Jornal Página 3
PÁGINA 3 / Eleições
Estamos averiguando, diz Gleisi sobre acusações de pagamento por comentários pró-PT

Segunda, 27/8/2018 14:17.
EBC.

Publicidade

ANA LUIZA ALBUQUERQUE
CURITIBA, PR (FOLHAPRESS) - A senadora Gleisi Hoffmann (PT), presidente nacional do PT, afirmou a jornalistas em Curitiba, (PR) nesta segunda-feira (27), que o partido está averiguando as acusações de que uma agência teria pago por comentários pró-PT no Twitter.

"O PT nunca adotou este tipo de prática, nossas relações com as redes sempre foram de respeito e militância", disse. "Nunca pagamos ninguém para falar em rede, muito pelo contrário. Estamos averiguando o que é isso, para esclarecer essa situação."

No sábado (25) à noite, a jornalista Paula Holanda, militante de esquerda e influenciadora digital, afirmou ter sido convidada por uma agência de marketing digital mineira chamada Lajoy para promover em seu perfil conteúdo de esquerda, em troca de dinheiro. Ela relatou ter aceitado escrever tuítes favoráveis a candidatos do PT, como Gleisi Hoffmann.

Nesta manhã, Gleisi e Fernando Haddad, vice do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) na chapa presidencial, visitaram o petista na Superintendência da Polícia Federal, onde está preso desde abril. Segundo a senadora, Lula reforçou o recado de que aparecerá no programa eleitoral televisivo deste sábado (1°), com uma mensagem ao povo brasileiro.

Haddad afirmou que o partido está fazendo um balanço do posicionamento dos ministros do Supremo em relação aos tratados internacionais. O PT tem explorado manifestação do Comitê de Direitos Humanos da ONU, que no último dia 17 de agosto pediu que o Brasil não impeça Lula de concorrer nas eleições.

"O tratado que ampara a candidatura de Lula tem status superior a qualquer lei nacional, em virtude de ter sido aprovado pelo Congresso. Vamos passar agora a fazer um balanço da jurisprudência do Supremo, sobretudo em relação ao posicionamento dos ministros atuais", disse. Segundo Haddad, o objetivo do levantamento é "ter uma salvaguarda em caso de impugnação".

Ele também afirmou que a defesa do ex-presidente apresentará manifestação ao TSE (Tribunal Superior Eleitoral) nesta quinta-feira (30), respondendo contestações ao pedido de registro da candidatura à Presidência.


Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade













Página 3
EBC.

Estamos averiguando, diz Gleisi sobre acusações de pagamento por comentários pró-PT

Publicidade

Segunda, 27/8/2018 14:17.

ANA LUIZA ALBUQUERQUE
CURITIBA, PR (FOLHAPRESS) - A senadora Gleisi Hoffmann (PT), presidente nacional do PT, afirmou a jornalistas em Curitiba, (PR) nesta segunda-feira (27), que o partido está averiguando as acusações de que uma agência teria pago por comentários pró-PT no Twitter.

"O PT nunca adotou este tipo de prática, nossas relações com as redes sempre foram de respeito e militância", disse. "Nunca pagamos ninguém para falar em rede, muito pelo contrário. Estamos averiguando o que é isso, para esclarecer essa situação."

No sábado (25) à noite, a jornalista Paula Holanda, militante de esquerda e influenciadora digital, afirmou ter sido convidada por uma agência de marketing digital mineira chamada Lajoy para promover em seu perfil conteúdo de esquerda, em troca de dinheiro. Ela relatou ter aceitado escrever tuítes favoráveis a candidatos do PT, como Gleisi Hoffmann.

Nesta manhã, Gleisi e Fernando Haddad, vice do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) na chapa presidencial, visitaram o petista na Superintendência da Polícia Federal, onde está preso desde abril. Segundo a senadora, Lula reforçou o recado de que aparecerá no programa eleitoral televisivo deste sábado (1°), com uma mensagem ao povo brasileiro.

Haddad afirmou que o partido está fazendo um balanço do posicionamento dos ministros do Supremo em relação aos tratados internacionais. O PT tem explorado manifestação do Comitê de Direitos Humanos da ONU, que no último dia 17 de agosto pediu que o Brasil não impeça Lula de concorrer nas eleições.

"O tratado que ampara a candidatura de Lula tem status superior a qualquer lei nacional, em virtude de ter sido aprovado pelo Congresso. Vamos passar agora a fazer um balanço da jurisprudência do Supremo, sobretudo em relação ao posicionamento dos ministros atuais", disse. Segundo Haddad, o objetivo do levantamento é "ter uma salvaguarda em caso de impugnação".

Ele também afirmou que a defesa do ex-presidente apresentará manifestação ao TSE (Tribunal Superior Eleitoral) nesta quinta-feira (30), respondendo contestações ao pedido de registro da candidatura à Presidência.


Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade