Jornal Página 3
PÁGINA 3 / Eleições
Piruka e Piriquito tendem a precisar de mais votos para se eleger

Cálculo é impreciso porque leva em conta variáveis imprevisíveis

Sexta, 31/8/2018 8:59.

Publicidade

Com base nos resultados da eleição de 2014 é provável que dentre os candidatos de Balneário Camboriú Edson Piriquito (MDB) e Leonardo Piruka (PP) sejam os que necessitem de mais votos para conquistar vaga no parlamento.

A reportagem do Página 3 pesquisou o menos votado dos partidos ou coligações em 2014 para estabelecer uma referência de desempenho necessário.

Na prática as variáveis são mais complexas porque em eleições proporcionais a chance de vencer depende do desempenho de todos os candidatos do partido ou coligação para que os mais votados dentre eles conquistem as vagas.

Também é imprevisível a quantidade de votos válidos porque da abstenção, dos nulos e brancos.

A forma de calcular o resultado da eleição está bem detalhada no portal do TRE e pode ser lida mais abaixo.

Com base nos resultados de 2014, a projeção dos votos mínimos para ter chance de se eleger seria essa:

PARA DEPUTADO FEDERAL

PARA DEPUTADO ESTADUAL

* O partido não existia ou não elegeu deputado. A projeção leva em conta o candidato a deputado estadual que dentre todos se elegeu com a menor votação em 2014.

COMO SÃO CALCULADAS AS VAGAS

QUOCIENTE ELEITORAL
O quociente eleitoral define os partidos e/ou coligações que têm direito a ocupar as vagas em disputa nas eleições proporcionais, quais sejam: eleições para deputado federal, deputado estadual e vereador.

Determina-se o quociente eleitoral dividindo-se o número de votos válidos apurados pelo de lugares a preencher em cada circunscrição eleitoral, desprezada a fração se igual ou inferior a meio, equivalente a um, se superior" (Código Eleitoral, art. 106).

Nas eleições proporcionais, contam-se como válidos apenas os votos dados a candidatos regularmente inscritos e às legendas partidárias" (Lei n. 9.504/97, art. 5º).

Obs.: anteriormente à Lei n. 9.504/97, além dos votos nominais e dos votos de legenda, os votos em branco também eram computados no cálculo dos votos válidos.

Fórmula: Quociente eleitoral (QE) = número de votos válidos / número de vagas

Logo, apenas os partidos A e B, e a coligação D, conseguiram atingir o quociente eleitoral e terão direito a preencher as vagas disponíveis.

QUOCIENTE PARTIDÁRIO

O quociente partidário define o número inicial de vagas que caberá a cada partido ou coligação que tenham alcançado o quociente eleitoral.

Determina-se para cada partido ou coligação o quociente partidário, dividindo-se pelo quociente eleitoral o número de votos válidos dados sob a mesma legenda ou coligação de legendas, desprezada a fração" (Código Eleitoral, art. 107).

Estarão eleitos, entre os candidatos registrados por um partido ou coligação que tenham obtido votos em número igual ou superior a 10% (dez por cento) do quociente eleitoral, tantos quantos o respectivo quociente partidário indicar, na ordem da votação nominal que cada um tenha recebido (Código Eleitoral, art. 108).

Fórmula: Quociente partidário(QP) = (número de votos válidos do partido ou coligação) / (quociente eleitoral)

Exemplo:

CÁLCULO DA MÉDIA

É o método pelo qual ocorre a distribuição das vagas que não foram preenchidas pela aferição do quociente partidário dos partidos ou coligações. A verificação das médias é também denominada, vulgarmente, de distribuição das sobras de vagas.

Os lugares não preenchidos com a aplicação dos quocientes partidários e a exigência de votação nominal mínima serão distribuídos mediante observância das seguintes regras:

I – o número de votos válidos atribuídos a cada partido político ou coligação será dividido pelo número de lugares por eles obtidos pelo cálculo do quociente partidário mais um, cabendo ao partido político ou à coligação que apresentar a maior média um dos lugares a preencher, desde que tenha candidato que atenda à exigência de votação nominal mínima;

II – será repetida a operação para a distribuição de cada um dos lugares;

III - quando não houver mais partidos ou coligações com candidatos que atendam às duas exigências do item I, as cadeiras serão distribuídas aos partidos que apresentem as maiores médias.

Fórmula:

Distribuição da 1ª vaga remanescente(1ª Média) = número de votos válidos do partido ou coligação, dividido pelas vagas obtidas via quociente partidário + 1

Distribuição das demais vagas remanescentes(Médias) = número de votos válidos do partido ou coligação, dividido pelas vagas obtidas via quociente partidário + vagas remanescentes obtidas pelo partido + 1

Havendo mais vagas remanescentes, repete-se a operação.

EXEMPLO

Resumo das vagas obtidas por partido ou coligação




Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade













Página 3

Piruka e Piriquito tendem a precisar de mais votos para se eleger

Cálculo é impreciso porque leva em conta variáveis imprevisíveis

Publicidade

Sexta, 31/8/2018 8:59.

Com base nos resultados da eleição de 2014 é provável que dentre os candidatos de Balneário Camboriú Edson Piriquito (MDB) e Leonardo Piruka (PP) sejam os que necessitem de mais votos para conquistar vaga no parlamento.

A reportagem do Página 3 pesquisou o menos votado dos partidos ou coligações em 2014 para estabelecer uma referência de desempenho necessário.

Na prática as variáveis são mais complexas porque em eleições proporcionais a chance de vencer depende do desempenho de todos os candidatos do partido ou coligação para que os mais votados dentre eles conquistem as vagas.

Também é imprevisível a quantidade de votos válidos porque da abstenção, dos nulos e brancos.

A forma de calcular o resultado da eleição está bem detalhada no portal do TRE e pode ser lida mais abaixo.

Com base nos resultados de 2014, a projeção dos votos mínimos para ter chance de se eleger seria essa:

PARA DEPUTADO FEDERAL

PARA DEPUTADO ESTADUAL

* O partido não existia ou não elegeu deputado. A projeção leva em conta o candidato a deputado estadual que dentre todos se elegeu com a menor votação em 2014.

COMO SÃO CALCULADAS AS VAGAS

QUOCIENTE ELEITORAL
O quociente eleitoral define os partidos e/ou coligações que têm direito a ocupar as vagas em disputa nas eleições proporcionais, quais sejam: eleições para deputado federal, deputado estadual e vereador.

Determina-se o quociente eleitoral dividindo-se o número de votos válidos apurados pelo de lugares a preencher em cada circunscrição eleitoral, desprezada a fração se igual ou inferior a meio, equivalente a um, se superior" (Código Eleitoral, art. 106).

Nas eleições proporcionais, contam-se como válidos apenas os votos dados a candidatos regularmente inscritos e às legendas partidárias" (Lei n. 9.504/97, art. 5º).

Obs.: anteriormente à Lei n. 9.504/97, além dos votos nominais e dos votos de legenda, os votos em branco também eram computados no cálculo dos votos válidos.

Fórmula: Quociente eleitoral (QE) = número de votos válidos / número de vagas

Logo, apenas os partidos A e B, e a coligação D, conseguiram atingir o quociente eleitoral e terão direito a preencher as vagas disponíveis.

QUOCIENTE PARTIDÁRIO

O quociente partidário define o número inicial de vagas que caberá a cada partido ou coligação que tenham alcançado o quociente eleitoral.

Determina-se para cada partido ou coligação o quociente partidário, dividindo-se pelo quociente eleitoral o número de votos válidos dados sob a mesma legenda ou coligação de legendas, desprezada a fração" (Código Eleitoral, art. 107).

Estarão eleitos, entre os candidatos registrados por um partido ou coligação que tenham obtido votos em número igual ou superior a 10% (dez por cento) do quociente eleitoral, tantos quantos o respectivo quociente partidário indicar, na ordem da votação nominal que cada um tenha recebido (Código Eleitoral, art. 108).

Fórmula: Quociente partidário(QP) = (número de votos válidos do partido ou coligação) / (quociente eleitoral)

Exemplo:

CÁLCULO DA MÉDIA

É o método pelo qual ocorre a distribuição das vagas que não foram preenchidas pela aferição do quociente partidário dos partidos ou coligações. A verificação das médias é também denominada, vulgarmente, de distribuição das sobras de vagas.

Os lugares não preenchidos com a aplicação dos quocientes partidários e a exigência de votação nominal mínima serão distribuídos mediante observância das seguintes regras:

I – o número de votos válidos atribuídos a cada partido político ou coligação será dividido pelo número de lugares por eles obtidos pelo cálculo do quociente partidário mais um, cabendo ao partido político ou à coligação que apresentar a maior média um dos lugares a preencher, desde que tenha candidato que atenda à exigência de votação nominal mínima;

II – será repetida a operação para a distribuição de cada um dos lugares;

III - quando não houver mais partidos ou coligações com candidatos que atendam às duas exigências do item I, as cadeiras serão distribuídas aos partidos que apresentem as maiores médias.

Fórmula:

Distribuição da 1ª vaga remanescente(1ª Média) = número de votos válidos do partido ou coligação, dividido pelas vagas obtidas via quociente partidário + 1

Distribuição das demais vagas remanescentes(Médias) = número de votos válidos do partido ou coligação, dividido pelas vagas obtidas via quociente partidário + vagas remanescentes obtidas pelo partido + 1

Havendo mais vagas remanescentes, repete-se a operação.

EXEMPLO

Resumo das vagas obtidas por partido ou coligação




Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade