Jornal Página 3
PÁGINA 3 / Eleições
Políticos farão campanha, mas quem pagará a conta é você

Distribuição do Fundo Eleitoral não favorece a renovação

Segunda, 30/7/2018 9:56.

Publicidade

A partir da semana que vem o Brasil gastará R$ 1,7 bilhão com o Fundo Especial de Financiamento de Campanha, criado pelo Congresso Nacional para pagar as despesas com a campanha política que está iniciando.

Além do abuso com a coisa pública, o Fundo vai contra a renovação na política porque a maioria dos partidos pretende usá-lo para custear as despesas dos que já têm mandato ou aqueles protegidos pelos “caciques”.

Até as vagas de suplentes a senador estão sendo negociadas com base no Fundo Eleitoral, como informou na semana passada a imprensa que cobre Brasília.

No final de maio o Tribunal Superior Eleitoral decidiu que 30% do Fundo deve ser distribuído a mulheres, mas já surgiram informações que os “caciques” partidários pretendem controlar essas candidaturas.

Com a proibição de empresas doarem, os candidatos poderão custear suas campanhas com o Fundo Eleitoral, com dinheiro do próprio bolso ou doações de pessoas físicas (limitadas a 10% do rendimento bruto do doador em 2017).

O que cada um pode gastar é limitado pelo tamanho da população. Em Santa Catarina os limites são os seguintes:

Governador - Até R$ 9.100.000,00 e mais R$ 3.500.000,00 se for ao segundo turno.

Senador - até R$ 3.500.000,00

Deputado federal - Até R$ 2.500.000,00

Deputado Estadual - Até R$ 1.000.000,00

O R$ 1.7 bilhão do Fundo Eleitoral será dividido na proporção das bancadas na Câmara dos Deputados, como segue:

MDB - R$ 234.232.915,58

PT - R$ 212.244.045,51

PSDB - R$ 185.868.511,77

PP - R$ 131.026.927,86

PSB - R$ 118.783.048,51

PR - R$ 113.165.144,99

PSD - R$ 112.013.278,78

DEM - R$ 89.108.890,77

PRB - R$ 66.983.248,93

PTB - R$ 62.260.585,97

PDT - R$ 61.475.696,42

SD - R$ 40.127.359,42

PODEMOS - R$ 36.112.917,34

PSC - R$ 35.913.889,78

PCdoB - R$ 30.544.605,53

PPS - R$ 29.203.202,71

PV - R$ 24.640.976,04

PSOL - R$ 21.430.444,90

PROS - R$ 21.259.914,64

PHS - R$ 18.064.589,71

AVANTE - R$ 12.438.144,67

REDE - R$ 10.662.556,58

PATRIOTA - R$ 9.936.929,10

PSL - R$ 9.203.060,51

PTC - R$ 6.334.282,12

PRP - R$ 5.471.690,91

DC - R$ 4.140.243,38

PMN - R$ 3.883.339,54

PRTB - R$ 3.794.842,38

PSTU - R$ 980.691,10

PCB - R$ 980.691,10

PCO - R$ 980.691,10

PPL - R$ 980.691,10

NOVO - R$ 980.691,10

PMB - R$ 980.691,10


Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade













Página 3

Políticos farão campanha, mas quem pagará a conta é você

Distribuição do Fundo Eleitoral não favorece a renovação

Publicidade

Segunda, 30/7/2018 9:56.

A partir da semana que vem o Brasil gastará R$ 1,7 bilhão com o Fundo Especial de Financiamento de Campanha, criado pelo Congresso Nacional para pagar as despesas com a campanha política que está iniciando.

Além do abuso com a coisa pública, o Fundo vai contra a renovação na política porque a maioria dos partidos pretende usá-lo para custear as despesas dos que já têm mandato ou aqueles protegidos pelos “caciques”.

Até as vagas de suplentes a senador estão sendo negociadas com base no Fundo Eleitoral, como informou na semana passada a imprensa que cobre Brasília.

No final de maio o Tribunal Superior Eleitoral decidiu que 30% do Fundo deve ser distribuído a mulheres, mas já surgiram informações que os “caciques” partidários pretendem controlar essas candidaturas.

Com a proibição de empresas doarem, os candidatos poderão custear suas campanhas com o Fundo Eleitoral, com dinheiro do próprio bolso ou doações de pessoas físicas (limitadas a 10% do rendimento bruto do doador em 2017).

O que cada um pode gastar é limitado pelo tamanho da população. Em Santa Catarina os limites são os seguintes:

Governador - Até R$ 9.100.000,00 e mais R$ 3.500.000,00 se for ao segundo turno.

Senador - até R$ 3.500.000,00

Deputado federal - Até R$ 2.500.000,00

Deputado Estadual - Até R$ 1.000.000,00

O R$ 1.7 bilhão do Fundo Eleitoral será dividido na proporção das bancadas na Câmara dos Deputados, como segue:

MDB - R$ 234.232.915,58

PT - R$ 212.244.045,51

PSDB - R$ 185.868.511,77

PP - R$ 131.026.927,86

PSB - R$ 118.783.048,51

PR - R$ 113.165.144,99

PSD - R$ 112.013.278,78

DEM - R$ 89.108.890,77

PRB - R$ 66.983.248,93

PTB - R$ 62.260.585,97

PDT - R$ 61.475.696,42

SD - R$ 40.127.359,42

PODEMOS - R$ 36.112.917,34

PSC - R$ 35.913.889,78

PCdoB - R$ 30.544.605,53

PPS - R$ 29.203.202,71

PV - R$ 24.640.976,04

PSOL - R$ 21.430.444,90

PROS - R$ 21.259.914,64

PHS - R$ 18.064.589,71

AVANTE - R$ 12.438.144,67

REDE - R$ 10.662.556,58

PATRIOTA - R$ 9.936.929,10

PSL - R$ 9.203.060,51

PTC - R$ 6.334.282,12

PRP - R$ 5.471.690,91

DC - R$ 4.140.243,38

PMN - R$ 3.883.339,54

PRTB - R$ 3.794.842,38

PSTU - R$ 980.691,10

PCB - R$ 980.691,10

PCO - R$ 980.691,10

PPL - R$ 980.691,10

NOVO - R$ 980.691,10

PMB - R$ 980.691,10


Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade