Jornal Página 3
PÁGINA 3 / Eleições
PSDB ainda não decidiu o que fazer com o patrimônio eleitoral de Pavan

Definição, segundo seu presidente, acontecerá em junho

Segunda, 4/6/2018 14:31.
Facebook pessoal.
Pavan era o candidato preferencial da sigla em Balneário Camboriú.

Publicidade

(WALDEMAR CEZAR NETO/JP3) - Faltando quatro meses para a eleição de outubro o PSDB de Balneário Camboriú ainda não decidiu sobre candidatura para defender o patrimônio eleitoral de Leonel Pavan que sofreu Acidente Vascular Cerebral Hemorrágico, continua na UTI e deverá demorar alguns meses para se recuperar.

Chocados e sentidos os tucanos não falam abertamente sobre o assunto, mas em suas cabeças está a velha máxima que não existe espaço vazio em política.

Por isso, as conversas existem e a constatação é que os votos de Pavan na cidade irão para adversários se o espaço não for ocupado.

O PSDB tinha três nomes principais: Junior Pavan, Rubens Spernau e o vereador Aldemar “Bola” Pereira.

Junior está absorvido cuidando do pai e dos negócios da família; Spernau acaba de assumir como secretário de Planejamento de Balneário Camboriú e Bola –ele mesmo admite- não tem dinheiro para fazer campanha.

Para o PSDB, com pré-candidatos ao governo do Estado e ao Senado, é inaceitável abrir mão de lançar candidatos em Balneário Camboriú. E para o partido localmente seria algo que não acontecia há 28 anos.

Aqui, além dos 15.000 votos de Pavan na última eleição, ainda estão voando outros 23 mil dados ao ex-tucano Fabrício Oliveira para deputado federal e, como todos sabem, ele não concorrerá.

Essas contas, claro, já foram feitas por todos os adversários porque cada voto perdido por um é ganho por outro.

Bola, o presidente dos tucanos, disse hoje cedo ao Página 3 que o pessoal tem insistido para que o partido se manifeste porque ficou um vácuo muito grande. A vaga na região da Amfri a estadual era do Pavan que por sua vez tentava viabilizar uma candidatura a vice governador ou suplente de senador.

“Dois dias antes do Pavan ter o acidente conversamos sobre o Junior ser candidato a deputado federal, mas agora temos que esperar porque ele tem motivos para se preocupar com o pai e não com candidatura” revelou Bola.

Ele acredita que no impedimento de Pavan a vaga do PSDB a estadual na Amfri fique com Anna Carolina Cristofolini Martins que em 2016 concorreu à prefeitura de Itajaí, numa eleição eletrizante que ela não ganhou porque lhe faltaram menos de 800 votos.

“Em junho teremos essa definição e escolheremos um candidato a deputado federal, se não houver um nome eu colocarei o meu à disposição” finalizou Bola.

Por sua vez Junior Pavan comentou com a reportagem que sua atenção está dirigida para o pai e que o que Bola fizer está bem feito.


Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade













Página 3
Facebook pessoal.
Pavan era o candidato preferencial da sigla em Balneário Camboriú.
Pavan era o candidato preferencial da sigla em Balneário Camboriú.

PSDB ainda não decidiu o que fazer com o patrimônio eleitoral de Pavan

Definição, segundo seu presidente, acontecerá em junho

Publicidade

Segunda, 4/6/2018 14:31.

(WALDEMAR CEZAR NETO/JP3) - Faltando quatro meses para a eleição de outubro o PSDB de Balneário Camboriú ainda não decidiu sobre candidatura para defender o patrimônio eleitoral de Leonel Pavan que sofreu Acidente Vascular Cerebral Hemorrágico, continua na UTI e deverá demorar alguns meses para se recuperar.

Chocados e sentidos os tucanos não falam abertamente sobre o assunto, mas em suas cabeças está a velha máxima que não existe espaço vazio em política.

Por isso, as conversas existem e a constatação é que os votos de Pavan na cidade irão para adversários se o espaço não for ocupado.

O PSDB tinha três nomes principais: Junior Pavan, Rubens Spernau e o vereador Aldemar “Bola” Pereira.

Junior está absorvido cuidando do pai e dos negócios da família; Spernau acaba de assumir como secretário de Planejamento de Balneário Camboriú e Bola –ele mesmo admite- não tem dinheiro para fazer campanha.

Para o PSDB, com pré-candidatos ao governo do Estado e ao Senado, é inaceitável abrir mão de lançar candidatos em Balneário Camboriú. E para o partido localmente seria algo que não acontecia há 28 anos.

Aqui, além dos 15.000 votos de Pavan na última eleição, ainda estão voando outros 23 mil dados ao ex-tucano Fabrício Oliveira para deputado federal e, como todos sabem, ele não concorrerá.

Essas contas, claro, já foram feitas por todos os adversários porque cada voto perdido por um é ganho por outro.

Bola, o presidente dos tucanos, disse hoje cedo ao Página 3 que o pessoal tem insistido para que o partido se manifeste porque ficou um vácuo muito grande. A vaga na região da Amfri a estadual era do Pavan que por sua vez tentava viabilizar uma candidatura a vice governador ou suplente de senador.

“Dois dias antes do Pavan ter o acidente conversamos sobre o Junior ser candidato a deputado federal, mas agora temos que esperar porque ele tem motivos para se preocupar com o pai e não com candidatura” revelou Bola.

Ele acredita que no impedimento de Pavan a vaga do PSDB a estadual na Amfri fique com Anna Carolina Cristofolini Martins que em 2016 concorreu à prefeitura de Itajaí, numa eleição eletrizante que ela não ganhou porque lhe faltaram menos de 800 votos.

“Em junho teremos essa definição e escolheremos um candidato a deputado federal, se não houver um nome eu colocarei o meu à disposição” finalizou Bola.

Por sua vez Junior Pavan comentou com a reportagem que sua atenção está dirigida para o pai e que o que Bola fizer está bem feito.


Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade