição vai exigir que qualquer coligação exija uma proposta comum. Nós queremos discutir um projeto comum para Santa Catarina e iremos buscar quem queira fazer isso.


Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade