Jornal Página 3
PÁGINA 3 / Eleições
Marina defenderá em programa lei para garantir casamento gay

Terça, 14/8/2018 18:06.
Jorge AraújoFolhapress

Publicidade

JOELMIR TAVARES E ANGELA BOLDRINI

SÃO PAULO, SP, E BRASÍLIA, DF (FOLHAPRESS) - A candidata da Rede, Marina Silva, defenderá em seu programa de governo que o direito ao casamento homoafetivo deve ser protegido por lei.

Este é um dos pontos listados em suas diretrizes programáticas, que serão protocoladas nesta terça-feira (14) no TSE (Tribunal Superior Eleitoral) e foram obtidas pela reportagem.

"O Conselho Nacional de Justiça regulamentou a celebração de casamento civil de pessoas do mesmo sexo, através da Resolução 175/13. Acataremos a demanda de que os direitos decorrentes dessa decisão sejam protegidos por lei", diz o texto.

A candidata também defende a adoção de crianças por casais homoafetivos. "Em casos de adoção, defendemos que seja oferecido tratamento igual aos casais adotantes, com todas as exigências e cuidados iguais para ambas as modalidades de união, homo ou heteroafetiva, atendendo à prioridade de garantir o melhor interesse da criança", afirma o documento.

Em 2014, uma polêmica envolveu a política LGBT da candidata. Menos de 24 horas após a divulgação, a presidenciável retirou trechos que tratavam de questões de gênero e orientação sexual.

Entre elas a promessa de articular a aprovação de leis que regulamentem o casamento gay e a criminalização da homofobia. A justificativa foi a de que a versão divulgada não era a final.

A campanha disse na época que houve "falha processual na editoração" do texto, mas reiterou que a ex-senadora é defensora dos direitos civis da comunidade LGBT.

O recuo levou a baixas na campanha da então pessebista, com a saída do secretário nacional do comitê LGBT do PSB, Luciano Freitas.

O ponto que envolvia a defesa da união de pessoas do mesmo sexo foi fortemente rejeitado por apoiadores de Marina no meio evangélico.


Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade













Página 3
Jorge AraújoFolhapress

Marina defenderá em programa lei para garantir casamento gay

Publicidade

Terça, 14/8/2018 18:06.

JOELMIR TAVARES E ANGELA BOLDRINI

SÃO PAULO, SP, E BRASÍLIA, DF (FOLHAPRESS) - A candidata da Rede, Marina Silva, defenderá em seu programa de governo que o direito ao casamento homoafetivo deve ser protegido por lei.

Este é um dos pontos listados em suas diretrizes programáticas, que serão protocoladas nesta terça-feira (14) no TSE (Tribunal Superior Eleitoral) e foram obtidas pela reportagem.

"O Conselho Nacional de Justiça regulamentou a celebração de casamento civil de pessoas do mesmo sexo, através da Resolução 175/13. Acataremos a demanda de que os direitos decorrentes dessa decisão sejam protegidos por lei", diz o texto.

A candidata também defende a adoção de crianças por casais homoafetivos. "Em casos de adoção, defendemos que seja oferecido tratamento igual aos casais adotantes, com todas as exigências e cuidados iguais para ambas as modalidades de união, homo ou heteroafetiva, atendendo à prioridade de garantir o melhor interesse da criança", afirma o documento.

Em 2014, uma polêmica envolveu a política LGBT da candidata. Menos de 24 horas após a divulgação, a presidenciável retirou trechos que tratavam de questões de gênero e orientação sexual.

Entre elas a promessa de articular a aprovação de leis que regulamentem o casamento gay e a criminalização da homofobia. A justificativa foi a de que a versão divulgada não era a final.

A campanha disse na época que houve "falha processual na editoração" do texto, mas reiterou que a ex-senadora é defensora dos direitos civis da comunidade LGBT.

O recuo levou a baixas na campanha da então pessebista, com a saída do secretário nacional do comitê LGBT do PSB, Luciano Freitas.

O ponto que envolvia a defesa da união de pessoas do mesmo sexo foi fortemente rejeitado por apoiadores de Marina no meio evangélico.


Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade